A depressão é uma doença muito séria e que demanda tratamento imediato. Ela pode acontecer com qualquer pessoa em qualquer fase da vida: um amigo, um familiar, um vizinho e até mesmo um colega de trabalho. Por isso, é importante que sejamos mais sensíveis e atentos às pessoas que estão ao nosso redor para identificar esse problema e ajudá-las, como for possível.

Se você tem um colega de trabalho que pode estar deprimido, é importante ouvi-lo e tentar ajudá-lo. Em primeiro lugar, é necessário fazê-lo reconhecer o problema, já que os sintomas de um transtorno mental não são tão claros quanto os de uma doença física. Neste artigo, você vai entender como podemos ajudar as pessoas que vivem essa situação tão delicada. Boa leitura!

Como identificar um colega de trabalho deprimido?

Em geral, os sintomas da depressão são conhecidos, como a tristeza que dura mais do que o normal, a desmotivação, o pessimismo e uma sensação de falta de energia para o dia a dia. Contudo, nem sempre os casos se mostram assim de forma tão clássica. Por isso, fique atento se o seu colega de trabalho apresentar algum dos comportamentos acima:

  • Faltar ou atrasar-se em frequência maior do que o normal;
  • Apresentar uma postura mais introspectiva e quieta do que de costume;
  • Demonstrar falta de atenção ou cometer erros que não costumava cometer;
  • Não mostrar ânimo ou motivação com o trabalho e até mesmo com as interações entre os colegas nas pausas e horários de refeições;
  • Apresentar uma sensibilidade acima do comum ao receber críticas;
  • Desabafar sobre problemas pessoais ou profissionais de forma catastrófica, como se não houvesse esperança.

Como ajudar essa pessoa?

Se você identificar alguém no seu ambiente de trabalho com esses comportamentos, talvez seja uma boa ideia oferecer o seu apoio e auxílio. Confira 9 dicas importantes nesse sentido.

1. Mantenha a calma e valide os sentimentos do colega

Em primeiro lugar, é importante que você mesmo não se desespere. Mantenha a calma e chame a pessoa para conversar em particular, de preferência em um local e em um momento tranquilos. Pergunte como a pessoa está se sentindo e escute o que ela vai lhe dizer. Não seja insistente, mas apenas mostre que você está ali para ajudá-la. Lembre-se de validar os sentimentos do colega, ou seja, de afirmar que é normal as pessoas sentirem-se “pra baixo” em algumas situações da vida.

2. Compartilhe experiências

Se você já teve depressão ou se conhece casos de pessoas que tiveram, pode ser uma boa ideia compartilhar essas histórias, focando, é claro, naquilo que essas pessoas fizeram para superar o problema. Essas histórias mostram à pessoa que ela não está sozinha e também que é possível vencer esse obstáculo. Abrir o seu coração pode ser um estímulo para que o colega deprimido aja da mesma forma. Assim, você falará, mas também dará espaço para que ele desabafe e explique o que sente.

3. Fique atento aos sinais

PSC Renascimento

Os sinais acima descritos são sintomas que podem ser identificados entre pessoas deprimidas, especialmente nos ambientes de trabalho. Você deve ficar especialmente alerta se notar alguma frase que indique tendências suicidas. Frases do tipo “não vale a pena viver” ou “eu queria sumir para sempre” não devem ser deixadas de lado. Nesse caso, afaste a pessoa de objetos cortantes, substâncias químicas, remédios, enfim, aquilo que possa representar algum risco potencial.

4. Jamais subestime o problema

“Isso é frescura”, “não é nada”, “já vai passar” e “a vida é assim mesmo” são frases que não contribuem em nada para que a pessoa se sinta melhor. Ao contrário: se você subestima o problema, pode levar o indivíduo a sentir-se fraco por sofrer “sem motivo” (no seu ponto de vista). Mostre à pessoa que você acredita que ela esteja realmente se sentindo mal, e que a depressão é uma doença que pode afetar qualquer pessoa. Contudo, conforte-a, dizendo que existe solução para isso e que ela não está sozinha.

5. Respeite o tempo e o espaço do colega

Falar sobre sintomas depressivos não é como falar sobre o jogo de futebol do domingo passado. Isso envolve abrir o coração e mostrar-se vulnerável, o que pode ser difícil para muitas pessoas. Portanto, seja paciente. Mesmo que a pessoa não queira falar nada, apenas mostre que você está ali para ouvi-la quando ela quiser comentar sobre o problema. Talvez o colega queira ficar sozinho, organizar os próprios pensamentos e reunir coragem para falar sobre o assunto. Seja paciente e respeite esse tempo.

6. Faça-se presente

Respeitar o tempo do colega, porém, é diferente de vê-lo isolar-se cada vez mais e não fazer nada a respeito. Evite que ele almoce sozinho, por exemplo. Convide-o para almoçar com você ou para caminhar nos arredores da empresa para dar uma espairecida. Coloque-se como um amigo com o qual ele sempre pode contar. Se o seu colega de trabalho mora sozinho, em especial, tente visitá-lo de vez em quando, de modo que ele não caia em uma solidão profunda.

7. Não se magoe com reclamações recebidas

A depressão apresenta alguns sintomas específicos, como a irritabilidade. Assim, mesmo que você esteja tentando ajudar a pessoa com a melhor das intenções, pode ser que ela se incomode em algum momento e dê a você uma resposta que o magoe. Não leve isso em consideração, pois o sofrimento pode deixar algumas pessoas mais agressivas. Entretanto, não desista do seu colega nesse caso. Apenas afaste-se, dê a ele o espaço que ele deseja e converse novamente mais tarde. Tudo se resolve.

8. Incentive a pessoa ao tratamento

Essa é a dica mais importante desta lista. Explique à pessoa que existe tratamento para a depressão. Esse tratamento se faz, inicialmente, com a psicoterapia e, se houver necessidade, com o tratamento medicamentoso. Tanto as terapias atuais quanto as medicações existentes são métodos de tratamento seguros e eficazes. Incentive a pessoa a procurar ajuda e, se desejar, acompanhe-a nas consultas. Lembre-a de que fazer terapia e tomar remédios não são sinais de fraqueza, mas de vontade de melhorar!

9. Motive a pessoa a encontrar prazer no dia a dia

Um dos sinais típicos da depressão é a perda de prazer, mesmo em atividades que antes eram consideradas prazerosas. Por isso, incentive o colega a ter vida social, a ter hobbies, enfim, a fazer atividades que costumam deixá-lo feliz. Apenas não exagere: motivar é diferente de insistir ou forçar, OK?

As 9 dicas acima são exemplos de comportamentos úteis para que você identifique e ajude um colega de trabalho que esteja em depressão, ou com algum transtorno da mente que necessite de uma atenção especial. Coloque-as em prática e seja solidário!

E você, querida pessoa, já enfrentou algum episódio depressivo ou já ajudou alguém nessa situação? Compartilhe a sua experiência no espaço abaixo, pois isso pode ajudar mais gente do que você imagina! Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!