Você já ouviu falar em antroposofia? Trata-se de um método de conhecimento da natureza, do ser humano e do universo, que amplia o método científico tradicional. Criada no fim do século XIX/início do século XX, a antroposofia tem desdobramentos importantes em diferentes áreas na atualidade. Essa corrente filosófica é apontada pelo seu fundador como um caminho em busca da verdade, ou uma “ciência espiritual”, em oposição à tradicional separação existente entre a fé e a ciência.

Longe de ser mística, religiosa, mediúnica, moralista ou dogmática, a antroposofia também não é uma seita ou sociedade secreta, mas apenas uma visão de mundo mais completa. Ficou curioso para conhecer melhor essas ideias? Então, continue a leitura a seguir e saiba mais sobre a antroposofia e os seus conceitos-chave!

O conceito de antroposofia

A antroposofia é uma palavra derivada do grego, na junção de 2 termos: anthropós, que significa homem, e sophia, que significa sabedoria. A antroposofia pode ser definida como uma filosofia de vida que traz em si pensamentos científicos, artísticos e espirituais em uma unidade e que responde às inquirições mais imutáveis do homem moderno sobre si, bem como sobre as suas relações com o universo.

Essa corrente foi criada pelo filósofo austríaco Rudolf Steiner (1861–1925). A antroposofia é uma filosofia, um modo de conhecimento que aporta o ser humano em seus graus físico, espiritual, vital e anímico. Ela retrata como essas naturezas, bastante diferentes entre si, agem em permanente inter-relação.

É uma ciência que se importa com os processos físicos mencionados pelas ciências naturais, mas também por todos os processos que não podem ser fisicamente mensuráveis. Essa extensa e estruturada compreensão, acerca do ser humano e das suas relações com o universo, trouxe um significativo desenvolvimento a todas as áreas práticas da sociedade, cooperando, com as suas invenções, para uma vida humana mais íntegra.

10 princípios básicos para entender a antroposofia

  1. Abrangência: a antroposofia é uma união de todos os conhecimentos da humanidade, procurando mostrar como eles estão integrados. Não é à toa que essa corrente tem desdobramentos sobre a ciência, a espiritualidade, a educação, a medicina, entre outras áreas.
  2. Edifício conceitual: essa área do saber se estrutura com base na explicação de conceitos-chave, que se referem ao pensar e à sede de conhecimento e de compreensão que caracteriza o homem contemporâneo.
  3. Espiritualismo: a antroposofia entende que o universo não é composto exclusivamente por matéria e energia, sobre os quais já há comprovação científica. Entende que, além da matéria, existem também “substâncias espirituais” por todo o universo.
  4. Antropocentrismo: a antroposofia acredita que o ser humano deve compreender a si mesmo, como ponto de partida para compreender a totalidade do universo, tanto físico quanto espiritual.
  5. Órgãos de percepção supra-sensorial: a antroposofia acredita que existam nos seres humanos órgãos latentes para a percepção do mundo espiritual, como o que as pessoas já chamam de intuição. A meditação antroposófica auxilia no desenvolvimento desses órgãos.
  6. Preservação das principais características humanas: a antroposofia propõe a preservação e o desenvolvimento da consciência humana, da autoconsciência, da individualidade e da liberdade.
  7. Cosmovisão aberta: o trabalho de Steiner sempre foi aberto e acessível a quem quiser conhecê-lo. Os seus livros e palestras são continuamente publicados pelos seus seguidores, de modo que não existe nada de secreto nessa corrente.
  8. Perspectiva histórica: a antroposofia entende que a História é importante para compreendermos as origens do universo. Para isso, ela valida não apenas o conhecimento científico, mas também os livros sagrados e a filosofia da Antiguidade como meios de compreender e acompanhar a evolução física e espiritual do ser humano e do universo.
  9. Renovação da pesquisa científica: a antroposofia se propõe a ser uma evolução do método científico proposto por Goethe. Ela compreende que a pesquisa científica precisa ser mais humana, ou seja, coerente com a natureza para explicar as origens dos fenômenos naturais, incluindo as plantas, os animais e o próprio ser humano.
  10. Desenvolvimento moral: por fim, a antroposofia entende que não há evolução física e espiritual sem o desenvolvimento moral. Por isso, o amor, o altruísmo e a liberdade são valores a serem defendidos pelos seres humanos em toda a Terra, sendo frutos do conhecimento, e não da imposição de leis e mandamentos.

A antroposofia no Brasil e no mundo

A antroposofia chegou ao Brasil por meio de alguns imigrantes europeus, em 1939. Na cidade de São Paulo, esse movimento aumentou muito e se estabeleceu, começando, dessa forma, a atravessar e conduzir várias atividades profissionais.

O auxílio de médicos, cientistas, sociólogos e outros profissionais de várias áreas, que se orientam por meio dos princípios antroposóficos, ajuda a fortalecer e aumentar o abarcamento do movimento, que sugere criar o conhecimento científico com uma visão artística, humanizada e mais espiritualizada.

PSC Renascimento

Na década de 1990, a ciência passa a se aproximar cada vez mais daquilo que Rudolf Steiner chama de “a compreensão mais elevada das coisas”. As interrogações estudadas pela antroposofia foram, de modo oficial, anunciadas no âmbito científico a partir de 1986, pela UNESCO, no congresso de Veneza, onde foi indicada a desigualdade entre os avanços tecnológicos e a qualidade de vida das pessoas e da sociedade.

Em 1994, aconteceu o primeiro Congresso Mundial de Multidisciplinaridade, com a coordenação do sociólogo Edgar Morin, Lima Freitas (artista) e Nicolescu (físico), onde se discutiu a utilidade de o homem moderno procurar novos princípios espirituais para a vida.

Ao falar sobre antroposofia, é essencial conhecer duas áreas importantes geradas por ela: a medicina antroposófica e a pedagogia Waldorf, que veremos na continuação, em outro artigo postado neste blog — com medicina antroposófica e pedagogia Waldorf. Então, se você quer saber ainda mais sobre essas duas vertentes relacionadas a este fascinante assunto, continue acompanhado o blog e saiba tudo sobre a antroposofia!

Gostou deste conteúdo? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!