O dicionário define a palavra “pai” como “o homem em relação aos seus filhos, sejam eles biológicos ou adotivos”. No entanto, com todo respeito aos dicionários, essa definição extremamente técnica e fria não exprime todos os reais significados da paternidade. Como se diz popularmente, para ser pai não basta pôr o filho no mundo. É no dia a dia de formação desse ser que a paternidade se constrói.

Dessa forma, o objetivo deste artigo é mostrar quais são os traços e atitudes que de fato caracterizam um pai — presente, verdadeiro e amoroso, como todo pai deveria ser. Continue a leitura a seguir e descubra o que é ser pai.

1. Compartilhar conhecimentos

Todo pai é responsável pela educação dos seus filhos, tanto quanto a mãe. Assim, o pai é uma ponte entre a criança e o mundo, adquirindo o dever de explicar a ela como é a realidade e como devemos viver. Isso se dá por meio dos ensinamentos e do compartilhamento de conhecimentos.

Mesmo que o pai não seja muito instruído, ele pode e deve compartilhar com o seu sucessor a sua visão de mundo, de certo e de errado, de honestidade, de sucesso profissional, de espiritualidade, de educação, enfim, de como ser alguém feliz de verdade.

2. Dar amor

Engana-se quem pensa que a demonstração de afeto é uma exclusividade das mães. A verdade é que todo pai também deve demonstrar aquilo que sente pelos filhos, o que inclui carinho, afeto, proteção e amor.

Por isso, além de compartilhar os seus conhecimentos, um bom pai também sempre tem uma palavra amiga para dar, seja reconhecendo qualidades, seja aconselhando nos momentos difíceis. Além disso, um abraço ou qualquer outro gesto de afeto pode dizer muito mais do que as palavras. Um bom pai certifica-se de que os seus filhos saibam o quanto eles são amados.

3. Prover estrutura e segurança

PSC Renascimento

Sabemos que o ato de sustentar e cuidar de um filho é uma missão que demanda não apenas a presença do pai, mas também a infraestrutura adequada para que ninguém passe necessidade. Assim, todo pai deve também ser reconhecido pela força do seu trabalho, ou seja, pela sua capacidade de gerar o sustento da família.

Hoje em dia, contudo, vale ressaltar que não se trata de uma exclusividade paterna, já que muitas mães também trabalham para garantir o sustento dos filhos. O ideal é que haja sempre parceria e divisão de tarefas, tanto em casa como nas atividades profissionais, entre pais e mães na criação dos filhos.

4. Inspirar por meio do exemplo

É importante evidenciar que, além das palavras e dos ensinamentos, todo filho também aprende a viver com base naquilo que vê. Por isso, o pai, sendo uma das primeiras referências adultas de qualquer pessoa, deve ser sempre um bom exemplo em atitudes, e não apenas em palavras.

Aliás, os comportamentos de uma pessoa tendem a ser muito mais efetivos no poder do exemplo do que as próprias palavras. Não adianta ter uma teoria rica se a prática não corresponde a ela. Assim, todo pai deve ensinar os filhos com conselhos, mas, acima de tudo, com o exemplo vivo de honestidade, integridade, respeito e amor.

5. Impor limites

É sabido que é dever de um pai amar os filhos. Contudo, muitas vezes, a maior prova de amor de um pai é dizer “não”, ou seja, impor limites. Isso não quer dizer que um pai não sofra por não fazer as vontades de um filho, mas ele compreende que, na vida, precisamos de limites.

Saber lidar com as respostas negativas desde a infância é o que contribui com a formação de um adulto que saberá lidar com as suas frustrações e que desenvolverá a resiliência. Precisamos entender que a vida também é feita de perdas, de obrigações e de respeito aos direitos do outro. Não podemos fazer apenas aquilo que queremos, e cabe ao pai explicar isso aos filhos, por meio da imposição de limites.

6. Ser o melhor amigo, que protege e incentiva

É importante também que o pai saiba ser o melhor amigo dos filhos. Alguém que estará lá para ajudar-lhes em suas dificuldades, compreender os seus medos, tirar as suas dúvidas, enfim, estabelecer uma relação de confiança.

É importante proteger os filhos, alertando-lhes sobre os perigos do mundo, mas sem criar um medo desnecessário. Acima de tudo, um pai deve ser um incentivador de sonhos, alguém que não vive a vida dos filhos, mas que dá a eles a estrutura necessária para que possam crescer, desenvolver-se e lutar para conquistar os seus próprios sonhos.

7. Ser um bom companheiro para a mãe

Infelizmente, ainda há muitos homens que acreditam que lidar com o aspecto financeiro é suficiente para cumprir com as suas obrigações de paternidade. Isso não é verdade. Embora seja uma questão importante, é fundamental que o pai seja um bom companheiro para a mãe de seus filhos, mesmo que não estejam mais juntos em um relacionamento.

Compartilhar os cuidados com o filho, a responsabilidade diante da escola e dos médicos, ser um bom exemplo dentro de casa e ensinar que uma família é baseada em respeito e amor entre todos os membros faz parte das qualidades de um pai de sucesso.

8. Ser alguém presente

Por fim, nunca é demais ressaltar que um pai precisa ser alguém presente, mesmo que não conviva diariamente com os filhos. Ser presente é vivenciar momentos juntos e extrair de cada um deles o máximo possível, afinal de contas, não sabemos quanto tempo temos juntos neste mundo.

Ser presente é conviver, aconselhar, ensinar, proteger, brincar, rir, dar carinho e servir de exemplo e inspiração para os pequenos — e também para os filhos que já não são tão pequenos assim.

Resumidamente, podemos afirmar que a paternidade é um desafio, mas também é uma das mais nobres e recompensadoras missões de um homem. Portanto, se você tem ou pretende ter filhos, lembre-se de ser uma prova viva de amor, respeito, sabedoria, proteção, honestidade e carinho junto à sua família.

Gostou deste conteúdo? Então, deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, lembre-se de levar esta reflexão a todos os seus amigos, colegas, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas. Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!