A saúde física é muito importante, e a maioria das pessoas sabe disso. Quando alguém sente que há algo de errado, isto é, que há algum sintoma, logo corre ao médico para receber o diagnóstico e iniciar o tratamento. Contudo, o que ainda há muita gente que não percebeu é que a saúde mental é tão importante quanto a saúde física, afinal de contas, elas estão profundamente interligadas.

Quando falamos em saúde da mente, falamos na administração dos nossos pensamentos, sentimentos e comportamentos. Quando uma pessoa lida adequadamente com esses três fatores, ela vivencia melhoras nítidas em sua saúde física, em seus estudos, em seu desempenho no trabalho e nos relacionamentos que estabelece com as pessoas ao seu redor.

No entanto, oscilações emocionais, desânimo e até mesmo alguns sintomas físicos podem indicar que a sua saúde mental não vai bem e que é preciso procurar ajuda. Confira 6 dos principais indicadores a seguir. Boa leitura!

Clareie seus pensamentos com meu ebook “Detox da Mente”!
Um desafio que irá te ajudar a ter uma vida mais leve e feliz!

1. Isolamento e desconforto em atividades sociais

Qualquer pessoa precisa passar um tempo sozinha, seja para meditar, descansar ou simplesmente investir um tempo em seu próprio autocuidado. Especialmente as pessoas mais introvertidas precisam desse período desfrutando exclusivamente de sua própria companhia para reabastecer as suas energias.

Entretanto, é importante não confundir esse momento de paz com um isolamento definitivo. Quando as pessoas abrem mão das suas atividades sociais e do convívio com amigos e familiares, isso pode ser um indicativo de que a sua saúde mental está 100%.

Na verdade, é frequente em casos de depressão, ansiedade e esquizofrenia que o indivíduo queira ficar sozinho mais do que o necessário. Isso ocorre porque a pessoa tem vergonha do seu problema, medo de ser rejeitado ou receio de que possa sentir-se mal estando fora de casa. Além disso, pode ser um simples sinal de tristeza e desânimo, mas é importante ficar atento se esse indício surgir com mais frequência.

2. Pensamento confuso

PSC

Sabe aqueles dias em que está tudo bem, mas você sente que há algo o incomodando? Às vezes, nem nós mesmos somos capazes de entender o que estamos sentindo e o porquê dessas emoções confusas terem surgido. A experiência humana é extremamente complexa, e é possível sentir várias emoções ao mesmo tempo, o que dificulta a nossa compreensão.

O pensamento confuso também pode incluir lapsos de memória, dificuldade de tomar decisões e lentidão do raciocínio, mesmo em questões rotineiras, que antes eram resolvidas com facilidade. Se isso ocorre num ou noutro dia, pode ser uma simples questão de cansaço. No entanto, fique atento à frequência e à intensidade desse tipo de sintoma.

Se forem muito intensos e recorrentes, esses sinais podem ser indicativos de depressão, ansiedade, entre outras questões de ordem mental. Isso pode ter como consequências um desempenho inferior no trabalho e a queda de notas escolares para as crianças e adolescentes.

3. Problemas com o sono

O sono é um período muito importante para que o corpo e a mente possam descansar, eliminar as toxinas, regenerar as células, recuperar energias e fortalecer a imunidade do organismo. Por isso, dormir bem é algo essencial à saúde física e mental.

A maioria das pessoas com algum transtorno da mente apresenta também algum distúrbio do sono, que pode ser insônia, sono excessivo ou sono de má qualidade. Isso ocorre porque os mesmos neurotransmissores que previnem esses problemas são também os que nos garantem um sono de qualidade. Assim, quando essas substâncias aparecem em quantidades insuficientes, surgem esses transtornos, tendo os distúrbios do sono como um importante indício.

Assim, para que você tenha uma boa noite de sono, procure expor-se à luz do sol e realizar atividades físicas durante o dia. Alimente-se de forma equilibrada, evitando comidas e bebidas estimulantes à noite (como açúcares, gorduras, cafeína e energéticos). Tome um banho quente, coloque uma roupa confortável, apague todas as luzes e faça atividades relaxantes que induzem o sono — como a leitura, por exemplo.

4. Alterações no apetite

Muitos transtornos da mente também podem ser notados por alterações no apetite. Pessoas com anorexia nervosa ou depressão, por exemplo, podem não ter fome ou lutar contra ela por não quererem alimentar-se. Em contrapartida, pessoas com estresse, ansiedade ou compulsão alimentar podem querer consumir grandes quantidades de alimentos calóricos de uma só vez, quase sempre tendo um sentimento de culpa em seguida.

Alimentar-se em excesso ou em quantidades muito baixas pode ser um indicador de transtornos mentais, que podem tornar-se graves se não forem adequadamente tratados. Por isso, verifique se você tem feito escolhas alimentares saudáveis e em quantidades adequadas.

Verifique também como está a sua autoestima ao olhar-se no espelho. Em geral, as pessoas costumam ser críticas quanto à própria aparência. No entanto, os excessos podem indicar doenças, como o transtorno dismórfico corporal — em que o indivíduo observa em si mesmo defeitos que não existem, ou que são muito menores do que ele enxerga.

5. Mudanças de comportamento

Pessoas falantes que se tornam muito quietas. Indivíduos que amavam a prática esportiva que se tornam sedentárias. Colegas de trabalho que sempre tomavam iniciativas nos projetos da empresa que se tornam mais discretos. Amigos que eram presença constante nos eventos sociais que logo deixam de frequentar esses programas. Pessoas que amavam estudar e simplesmente deixam o estudo de lado. Algum desses comportamentos lhe soa familiar?

As pessoas podem mudar, afinal de contas, os interesses e hábitos que desenvolvemos ao longo da vida podem sofrer alterações. Entretanto, é importante atentar-se à maneira como esse processo ocorre. Mudanças muito drásticas e muito abruptas podem indicar que a saúde mental do indivíduo não vai bem. O mesmo vale para as oscilações humor e instabilidades emocionais constantes.

Querer mudar quando a pessoa se sente infeliz é saudável, pois indica que ela quer melhorar. Entretanto, para que isso ocorra, ela não precisa abrir mão da sua essência, dos seus hobbies e dos seus interesses. Se você estiver passando por mudanças profundas, verifique se elas são saudáveis e compatíveis com os acontecimentos da sua vida.

6. Desânimo

Por fim, outro ponto ao qual todas as pessoas precisam ficar atentas é a energia que temos para realizar as nossas atividades. Se você se sente desanimado e/ou desmotivado pela maior parte do tempo, mesmo diante das atividades que antes costumavam ser prazerosas para você, fique atento.

A maior parte dos transtornos da mente produz essa sensação de desânimo e de perda de vitalidade. Isso traz consequências tanto para a vida pessoal quanto para a vida profissional.

Novamente, tudo é uma questão de analisar o seu caso: existe um motivo concreto para que você esteja cansado ou triste? É algo pontual ou é um sintoma que tem se arrastado com o passar do tempo? Verifique a intensidade e a frequência desse sinal.

Uma mente com algum problema de saúde sinaliza que algo não vai bem. No entanto, boa parte das pessoas ainda enxerga problemas dessa natureza como sinal de fraqueza ou de loucura. Isso não é verdade. A mente de qualquer pessoa pode adoecer, tanto quanto o corpo.

Se isso acontecer, não hesite em procurar ajuda especializada, ou seja, de médicos psiquiatras e de psicólogos. Recorrer a esses profissionais não é sinal de que você é fraco ou maluco. Ao contrário, é um indício de que você é forte e de que deseja restabelecer a sua saúde.

Se este artigo fez sentido para você, deixe o seu comentário no espaço abaixo. Por fim, compartilhe-o com todos os seus amigos, colegas, familiares e com quem mais possa precisar destas informações, por meio das suas redes sociais!

Imagem: Por KieferPix