Uma dinâmica é uma atividade prática e simples, geralmente conduzida em grupo. O seu objetivo é sempre utilizar materiais e objetos simples do dia a dia para gerar analogias e análises metafóricas e comparativas sobre elementos mais profundos a respeito da vida.

A dinâmica do papel amassado é uma dessas dinâmicas, que pode ser aplicada em ambientes pessoais, profissionais e educativos. Neste artigo, vamos conhecer melhor essa atividade e quais são os aprendizados que podemos extrair dela. Para saber mais sobre o tema, é só dar continuidade à leitura a seguir!

Dinâmica do papel amassado

Para sintonizar e integrar um grupo novo, a dinâmica do papel amassado é uma excelente opção para unir os participantes e criar uma mentalidade coletiva positiva.

No início de qualquer formação de pessoas, é normal que haja certa timidez em relação aos demais e, para eliminar isso, este exercício é uma boa forma de trazer reflexões sobre cordialidade, sobre os efeitos de nossas ações, sobre desenvolver o respeito mútuo e sobre integrar melhor a equipe pelos objetivos comuns. Mais do que um “quebra-gelo”, trata-se de uma reflexão mais intensa!

Vamos, então, aprender como fazer a dinâmica do papel amassado e entender como ela pode ser colocada em prática para desenvolver relações interpessoais mais positivas em todos os ambientes, sejam eles de trabalho, sejam pessoais. Continue lendo e confira!

Realização da dinâmica

Veja o que é necessário para aplicar este exercício poderoso de reflexão e como aplicá-lo com o seu grupo de amigos, familiares ou colaboradores.

  • Material: folhas de papel branco, divididas em 4 partes iguais.
  • Local: um ambiente seguro, uma sala onde todos possam ficar tranquilos e concentrados na dinâmica.
  • Preparação: Para realizar o exercício, os papéis em branco devem ser divididos em 4 partes iguais. Cada participante deve receber uma dessas partes.
  • Instruções: Em seguida, o instrutor deve pedir que todos os membros olhem bem para aquela folha e depois a amassem e formem uma bolinha. Em seguida, peça que todas as pessoas tentem desamassar o papel e deixá-lo igual ao que estava antes.
  • Todos os membros vão tentar fazer o papel voltar ao estado inicial e até mesmo sugerir ideias para que fique como antes, entretanto, cada folha estará alterada e não terá mais a mesma forma de antes de ser amassada.

Ponto alto da dinâmica

PSC Renascimento

Agora, é a hora de o instrutor trazer as reflexões para o grupo e falar sobre respeito, companheirismo, amizade e o poder de sempre manter a educação. Para isso, ele deve trazer uma metáfora, mostrando que pessoas são como papéis amassados, uma vez que, quando são ofendidas e magoadas — se sentem desrespeitadas e sofrem com falta de educação dos outros —, mesmo que perdoem, sempre acabam ficando afetadas de alguma forma.

A moral da história é a de que, seja no ambiente de trabalho, seja nas relações pessoais (amorosas ou familiares), tudo o que fazemos tem consequências. Por isso mesmo, sempre precisamos pensar antes de agir, respeitar as pessoas e tratá-las com educação e cordialidade, ou seja, do mesmo modo como gostaríamos de ser tratados.

Aprendizados extraídos

Na hora da reflexão acerca do significado da dinâmica, alguns aprendizados podem ser extraídos. Confira 4 deles, mas lembre-se de que o seu grupo pode ter impressões diferenciadas e complementares.

1. Pensar antes de falar e agir

Perceba que o papel, por mais que possamos desamassá-lo, nunca volta a ser o que era antes. Algumas relações também podem ser assim. Por mais que haja o perdão e a reconciliação, nem sempre as amizades, os namoros e as parcerias profissionais voltam a ser o que eram. Portanto, o melhor jeito de evitar que os relacionamentos fiquem “amassados” é pensar antes de falar e agir. Antes de tomar qualquer atitude ou de comunicar-se, pense nas consequências do que você vai fazer. É melhor prevenir do que remediar.

2. Manifestar empatia

Por falar em pensar antes de falar e de agir, a melhor maneira de conduzir esse processo é manifestar empatia. Isso significa que devemos nos colocar no lugar do outro. Se eu estivesse no lugar dele, eu gostaria que outra pessoa falasse essas coisas? Eu gostaria que outra pessoa agisse dessa forma? Fazer esses questionamentos evita muitos conflitos. A empatia é a força que nos leva a agir em relação aos outros da mesma forma que nós gostaríamos que agissem em relação a nós.

3. Comunicar-se de forma não violenta

A empatia nos leva à comunicação não violenta, o que é fundamental em qualquer relação humana. Mesmo para discordar ou apontar erros, podemos e devemos nos comunicar sem violência, ou seja: sem utilizar palavras de baixo calão, sem impor as nossas opiniões e valores, sem confundir pedidos com ameaças, sem usar um tom de voz mais alto do que o necessário e sem utilizar palavras que expressem preconceito ou ofensas de qualquer tipo. A comunicação não violenta é a chave para o entendimento.

4. Ser colaborativo

Por fim, devemos considerar a importância de ser colaborativo. Em uma família, em um círculo de amizades, em um relacionamento amoroso, em uma equipe de trabalho, enfim, em qualquer contexto, cada indivíduo deve assumir a responsabilidade sobre as suas obrigações.

Não podemos deixar tudo sob a responsabilidade dos outros, sem que façamos a nossa parte. Qualquer relação de sucesso é resultado da colaboração entre as partes envolvidas. Se isso não ocorre, há o desgaste que citamos, e as coisas nunca voltam a ser o que eram.

Conclusão

Os aprendizados acima são é o que faz com que possamos construir relações positivas e desenvolver uma comunicação não violenta, que realmente nos faça falar e agir com respeito por todos ao nosso redor e que nos permita ser sempre respeitados também. Assim, se você busca trazer essa conscientização ao seu grupo de profissionais, amigos ou familiares, use a dinâmica do papel amassado e obtenha grandes resultados.

E você, querida pessoa, quais aprendizados consegue extrair dessa dinâmica? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!