Quantas vezes culpamos as circunstâncias da vida por aquilo que nos acontece, não é mesmo? É o tempo curto, é a correria do dia a dia, é o sol, é a chuva, é a opinião do outro, é a falta de dinheiro, é a idade que já temos — tudo é motivo para não assumirmos a responsabilidade por nossos atos.

No entanto, é importante ressaltarmos que a autorresponsabilidade é fator essencial nas vidas de quem realmente alcança o sucesso pessoal e profissional. Para entender como essa palavrinha complicada transforma nossas vidas, continue lendo o artigo a seguir.

O que é a autorresponsabilidade?

Por definição, o termo autorresponsabilidade significa a capacidade que um indivíduo possui de assumir a responsabilidade por seus atos e emoções. Isso não quer dizer que fatores externos nunca influenciem nossas vidas, mas a maneira como lidamos e como respondemos a esses fatores depende sempre de nós.

Muitas pessoas atribuem a culpa sobre todos os seus problemas às circunstâncias da vida, como se elas mesmas fossem criaturas inertes, que apenas sofrem as interferências externas, sem que possam ter qualquer tipo de reação.

No entanto, é importante que nos lembremos de que a vida que obtemos é resultado de nossas ações. Cada um de nós sabe de suas limitações e problemas, mas não podemos atribuir todos os nossos resultados a eles. Nós somos autores de nossa própria história, o que inclui nossos pensamentos, emoções, palavras e atitudes.

Uma dor que liberta

Quando falamos em assumir a responsabilidade por tudo o que acontece em nossa vida, essa ideia pode ser dolorosa, a princípio. É claro que você não tem culpa nenhuma de ser assaltado, por exemplo, mas a partir dessa experiência negativa, poderá ser mais cuidadoso com seus pertences ou escolher melhor seus caminhos e horários.

PSC Renascimento

De fato, nós não temos controle sobre tudo aquilo que nos acontece, mas podemos escolher ser vítimas das circunstâncias, ou aprender com elas para que acontecimentos mais positivos venham até nossas vidas.

Essa linha de raciocínio é utilizada por pessoas emocionalmente inteligentes e mentalmente equilibradas. Além disso, quando tomamos o volante da vida e assumimos a direção de nosso caminho, entendemos que nós podemos fazer escolhas. Algumas delas são bem difíceis, dependendo do contexto, mas, ainda assim, partem de nós.

Assumir a responsabilidade por nossos erros nos torna mais humildes e dispostos a aprender com eles, sem que vivamos nessa passividade prejudicial e sem criar conflitos com as pessoas ao nosso redor. Em compensação, quando assumimos nossas vitórias, percebemos nossas qualidades e nosso potencial de conquistar objetivos, o que é um poderoso fator motivacional.

Ou seja, a autorresponsabilidade é sempre um aspecto benéfico, seja em situações difíceis ou em situações positivas.

Um auxílio psicológico

Quando tomamos o controle de nossas próprias vidas, nos tornamos mais conscientes de nossas ações. Quando deixamos de atribuir culpas a Deus, aos familiares, ao governo etc., entendemos que, na nossa vida, só vai acontecer aquilo que nós permitirmos.

Um indivíduo que se sente autor da própria história tem uma maior capacidade de fazer planos, de agir com autoconfiança e de sentir-se mais seguro, sem que se veja como vítima das circunstâncias. Dessa forma, ele desenvolve maiores capacidades intelectuais e emocionais que o afastam de diversos problemas.

É claro que é preciso entender que ninguém está 100% no controle de tudo a todo instante, e que desejar isso pode nos tornar pessoas extremamente ansiosas. No entanto, também não podemos viver no extremo oposto, deixando a vida seguir como um barco sem leme.

Sempre que atribuímos nossos resultados a outras pessoas ou a determinadas situações da vida, estamos não apenas nos isentando da responsabilidade, mas também admitindo que não estamos no controle do destino. Agimos como crianças que dependem das escolhas dos pais: pode até parecer mais confortável não precisar tomar decisões ou lidar com resultados, mas essa falta de autonomia nos impede de crescer, de progredir e, acima de tudo, de concretizar nossos objetivos.

Toda vez que temos um pensamento, um sentimento, um diálogo e uma atitude, estamos automaticamente construindo o nosso destino. Por isso, não podemos transferir a outras pessoas ou acontecimentos a responsabilidade sobre nossas vidas.

Pensamentos que determinam seus resultados

Quer um exemplo de como você é autor do seu destino? Você, em algum momento de sua trajetória escolar, identificou alguma habilidade de destaque, como o desenho, a escrita, os cálculos, os esportes ou o relacionamento com as pessoas, não é mesmo? A partir da detecção de seus talentos, você percebeu que eles poderiam se tornar um caminho profissional na vida adulta e, então, escolheu um curso ou área de trabalho relacionada a essa característica identificada.

Há exceções de pessoas que são forçadas a seguir a trajetória profissional dos pais. No entanto, na maioria dos casos, as pessoas são livres para fazer suas escolhas, a partir de seus talentos e de suas preferências. Quando essas escolhas são feitas a partir de sentimentos verdadeiros, temos tudo para obter grandes resultados. Contudo, quando essa escolha parte de influências externas, dificilmente seremos felizes de verdade.

Por isso, a autorresponsabilidade envolve a compreensão de que as únicas pessoas que enfrentarão as consequências de nossas escolhas somos nós mesmos. Assim, é preciso que nos questionemos: até que ponto vale a pena fazer o que os outros querem que façamos, apenas para agradá-los?

A autorresponsabilidade, portanto, é um exercício de empoderamento, em que reduzimos o peso das opiniões alheias e elevamos a importância de nossas próprias escolhas, desde que saibamos lidar com os resultados futuramente. O exemplo acima se refere à vida profissional, mas estamos fazendo escolhas a todo instante: amores, amigos, imóveis, investimentos, estudos, viagens. Tudo parte de nossos pensamentos.

O exemplo das pessoas de sucesso

Você sabia que J.K. Rowling, a autora da mundialmente conhecida e bem-sucedida saga Harry Potter, teve seus manuscritos rejeitados por diversas editoras antes de ser publicada? Sabia que Walt Disney perdeu empregos por alegada falta de criatividade antes de fundar a empresa de animação mais bem-sucedida da história?

Pessoas assim são autorresponsáveis, pois simplesmente ignoraram os “nãos” que receberam. Elas jamais permitiram que as circunstâncias difíceis da vida lhes tirassem a vontade de alcançar seus objetivos e de realizar seus sonhos. Fracassaram muitas vezes, mas, ao invés de assumirem a posição de vítimas, aprenderam com os próprios erros e seguiram em frente, como verdadeiros protagonistas de suas histórias.

Se você pensa que pessoas assim são exceções, está enganado. Toda e qualquer pessoa deve assumir o controle de sua vida. Há interferências externas, mas precisamos impor limites a elas, se quisermos ser verdadeiramente felizes. O indivíduo que permite que a vida o leve para onde ela quiser jamais conseguirá chegar aonde ele realmente deseja.

A autorresponsabilidade envolve não apenas fazer o que deseja, mas planejar para que essa tomada de decisões seja o mais certeira possível, afinal de contas, assumir as consequências das atitudes também é item primordial na vida das pessoas autorresponsáveis.

E você, se considera alguém autorresponsável? Quais traços da autorresponsabilidade você já possui? Quais são as culpas que você ainda “terceiriza” ao invés de assumi-las como sua responsabilidade? Deixe seu comentário no espaço abaixo. Por fim, não se esqueça de compartilhar este artigo com seus amigos, colegas e familiares. Pessoas autorresponsáveis são mais humildes, maduras, felizes e bem-sucedidas. Nada melhor do que conviver com pessoas assim!