Família reunida após sessão de Constelação Familiar

Wakebreakmedia/Shutterstock A Constelação Familiar ajuda as famílias a serem ainda melhores. Entenda como!

A conhecida “Terapia Familiar Sistêmica” ou apenas Constelação Familiar, foi criada pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger. Ele próprio afirma ter se baseado e outras formas de terapias em grupo como o Psicodrama, de Levy Moreno. Contudo, mesmo se baseando em outras formas, Hellinger alcançou um resultado surpreendente. Tanto pelos seus efeitos, quanto pela forma rápida com que essa técnica se disseminou pelo mundo.

As influências que levaram à Constelação Familiar são muitas, mas com certeza as mais evidentes são: a observação das relações que algumas etnias africanas mantêm com seus antepassados e a influência desses antepassados na vida das pessoas e das sociedades e o trabalho sob a filosofia de Heidegger, no campo da fenomenologia.

Quer vivenciar uma oportunidade extraordinária na sua vida?
Acesse o meu curso “Introdução ao Coaching”,
é um presente!

Por Dentro da Constelação Familiar – O Que é e Como Funciona?

O primeiro porque Hellinger era missionário na África e segundo porque a prática da Constelação é algo completamente empírico, único, fenomenológico. Cada constelação será única e irrepetível.  Em linhas gerais, há uma compreensão suprema que rege o entendimento sobre as Constelações Familiares – como filosofia e como prática. Essa compreensão é:

Ao vir ao mundo no seio de uma família, não herdamos somente o patrimônio genético, mas sistemas de crenças e esquemas de comportamento. Nossa família é um campo de energia no interior do qual nós evoluímos. (MANNÉ, 2008, p.15)

Segundo Hellinger, todos nós possuímos problemas, características e cargas emocionais que nem sempre sabemos qual a sua origem. Acontece que, muitas vezes, sem saber, essas nossas dificuldades vêm de nossos sistemas familiares, e é isso que a Constelação Familiar estuda.

O nome “constelação familiar” é estrategicamente pensado em uma constelação de estrelas, pois define um grupo de elementos que se relacionam em um mesmo sistema que se pertence e permanece unido.  A constelação é como uma rede em que você está apenas como um nó e afeta e é afetado por toda a trama da rede. Na constelação essa rede é refeita e as soluções ocorrem na vivência.

Na prática, a Constelação Familiar mostra como muitos de nossos problemas, doenças, incompreensões e sentimentos podem estar ligados a outros familiares que passaram por essas mesmas adversidades, mesmo que não tenhamos conhecido os mesmos. São esquemas familiares imemoriais, no qual somos mantidos sem termos consciência.

As coisas são como são

Quando se propõe a abertura de uma constelação em qualquer situação de grupo (seja em Coaching ou em terapia) é importante saber que esse trabalho deve partir de uma aceitação absoluta da situação. As coisas são como são. O que aconteceu está acontecido. Cada julgamento abre uma nova ferida, em vez de sarar as que já existem.

Aceitar as coisas como são é, em primeiro lugar, a garantia de ter lucidez suficiente para lidar com a situação. Enquanto estivermos revoltados, tristes, demasiadamente críticos, fazendo julgamentos e pensando “eu podia ter feito diferente”, estaremos incapazes de olhar para as situações, aceita-las e curá-las. Aceite o mundo como ele é e as pessoas como elas são.

Quando nos deparamos com uma coisa abominável, um crime, um desastre natural, uma atitude imoral devemos entender que isso é um aspecto do mundo e das pessoas. Nem menos nem mais que isso. O mesmo acontece diante de algo maravilhoso. Sem aceitar e compreender a constelação não criará o campo de energia essencial para que as curas e as mudanças aconteçam.

Só a aceitação, a compreensão e a ausência de julgamentos serão capazes de agregar a harmonia necessária para alinhar a rede familiar e de existência de cada ser.