A produtividade é a capacidade que uma pessoa, equipe ou empresa tem de trabalhar em boa quantidade em um determinado período de tempo. Assim, se dois funcionários trabalham 8 horas por dia, mas um produz 15 peças, enquanto o outro produz 13, é fato que o primeiro é mais produtivo do que o segundo nesse intervalo de tempo.

Ser produtivo, portanto, significa aproveitar bem o tempo que temos à nossa disposição para fazer aquilo que queremos ou que precisamos. No entanto, ser produtivo é diferente de ser apressado, pois, nesse último caso, a qualidade do que fazemos pode decair, o que não faz parte de uma postura verdadeiramente produtiva.

Assim, a produtividade, desde que não comprometa a qualidade, é algo desejado por qualquer pessoa, especialmente nos tempos que temos vivido, em que o tempo parece ter se tornado um recurso escasso. Neste artigo, selecionamos os 6 principais inimigos da produtividade, que precisam ser combatidos para que você aproveite melhor o seu tempo. Confira-os a seguir e tenha uma boa leitura!

1. Dificuldade de dizer “não”

Muitas pessoas acreditam que dizer “não” a um chefe, colega, amigo ou familiar vai desencadear uma enxurrada de críticas e consequências catastróficas à sua imagem. Não vamos negar que, dependendo do contexto, isso pode acontecer, mas é importante que você saiba definir os seus limites, pois ninguém fará isso por você.

As pessoas precisam aprender a ouvir e também a dizer a palavra “não”. Quando uma pessoa assume uma responsabilidade que não dará conta, o resultado pode ser ainda pior do que se tivesse dito “não” de início. A produtividade é uma questão que depende da nossa capacidade de agir ao longo do tempo, o que fica comprometido diante do excesso de tarefas.

Além disso, ver uma pilha de coisas para fazer se acumulando em sua mesa desempenha também um terrível efeito psicológico, que é a pressão. Quando ela surge, pode aparecer um estresse tão intenso que, em vez de estimular a pessoa na execução das atividades, a paralisa diante de tanta coisa que precisa fazer.

2. Interrupções constantes e distrações

Já aconteceu de você começar a fazer algo e precisar parar para atender ao telefone, conversar com um colega, responder a um e-mail ou checar as notificações recebidas na rede social? Se sim, saiba que as interrupções e as distrações estão entre as grandes vilãs da produtividade.

PSC

Por isso, procure reservar um tempo e um lugar específicos para dar conta das suas atividades, de preferência colocando o celular no modo silencioso, desativando as notificações e avisando as pessoas que convivem com você de que não o interrompam, exceto em caso de emergência.

Além do mais, se você estiver em casa, evite trabalhar no quarto, por exemplo, onde a cama e a televisão certamente parecerão muito mais atraentes do que as suas obrigações. Corte o mal pela raiz e livre-se de todas as “tentações”.

3. Desorganização e falta de planejamento

Quer ver outras situações em que você vê a produtividade ir embora? Um exemplo ocorre quando você começa a trabalhar no computador e não se lembra onde salvou os seus arquivos, iniciando uma busca estressante e demorada pelas pastas da sua área de trabalho. Outra situação é quando você se senta para fazer um resumo de um livro, mas simplesmente não se lembra onde deixou o livro, onde está o seu caderno e onde tem uma caneta que você possa utilizar.

Isso revela o quanto a bagunça pode ser prejudicial ao andamento das suas atividades. Assim, antes de iniciá-las, certifique-se de que todos os materiais necessários — físicos e/ou digitais — estejam em fácil acesso.

Por fim, procure planejar a sua rotina. Tenha uma agenda, de modo que você possa distribuir as suas atividades em dias e horários, sem que você fique sobrecarregado em alguns momentos e ocioso em outros.

4. Comportamento multitarefa

Existe um termo em inglês chamado multitasking, traduzido para o português como “multitarefa”. Esse conceito consiste no ato de querer fazer várias coisas ao mesmo tempo. Ainda que algumas pessoas aleguem que isso é possível e que é até mesmo uma característica a ser valorizada na sociedade e no mercado de trabalho, esse processo não é vantajoso.

De acordo com a neurociência, a multitarefa é uma falácia. A pessoa que faz diferentes atividades ao mesmo tempo dificilmente entregará a qualidade necessária em todas elas. Além disso, a mente precisa de algum tempo para concentrar-se em um determinado processo, de modo que ficar alternando constantemente entre uma tarefa e outra demandará um esforço muito grande do cérebro para que retome o “fio da meada” em cada uma delas.

Paradoxalmente, a multitarefa faz com que as atividades demorem mais tempo para que sejam realizadas, além de provocarem um grande cansaço físico e mental devido ao esforço citado acima.

5. Procrastinação

Todo mundo procrastina, de vez em quando, pois acreditamos que haverá algum momento futuro em que estaremos mais preparados para realizar a atividade. Às vezes, isso pode até fazer sentido, mas não quer dizer que devemos ficar sempre adiando e aguardando a chegada do “momento perfeito”, pois ele não existe.

A dica, portanto, é preparar-se naquilo que for possível, mas não tardar em iniciar o que precisa ser feito. Além disso, entenda que, se você tem um grande objetivo, olhá-lo de frente pode ser ameaçador, mas dividi-lo em metas menores, torna o processo mais acessível e menos assustador. É melhor pensar em escrever 4 artigos por dia, por exemplo, do que 80 artigos no mês, não é mesmo? A meta é a mesma, mas o olhar não é tão desafiador.

Além do mais, monitorar o progresso aos pouquinhos evita o imediatismo e promove aquela gostosa sensação de que estamos caminhando e de que o dever está sendo cumprido, sem correria.

6. Rigidez excessiva

Quer mais um paradoxo da produtividade? A rigidez em excesso na sua rotina pode fazer com que a sua produtividade caia. Isso não quer dizer que a disciplina não seja importante. Muito pelo contrário, necessitamos dela para fazer o que deve ser feito em um bom tempo. No entanto, precisamos saber a hora de ser flexível.

Se você definir metas muito audaciosas, como escrever 7 artigos por dia, vai chegar uma hora em que você não vai conseguir manter essa produção. É preciso que reconheçamos os nossos limites físicos e mentais. Subir o sarrafo a um lugar inalcançável deixa de ser estimulante e começa a produzir uma sensação de frustração e de incapacidade.

Se isso se estender em longo prazo, a rigidez excessiva pode até levar a uma desistência. Os nutricionistas, por exemplo, afirmam que é extremamente difícil que uma pessoa sustente por muito tempo uma dieta muito restritiva. É melhor conhecer os seus limites e não forçar a barra.

Os 6 elementos acima são os grandes inimigos da produtividade, que precisam ser evitados. Resumidamente, aprenda a dizer “não”, planeje a sua rotina, organize o seu ambiente de trabalho, faça uma coisa de cada vez, não procrastine e reconheça os seus limites com flexibilidade. Assim, você será uma pessoa mais produtiva, sem que tenha que se sacrificar ou sofrer para conseguir bons resultados!

Agora responda: qual desses é o seu maior inimigo no que diz respeito à produtividade? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Por fim, que tal levar esta reflexão a todos os seus amigos, colegas, familiares e a quem mais possa se beneficiar dela? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!