Em tempos em que as distrações estão por toda a parte, nas telas de computador, nos smartphones e em outros aparatos eletrônicos conectados à internet, fica difícil manter o foco e a concentração, ainda mais quando recebemos dezenas de notificações a todo instante.

E-mails não param de chegar, o aplicativo de mensagem insiste em tocar, você dá aquela espiadinha nas redes sociais e já se distrai. Em meio a tanta informação, o indivíduo demora em retomar o que estava fazendo, e é aí que a produtividade despenca. Neste artigo, vamos compreender como é possível melhorar a concentração, sob a luz da neurociência. Ficou curioso? Então, continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

A importância da concentração

Quantas vezes você já prometeu a si mesmo que ficaria sem checar a caixa de e-mails e o smartphone, com o objetivo de se concentrar nas suas tarefas? Até mesmo aplicativos já foram criados para que as pessoas mantenham a concentração nas suas atividades — utilizando os recursos eletrônicos disponíveis, maximizando a produtividade e buscando o foco.

O nosso cérebro é uma fantástica máquina, que apresenta milhões de conexões que nos permitem acessar diversas informações ao mesmo tempo, bem como aprender e executar tarefas simultaneamente. Mesmo assim, a concentração ainda é muito importante quando o assunto é a produtividade, a performance e o alcance de objetivos.

Nesse sentido, algumas dicas podem promover a nossa concentração, como: agir com planejamento, focar em uma atividade por vez, desligar ou manter o celular no modo silencioso, sair da caixa de e-mails, evitar outros tipos de distrações (como conversas fúteis), e por aí vai. Entretanto, hoje apresentamos a vocês algumas dicas, relacionadas à neurociência, que ajudam a manter o foco e a ser mais produtivo!

Para ser feliz é preciso viver por um propósito maior. Quer descobrir qual o seu nível de felicidade? Faça o nosso teste!

Dicas da neurociência para ser mais produtivo no trabalho

1. Utilize fones nos ouvidos e aproveite uma boa música

Ouvir música proporciona relaxamento, diminui os ruídos à sua volta e oferece um estado de atenção focada. Assim, procure músicas das quais você goste e que sejam agradáveis aos ouvidos, mas não aquelas que trazem emoções e lembranças fortes, pois podem aumentar os níveis de excitação e tirar seu foco. Para trabalhos mais analíticos, dê preferência aos sons instrumentais. Para quem se afeiçoa ao estilo, a música clássica também é uma boa pedida. Prepare a sua playlist e solte o som!

2. Alimente-se e hidrate-se

PSC

Aquela história de alimentar-se de 3 em 3 horas e beber, no mínimo, 2 litros de água por dia vale não apenas para aqueles que querem manter a forma física, mas também a todos os que querem desenvolver a concentração, uma vez que um estômago roncando vai tirar o seu foco, e a água ajuda no funcionamento do cérebro. O nosso organismo precisa ter energia para realizar as atividades, então, a alimentação e a hidratação devem ser prioridades, pois são combustíveis para o corpo e a mente. Abasteça-se.

3. Mexa-se

Todos sabem que exercitar-se é importante para a saúde e para a longevidade, porém, a atividade física tem também um papel importante para o cérebro. Estudos apontam que atividades aeróbicas ajudam a desenvolver conexões neurais ligadas à memória e à atenção. Além disso, quando você mantém o seu peso e a sua saúde em dia, estará mais preparado para desempenhar atividades intelectuais. Por isso, movimente-se e mantenha-se ativo com regularidade.

4. Esvazie a mente

Meditar é um ótimo exercício para a concentração, pois aumenta as capacidades de foco, memória e tomada de decisões, por meio do acesso às funções cognitivas que esse momento proporciona. 10 minutos diários já são suficientes para fazer essa espécie de “formatação” no cérebro. Então reserve uns minutinhos do seu dia para limpar a mente. Esse exercício estimula o foco e a capacidade de manter-se concentrado em um único fator, sem dar atenção a questões paralelas.

5. Fique atento ao sono

É na hora em que estamos dormindo que o nosso corpo e a nossa mente realizam uma espécie de “reprogramação”. É recomendável que as pessoas durmam em média 8 horas por noite, a fim de que se mantenha uma atividade cerebral regular. Tirar aquele soninho após o almoço também contribui para a concentração, pois recarrega as energias após o cumprimento de uma parte da jornada diária. Então, se planeje para que você possa garantir essas horas de sono e descanso, mantendo a saúde.

6. Faça pausas

Faça pausas rápidas a cada hora. Levante-se, vá ao banheiro, estique o corpo, beba água ou um café. Após 1 hora focada apenas em uma tarefa, a atividade cerebral diminui, e a pessoa pode começar a ter dificuldades para desempenhar as suas tarefas com a mesma qualidade do início. A pausa, todavia, ajudará a retomar a energia perdida. Além disso, nas empresas, esses momentos servem para socializar, trocar uma ideia breve e fortalecer os laços com os colegas. Aproveite!

7. Utilize as mãos

Há quanto tempo você não escreve à mão? A tecnologia nos deixou mal-acostumados, e a escrita à mão se tornou o último recurso. Por isso, faça anotações utilizando papel e caneta. Que tal uma agenda? Ou mesmo um caderninho? Ao escrever utilizando as mãos você terá mais facilidade em memorizar as suas ideias, pois o processo de absorção de informações ocorre de maneira mais profunda.

Aproveite essa técnica para fazer o seu plano de ações: de vida, de carreira, financeiro ou até mesmo de aquisição de bens. Então, mãos à massa!

São atitudes simples e cotidianas, como as citadas acima, que ativam o nosso corpo e a nossa mente, contribuindo para que possamos ter uma vida mais realizada por meio do cumprimento das nossas metas de forma efetiva e com mais agilidade. Concentração, foco, produtividade e alta performance podem se estabelecer com novas conexões neurais, criadas a partir de ações do dia a dia. Essas são as contribuições da neurociência para melhorar a concentração.

E você, ser de luz, coloca as dicas acima em prática? Tem mais alguma orientação para que as pessoas ajam com mais concentração? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!