Tudo aquilo que fazemos ou que possuímos envolve dinheiro. Gostando ou não, o fato é que uma parte considerável da nossa qualidade de vida depende dele. Portanto, é muito importante que saibamos economizar os nossos recursos financeiros — tanto para realizar os nossos sonhos, quanto para que estejamos preparados em caso de emergência.

No entanto, essa tarefa pode ser bastante complicada. Se economizar dinheiro é um desafio para você, continue a leitura deste artigo e confira 10 dicas que podem te ajudar nesse sentido. São alguns hábitos a serem adquiridos ou modificados para transformar o seu bolso!

Conheça a metodologia capaz de potencializar seus resultados!
Clique aqui e acesse meu ebook “Leader Coach”, é um presente!

1. Conheça a sua realidade financeira

A maior parte das pessoas se complica financeiramente pelo simples fato de não saber como está a sua situação. No Brasil, a educação financeira não é um assunto difundido, de modo que muita gente não faz um acompanhamento, mas ele é essencial.

É preciso que você coloque numa planilha, todos os meses, tudo aquilo que você gasta e tudo aquilo que você ganha. Tudo mesmo, sem deixar passar nem uma bala! Depois, verifique se a sua conta está fechando. É preciso que você sempre ganhe mais do que gasta. Só isso te livrará do endividamento e permitirá que você consiga economizar.

2. Estabeleça prioridades e corte supérfluos

Depois de montar a sua planilha, é necessário que você agrupe todos os seus gastos por categorias. Há categorias que são consideradas essenciais, ou seja, sem as quais não podemos viver. É o caso de: moradia, alimentação, saúde, vestuário, educação, transporte, água, eletricidade, seguros e lazer.

No entanto, há gastos que estão fora dessas categorias (ou mesmo alguns que fazem parte delas!) que podem ser excluídos de vez ou reduzidos. Será que aquela viagem que você fez com um motorista de aplicativo não poderia ter sido realizada de ônibus? Trata-se de um gasto supérfluo, ou seja, que é bacana, mas que poderia ter sido feito de uma maneira mais econômica!

3. Adote novos hábitos

PSC

Substituir o transporte particular pelo público é apenas uma das várias medidas que você pode tomar para economizar. Há outros hábitos que podem ser muito benéficos para o seu bolso, como:

  • Comprar roupas em brechós de confiança — você pode até mesmo encontrar roupas de marca por preços mais baixos;
  • Cozinhar em casa e levar marmita ao trabalho;
  • Jamais desperdiçar comida;
  • Trocar de aparelhos eletrônicos apenas quando eles quebrarem;
  • Assistir a filmes com os amigos em casa, ao invés de ir ao cinema;
  • Sair de casa apenas com dinheiro contado (em espécie, sem cartão);
  • Pesquisar passeios gratuitos aos fins de semana.

Se essas tarefas lhe parecerem sacrifícios, recorra às suas motivações e lembre-se dos seus objetivos maiores na vida. O que é mais importante: comprar o apartamento dos sonhos ou ir ao cinema?

4. Pesquise preços

Outro hábito que você precisa adotar é o de pesquisar preços — tanto que separamos esse hábito dos demais! Se você estiver andando pela rua e encontrar algo que chame a sua atenção e que você tenha a intenção de comprar, contenha os seus impulsos.

Antes de fazer qualquer compra, planeje-a. Com um computador ou um celular, acesse os sites de busca e consulte os preços do produto que você deseja em diversas lojas. Verifique em qual delas os preços estão mais baixos e se há diferenças entre as lojas online e as lojas físicas. Também leve em consideração a cobrança de frete. Depois de somar todos esses fatores, encontre a opção de compra que oferece o melhor custo-benefício.

Nesse sentido, também é importante conhecer as marcas. Não é porque algo é mais caro que necessariamente oferecerá a você a melhor solução.

5. Saiba negociar

Ao realizar uma compra, verifique todas as possibilidades de pagamento que a empresa oferece. Pode ser que, ao pagar em dinheiro “vivo” ou à vista, você consiga bons descontos. Além disso, não tenha medo nem vergonha de pechinchar. O “não” você já tem, então, pergunte ao vendedor tudo o que ele pode fazer por você.

Por falar em parcelas, evite-as. Elas costumam ter juros que pesam no bolso, mas, mesmo que não tenham, parcelas a se perder de vista podem fazer uma bagunça no seu planejamento financeiro mensal. As pessoas esquecem-se do parcelamento que fizeram no mês passado e já partem para um novo, complicando ainda mais a sua situação. Prefira juntar dinheiro e comprar à vista.

6. Fique atento às promoções

Hoje em dia, não faltam empresas dispostas a fazer ações promocionais para conquistar e/ou fidelizar os seus clientes. Fique atento a elas. Você pode obter um belo desconto se recomendar a marca a um amigo, se fechar negócio em grupo, se utilizar um cupom, se acumular milhas ou pontos no cartão, e por aí vai. Participar dessas promoções pode parecer algo de pouca importância, mas faz muita diferença ao fim do mês.

Além disso, também é importante atentar-se ao melhor momento de compra. Roupas de frio e edredons tendem a ser mais baratos no verão. Roupas de praia tendem a ser mais baratas no inverno. Pense sempre na oferta e na demanda para decidir a melhor hora de comprar algo.

7. Fale sobre dinheiro sem medo

É preciso desconstruir a ideia de que o dinheiro é um assunto sujo ou pecaminoso. É claro que nós não podemos ficar apegados materialmente, mas precisamos falar sobre esse tema, pois ele faz parte da vida. Por isso, é muito importante que os casais conversem sobre o tema para alinhar os seus objetivos financeiros e as estratégias para alcançá-los.

O mesmo vale para os filhos. É preciso explicar-lhes como o dinheiro é obtido e por que é necessário utilizá-lo com sabedoria. Dizer “não” aos pequenos pode ser difícil, mas é necessário para que a família prospere financeiramente e também para que eles tornem-se adultos conscientes nesse assunto.

8.  Pague as contas em dia

Você sabia que, diariamente, muitos brasileiros perdem dinheiro simplesmente por causa das multas decorrentes de contas em atraso? Para que isso não aconteça com você, deixe as suas contas organizadas, colocando as datas de cada uma delas na sua planilha.

Se você faz parte do time dos esquecidinhos, verifique a possibilidade de deixar a cobrança no débito automático. Assim, você não precisa se preocupar com a possibilidade de esquecer. Apenas verifique se o débito foi efetuado.

9. Renegocie as suas dívidas

Se você já estiver endividado, saiba que quitar as suas dívidas deve ser a sua prioridade máxima. Não é o momento de investir, pois, no Brasil, não há nenhum investimento com rendimentos que superem os juros de uma dívida.

Assim, entre em contato com os seus credores e gerentes do banco. Aproveite os eventos como “feirão limpa nome” para renegociar as suas dívidas, ao menos a fim de obter juros menores. Por fim aprenda com a dor e não se esqueça: é melhor prevenir as dívidas do que remediá-las. Portanto, evite os empréstimos, não utilize o cheque especial e não parcele as faturas do cartão, OK?

10. Encontre meios de obter renda extra

Por fim, não se descuide da sua carreira e dos seus estudos. Você já parou para pensar que um curso online e grátis pode oferecer um conhecimento importante para a sua carreira e permitir que o seu chefe conceda aquele aumento salarial que você tanto deseja? Invista em sua formação e converse sobre as possibilidades de crescimento em seu local de trabalho.

Além disso, procure diversificar as suas fontes de renda. Será que há alguma atividade que você pode realizar no seu tempo livre para ganhar um dinheiro extra? Há pessoas oferecendo freelas, consultorias, artesanato, doces, roupas em desuso, revendas de produtos, lojas virtuais, aulas particulares, e por aí vai. Utilize os seus talentos para transformá-los em dinheiro!

E você, tem mais alguma dica para economizar? Então, deixe-a num comentário no espaço abaixo. Além disso, não se esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Assim, você ajudará todos os seus amigos, colegas, familiares e quem mais estiver precisando destas dicas!