O conceito de ergonomia no trabalho vem sendo cada vez mais difundido pelo reconhecimento de seus inúmeros benefícios. Em linhas gerais, consiste na adequação do ambiente e recursos de trabalho às necessidades do ser humano.

Empresas que investem em ambientes ergonômicos demonstram a valorização dos seus colaboradores e obtêm maior produtividade como resposta. Continue lendo para entender melhor o conceito de ergonomia no trabalho, como ele se aplica na prática e quais seus benefícios.

O que é ergonomia no trabalho?

Você já parou para avaliar como é sua postura física no trabalho? O modo como você se senta? E o jeito como se porta em sua mesa e à frente do computador? Saiba que um bom desempenho profissional vai além e também depende do modo como fazemos a ergonomia na empresa.

Ergonomia se refere à adequação dos recursos e do meio às necessidades de quem realiza as atividades. Embora seja um tema que ganhou forma no século 20, é inegável que a ergonomia acompanha o ser humano desde a pré-história. O homem sempre buscou formas de tornar suas condições laborais alinhadas com suas capacidades físicas. O aperfeiçoamento de ferramentas de caça e defesa é um excelente exemplo de ergonomia em um contexto histórico longínquo.

Ainda que seja um conceito presente na vida do homem desde sempre, a ergonomia somente foi conceituada em 1857. O polonês Wojciech Jarstembowsky foi o primeiro a definir essa ideia. O conceito passou, então, a ser aplicado ao trabalho e a outras atividades rotineiras, como o esporte, por exemplo.

Conquiste resultados extraordinários através do Coaching!
Clique aqui e conheça mais sobre essa poderosa metodologia!

Qual o principal objetivo da ergonomia?

O objetivo central da ergonomia no trabalho é garantir maior conforto para que os colaboradores realizem suas atividades. Porém, vai além, corrigindo erros, prevenindo acidentes e reduzindo riscos laborais. O desenvolvimento de soluções ergonômicas leva em consideração o estudo dos movimentos do corpo, o ambiente de trabalho e os equipamentos utilizados.

PSC

A partir de uma criteriosa análise do ambiente de trabalho é possível identificar a necessidade de melhor sinalização, correção de procedimentos e eliminação de problemas. Ambientes de trabalho ergonômicos contribuem para o aumento da produtividade. Logo, é positivo para as empresas investirem em ergonomia.

Tipos de ergonomia e sua aplicação prática nas empresas

Dentro do amplo campo de estudo da ergonomia existem algumas especializações focadas em questões físicas, cognitivas e organizacionais. Veja, a seguir, cada um desses tipos de ergonomia e sua aplicação na prática.

Ergonomia física

Essa área tem foco na relação entre as atividades realizadas pelo ser humano e suas características físicas, incluindo anatomia, biomecânica, antropometria e fisiologia. Entre os aspectos analisados, estão: posturas, execução de movimentos repetitivos, manuseio de materiais e equipamentos, além de distúrbios musculoesqueléticos.

Nessa área de estudos são feitas análises, como: se a cadeira do escritório contribui para uma boa postura ou se há prejuízo para a saúde do colaborador determinado movimento laboral. A base para a adequação do ambiente e ferramentas ao ser humano é a realização de estudos antropométricos. A antropometria consiste em analisar as medidas do corpo humano, encontrando soluções práticas para evitar problemas posturais.

Fazendo a classificação de biótipos dos funcionários é possível dimensionar equipamentos, ferramentas e máquinas de trabalho. O objetivo é adequar os elementos do ambiente de trabalho às capacidades dos colaboradores de operá-los com segurança e conforto.

Ergonomia cognitiva

Essa área de estudos da ergonomia refere-se aos processos mentais como a memória e o raciocínio. O objetivo é analisar como os colaboradores estão utilizando esses recursos e quais as suas relações com os demais fatores. Entre os fatores analisados estão: confiabilidade, tomada de decisão, carga mental, estresse profissional e interação homem-máquina.

As ações para melhoria da ergonomia cognitiva incluem investimento em capacitação e redução do estresse laboral. Treinamentos de capacitação permitem que os funcionários realizem suas tarefas com mais eficiência e menos desgaste. Medidas que corroboram para uma boa relação entre os colegas de trabalho influenciam para a maior produtividade. Estar inserido em um ambiente tranquilo é fundamental para ser produtivo.

Ergonomia organizacional

A ergonomia organizacional analisa a cultura, os processos e as políticas da companhia. Os colaboradores são entendidos como parte inerente do sistema. Passam por análise nessa área: trabalho em equipe, gestão de qualidade, processos de comunicação, projetos participativos e tempo de trabalho.

Na prática, esse campo da ergonomia pode promover a troca de feedbacks entre os membros das equipes e maior interação entre setores. O foco dessa área da ergonomia está em estudar e intervir na cultura e no clima organizacional da empresa.

O ambiente corporativo deve contribuir para o bem-estar e a saúde dos colaboradores. Alterações no sistema de liderança e melhorias na gestão estão no topo da lista de prioridades da ergonomia organizacional.

Consequências da falta de ergonomia no trabalho

Problemas graves de saúde em decorrência de ruídos, luminosidade excessiva, má postura física, lesões pela repetição de movimentos e enfermidades provenientes do uso inadequado dos equipamentos de proteção individual. Esses são alguns dos principais problemas das organizações que não incluem a ergonomia em seu ambiente de trabalho.

Além de assumir o risco de acidentes, os prejuízos são tanto físicos (para os colaboradores), como financeiros (para a empresa e o governo), pois alguns tipos de lesões causam afastamento e, muitas vezes, a aposentadoria precoce dos profissionais.  Para evitar que isso aconteça, a ergonomia se apresenta como uma forma efetiva de orientar e cuidar dos trabalhadores e, especialmente, garantir que executem seu trabalho de maneira correta.

Dicas para evitar acidentes de trabalho

Um dos aspectos importantes da ergonomia é a prevenção de acidentes de trabalho. Confira algumas dicas para evitar essas intercorrências.

  • Use sempre equipamentos de segurança individual e proteja-se;
  • Respeite as normas de segurança e espalhe estas entre os colegas;
  • Fique atento à sua postura na cadeira, mesa e frente ao computador: se sentir dores na coluna, pescoço e braços, fique atento a esses alertas e procure orientação médica;
  • Se você trabalha em uma área perigosa, exposto ao fogo, peso ou objetos cortantes ou perfurantes, use os equipamentos adequados e fique ainda mais atento ao modo de realizar o trabalho;
  • Caso seu trabalho exija muito esforço físico, esteja atento ao modo de fazer suas funções, respeite seus limites. O exagero pode causar danos irreversíveis a sua coluna.

Você é uma pessoa feliz? Quer uma ajuda pra descobrir?
Acesse nosso Termômetro e descubra como anda sua Felicidade!

Ergonomia no trabalho: quais os benefícios?

O desenvolvimento de programas de ergonomia nas empresas tem como principais objetivos elevar o bem-estar e a saúde dos colaboradores. Com estudos das condições ambientais e psicológicas da organização é possível reduzir os impactos negativos das ações laborais.

Com o passar do tempo, os colaboradores se tornam mais produtivos e realizados. Confira, a seguir, alguns dos principais benefícios de investir na ergonomia no ambiente corporativo.

1 – Aumento da produtividade

Um ambiente de trabalho que oferece as melhores condições físicas e mentais para os colaboradores contribui para o aumento da produtividade. Quando se tem ferramentas adequadas e tranquilidade é muito mais simples se tornar produtivo.

As condições adequadas evitam o surgimento de empecilhos para a realização das tarefas pelos funcionários. Com a promoção de maior concentração é possível desempenhar completamente o seu potencial.

2 – Desenvolvimento de bom clima organizacional

Adequações do ambiente físico, bem como medidas para melhor interação social, promovem um ambiente organizacional mais tranquilo. Os colaboradores que não têm obstáculos para realizar suas atividades tendem a ser menos estressados e ansiosos. Conforme passa o tempo, o clima organizacional se torna cada vez mais tranquilo e positivo.

3 – Maior satisfação

Colaboradores que contam com um ambiente físico confortável e seguro, além de boas condições mentais para trabalhar, tornam-se mais satisfeitos. Tornar a empresa um ambiente agradável para o funcionário é uma forma inteligente de obter o seu melhor desempenho.

4 – Redução de riscos de acidentes de trabalho

A ergonomia no trabalho contribui para a prevenção de uma série de acidentes de trabalho. Além da adequação do manuseio de equipamentos, o processo ergonômico contribui para reduzir o esforço demandado para que as atividades sejam realizadas.

5 – Redução da rotatividade

Empresas que estão constantemente recebendo pedidos de demissão e precisando fazer processos seletivos devem rever sua ergonomia. Condições inadequadas e desconfortáveis de trabalho encabeçam a lista de motivos para o desejo de demissão.

A ergonomia no trabalho tem um papel fundamental para o aumento da produtividade. Inclua essas dicas em seu dia a dia de trabalho e tenha maior segurança e conforto na realização de suas tarefas.

Aproveite para deixar seu comentário sobre o assunto abaixo e compartilhar este conteúdo em suas redes sociais para passar o conhecimento adiante!