A felicidade depende de uma eterna busca pela harmonia. Por mais que esse seja um dos objetivos de qualquer pessoa, sabemos que nem sempre conseguimos alcançá-lo. Quando falta harmonia em algum momento, surge o conflito, que é sempre um evento delicado, mas que pode levar a algum resultado positivo, desde que haja maturidade entre as partes envolvidas.

Mas, afinal, o que é um conflito? Por que eles surgem? Quais são os tipos de conflitos existentes? Como eles nos afetam? As respostas para essas e outras perguntas envolvendo os conflitos da vida, você vai conferir no artigo a seguir. Siga em frente e tenha uma ótima leitura!

Conflitos: definição

Segundo o dicionário, conflitos são o resultado de uma profunda falta de entendimento entre duas ou mais partes. Quando essas partes pertencem a nós mesmos, surgem os conflitos internos: uma espécie de briga interior que travamos entre as nossas razões e emoções mais íntimas e que deflagram sentimentos ruins. Essa desarmonia mental traz angústia e leva a pessoa a viver em um constante dilema entre o que deseja e o que pode realizar.

Quando os conflitos são externos, os problemas residem na casa dos relacionamentos interpessoais e na dificuldade do ser humano em manter relações positivas com as pessoas à sua volta. Assim, o embate de ideias, comportamentos, valores e crenças acaba por minar as relações e prejudicar os resultados profissionais e pessoais da pessoa.

Conflitos internos e a sua importância

Exemplos de conflitos internos são: manter a dieta e ir para academia ou ficar em casa e comer uma barra de chocolate inteira? Mudar de trabalho ou permanecer na empresa atual? Investir na carreira ou viajar pelo mundo? Os conflitos internos dizem respeito às nossas vontades e ao modo como lidamos com elas. Para resolvê-los de maneira assertiva, precisamos entender quem somos; saber qual é o nosso estado atual e definir o nosso estado desejado.

Geralmente, o ser humano trata os seus conflitos como problemas, quando, na verdade, eles são as suas principais fontes de crescimento. Então, você se pergunta: como assim? A verdade é que não conhecemos o nosso potencial infinito até sermos confrontados pelas nossas limitações, ou seja, até que o problema ocorra, nós não conhecemos a melhor solução.

PSC Renascimento

Entretanto, a partir do momento em que estamos diante do conflito, nos é dada a oportunidade de pensar, avaliar, refletir e definir as melhores formas de solucioná-lo. Esses conflitos internos — que estão dentro da nossa mente, falando ao nosso ouvido, e que nos questionam veementemente sobre o que fazer — são parte essencial do nosso processo de crescimento.

Principais tipos de conflito

Além da clássica dicotomia entre conflitos internos e externos, também podemos classificar os tipos de conflitos quanto às temáticas, ou seja, quanto aos assuntos que eles abordam, conforme você vai conferir na sequência.

  • Conflitos de comportamento

Dizem respeito ao dilema do indivíduo em relação aos seus comportamentos e reside em tomar uma decisão, isto é, fazer uma escolha em detrimento de outra. Por exemplo: ir ao supermercado com a esposa ou sair para jogar futebol com os amigos? Aceitar ou não uma proposta de emprego? Namorar um ou o outro? Comprar uma casa ou um apartamento? São dilemas que nos convidam à reflexão, pesando os prós e contras de cada alternativa — o que nos conduz a uma decisão mais sábia.

  • Conflitos de habilidades

Criatividade ou conservadorismo? Cautela ou risco? Liberdade ou restrição? Ousadia ou prudência? Esses são alguns exemplos em que há o conflito de habilidades e desejos.

No nosso dia a dia profissional, muitas vezes, nos vemos em situações em que não podemos exercer, ao mesmo tempo, todas as nossas competências. Isso nos faz ter que escolher qual habilidade melhor se encaixa em cada momento. Há circunstâncias, por exemplo, que demandam mais ousadia, mas há outras que demandam mais prudência. Tudo depende de como lemos o contexto vivenciado.

  • Conflitos de crenças e valores

Quando a decisão ou ação a ser executada conflita diretamente com o seu sistema de crenças e valores, com aquilo que acredita ser o certo e lhe causa dificuldade para chegar a uma resolução, trata-se de um conflito de crenças. Por exemplo: querer conhecer um restaurante novo, mas não querer pagar o valor dos pratos que você considera caros demais; trabalhar em uma empresa que paga um bom salário, mas que tem costumes e regras muito diferentes dos seus hábitos, e por aí vai.

Esse é um dos tipos mais comuns de conflitos, tanto internos como externos. A verdade é que boa parte das discussões entre as pessoas na sociedade, e até mesmo entre os países nas guerras da História, tiveram crenças e valores divergentes como causa.

  • Conflitos de identidade

No que tange à identidade, esse tipo de conflito está relacionado ao nosso papel no mundo e às responsabilidades pessoais e profissionais que devemos ou não escolher assumir. Podemos, aqui, sofrer o conflito tanto para conciliar papéis como também para renunciar a alguns outros ao longo da nossa vida.

Por exemplo: tentar conciliar maternidade e carreira ou focar apenas em uma das atividades por vez? Ser um profissional de sucesso ou um pai mais presente? Continuar na carreira de formação, estável e infeliz, ou mudar totalmente de profissão, começar do zero e fazer o que gosta? Fingir para tentar agradar a todo mundo ou ser quem você de fato é para ser feliz?

Como você pode perceber, os conflitos têm diversas causas temáticas, podendo se manifestar entre diferentes pessoas ou dentro da mente de um único indivíduo. Se houver maturidade, podemos fazer dos conflitos oportunidades de reflexões mais profundas para tomarmos decisões mais sábias. No entanto, isso demanda flexibilidade, empatia e capacidade de ouvir o outro.

E você, ser de luz, por quais desses conflitos você passa? Já parou para pensar em como pode resolvê-los? Saiba que o processo de Coaching é um poderoso aliado no seu processo de autoconhecimento, na resolução de conflitos internos e externos e na potencialização de resultados. Fica a dica: use o coaching a seu favor e resolva os conflitos que prejudicam você!

Gostou deste conteúdo? Então, deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!