Saber como controlar as emoções é muito importante para quem deseja crescer na carreira. Chorar não é sinal de fraqueza, mas pode transmitir uma mensagem de desequilíbrio que, muitas vezes, se torna um empecilho para promoções ou, até mesmo, motivo para demissões. 

As empresas preferem profissionais que demonstram inteligência emocional, especialmente diante de situações que parecem o “fim”, ou seja, que sabem administrar os seus sentimentos e que não são dominados por eles.

Quando falamos em sentimentos, não falamos apenas de momentos de tristeza, que geralmente nos trazem a vontade de desabar e chorar. Falamos também de sentimentos como raiva, ansiedade, frustração, entre outros, que tiram o nosso foco do trabalho que devemos realizar e acabam nos prejudicando e afetando a empresa como um todo.

Por isso, neste artigo, vamos refletir sobre as melhores formas que você pode utilizar no dia a dia, tanto dentro quanto fora da empresa, para administrar as suas emoções e continuar seguindo em frente, sem se deixar abater. Continue a leitura e saiba mais!

O que faz com que percamos o controle?

A resposta para essa pergunta é simples: nós mesmos! Em outras palavras, podemos dizer que a forma como nos posicionamos diante do mundo e como enxergamos os acontecimentos ao nosso redor faz com que criemos, na nossa mente, sentimentos e emoções para lidarmos com as mais diversas situações da vida.

Com base no nosso mindset, ou seja, nas nossas crenças e valores pessoais, nós interpretamos a realidade ao nosso redor, despertamos as emoções e agimos. Assim, se temos a crença de que tudo na vida foi feito para dar errado, vamos criar sentimentos com base nesse mindset. Agora, se o contrário acontece, ou seja, se interpretamos cada uma das nossas experiências de maneira mais positiva, as chances de que vivenciemos bons sentimentos e emoções são muito maiores.

PSC Renascimento

Sendo assim, é importante que você saiba que é você quem está no controle das suas emoções, e mais ninguém. Não são as situações externas que nos dominam, somos nós mesmos, com base em todo o nosso sistema de crenças.

Aliás, os psicólogos nem mesmo gostam de utilizar a palavra “controlar”, pois ela infere uma necessidade de reprimir o que sentimos, como se os sentimentos fossem os vilões da história. Na verdade, as emoções existem porque são funcionais e adaptativas às diferentes situações da vida. Precisamos dela, mas administrando a sua intensidade e, principalmente, a forma como agimos diante delas.

Como o descontrole emocional pode ser prejudicial?

Se você é daquelas pessoas que “estouram” ou se emocionam facilmente, não conseguindo administrar as suas emoções, independentemente do ambiente em que você esteja, pense bem. Você não deve reprimir o que sente, mas precisa administrar a intensidade. Esse comportamento descontrolado pode prejudicar a sua vida — ou já estar prejudicando, e você ainda nem percebeu.

Potencializa o estresse

estresse é algo com o qual temos de lidar todos os dias, praticamente em todos os ambientes pelos quais transitamos. Se temos a tendência de valorizar demais algo negativo que nos acontece, ficamos naturalmente mais tristes, agressivos, raivosos ou frustrados. Assim por diante, os nossos níveis de estresse só aumentam, e isso pode provocar doenças mais graves e preocupantes, como transtornos de ansiedade, depressão, transtorno obsessivo compulsivo, entre outros.

Diante disso, é fundamental ficarmos atentos e tentarmos perceber a origem de cada sentimento. Devemos focar no que podemos fazer com cada um deles e de que maneira podemos e devemos agir no momento em que eles surgirem, para que, assim, possamos cuidar do que realmente importa: a nossa saúde física e mental.

Prejudica a produtividade

Independentemente de estar no trabalho ou em casa, se você tem alguma tarefa a ser executada e sente-se ansioso ou um pouco depressivo, a probabilidade de não conseguir fazer nada é muito grande. Por isso, a procrastinação pode ser uma consequência.

Isso acontece porque ficamos muito focados nos problemas e sentimentos que eles nos trazem dor, fazendo com que não tenhamos condições de ser produtivos. Emoções demasiadamente intensas geram perda de concentração, de motivação e de foco. Dessa maneira, a nossa produtividade cai gradativamente, e nós não conseguimos entregar aquele trabalho solicitado pelo chefe, por exemplo, o que pode prejudicar a nossa imagem diante dele, bem como de toda a equipe.

Gera decisões precipitadas

Você já ouviu falar que é bom evitar tomar certas decisões quando estiver dominado por alguns sentimentos, como raiva e a tristeza, por exemplo? Esse é um dos melhores conselhos a serem dados em situações como essas.

Acontece que, quando estamos tomados por determinadas emoções, existe a chance de termos comportamentos dos quais podemos nos arrepender depois. Em outras palavras, podemos tomar decisões precipitadas, por termos nos deixado levar pela raiva, pela frustração, pela angústia, entre outros sentimentos, que são maus conselheiros em um processo decisório.

A neurociência já constatou que as emoções muito intensas reduzem a atividade das áreas mais racionais do cérebro, o que contribui com a impulsividade e gera arrependimentos. Portanto, evite tomar decisões nesses momentos.

Como administrar as emoções no ambiente de trabalho?

Agora que você já compreende o quanto a má administração do lado emocional pode ser prejudicial, confira as dicas que selecionamos de como você pode evitar a sobrecarga emocional e lidar melhor com aquilo que sente.

Recorra a técnicas para acalmar-se

Normalmente, o choro no trabalho acontece por uma situação de extremo estresse, e não por tristeza. Sendo assim, o gatilho para as lágrimas é a sensação de desespero, e a melhor maneira de administrar as emoções é conseguindo se acalmar.

Existem algumas técnicas de respiração que ajudam a diminuir a tensão criada no seu corpo. Você pode inspirar e expirar profundamente, fechar os olhos por alguns segundos e respirar fundo, ou ainda tomar uma água para quebrar o ciclo de tensão. O mais importante é não deixar o desespero tomar conta e se acalmar. Se desejar, afaste-se por alguns minutos da mesa de trabalho, lembrando-se de que as emoções são estados passageiros, e não definitivos, OK?

Reforce as suas qualidades

Quando algo dá errado no trabalho e o chefe chama você para uma conversa em sua sala, você já tem uma ideia de que será repreendido, porém, é importante não demonstrar o seu abalo emocional. Saber o que fez de errado e consertar é primordial, mas lembre-se sempre de que, se você está nesse trabalho, é porque tem muitos méritos e qualidades.

Ao longo da sua jornada dentro da empresa, você tem feito o seu melhor, até mesmo quando comete alguma falha, afinal, ninguém faz isso ou aquilo pensando em falhar. Assim, pense nas qualidades que você tem e nos seus acertos para não ficar tão fragilizado. Todos cometemos erros, mas também acertamos. Lembre-se das suas qualidades como meio de amenizar as suas inseguranças!

Entenda as origens das suas dificuldades emocionais

Nos casos em que as lágrimas não são motivadas pelo estresse, mas sim por uma sensação de tristeza ou vazio em decorrência de conflitos internos e pessoais, você deve se lembrar de que gostar do que faz é ótimo, entretanto, você não deve colocar a sua carreira acima de todas as suas realizações e satisfações pessoais. 

Ter essa clareza em relação aos seus papéis ajuda a criar certo distanciamento emocional do trabalho e evitar situações constrangedoras de choro na empresa, por conta de problemas e conflitos pessoais. Verifique o que exatamente esta gerando essa resposta emocional negativa: cansaço, sobrecarga, problemas de relacionamento, infelicidade com a atividade exercida, insatisfação salarial etc. Conhecer essas origens nos ajuda a resolvê-las.

Administre a ansiedade

Quanto do seu sofrimento para apresentar um projeto ou ir a uma reunião é antecipado pela sua ansiedade? Quantas vezes você passou dias sofrendo e, no momento em que a situação que parecia o “fim” chegou, ela se mostrou, na verdade, simples e sem nenhuma tensão? 

Saiba que o alívio sentido não recupera as horas que você perdeu desesperado e desestabilizado emocionalmente. A dica nesse caso é: evite pensamentos ansiosos e sabotadores. Deixe para viver cada situação no seu momento e não sofra por antecipação. Além disso, faça o possível para preparar-se para as situações, pois a preparação também ajuda a amenizar a ansiedade.

Comunique-se com clareza

A comunicação efetiva é fundamental para lidar com as emoções no ambiente de trabalho. Comunique-se claramente, ouça atentamente e procure entender o ponto de vista dos outros. Isso pode ajudar a evitar mal-entendidos e conflitos.

A comunicação clara e precisa muitas vezes nos ajuda a apaziguar as emoções negativas, como a preocupação, o estresse e a ansiedade. Desde uma conversa franca com um chefe até um simples desabafo com um colega, um diálogo pode ser muito produtivo do ponto de vista emocional.

Busque ajuda quando necessário

Por fim, se as emoções estiverem afetando negativamente o seu desempenho no trabalho ou a sua saúde mental, não hesite em buscar ajuda. Falar com um colega de trabalho confiável, um mentor ou um profissional de saúde mental pode ajudar a lidar com as emoções de forma saudável.

Se esse processo estiver afetando outras áreas da sua vida, como os seus relacionamentos, o seu sono, a sua alimentação e a sua saúde de forma geral, converse com um psicólogo.

Como o coaching pode ajudar?

Como dica final, queremos mostrar como o coaching pode ajudá-lo no seu processo de autoconhecimento e administração das suas emoções. É isso mesmo: por meio de ferramentas e de uma metodologia única e eficaz, você consegue se conhecer melhor, entender os motivos que fazem com que você aja de determinada forma e encontrar os recursos internos que você tem — que podem ajudá-lo a superar os sentimentos negativos e dar espaço àqueles que são altamente positivos.

Por isso, conte com a ajuda do coaching para melhorar ainda mais a sua performance profissional e pessoal! Assista também a este vídeo, que gravamos recentemente, para que você aprenda a lidar com a autossabotagem:

E você, ser de luz, acredita que é capaz de administrar as suas emoções no ambiente de trabalho? Já teve alguma situação em que foi difícil segurar o choro? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!