Quando falamos em qualidade de vida, estamos falando no conjunto de condições que favorecem o nosso bem-estar físico e espiritual. Essa é a definição do Wikipédia, mas e a sua? Você realmente tem qualidade de vida? Vive bem? É feliz? Está pleno e saudável? Gosta do que tem e do que construiu até aqui?

Hoje, mais do que nunca, este assunto virou tema de discussão e tem ganhado cada vez mais valor. Isso ocorre porque sabemos que tanto nas grandes como nas pequenas cidades, que o que as pessoas querem é ter oportunidades reais de melhorias, encontrar algo que dê sentido à sua vida e que faça valerem a pena os seus esforços diários.

Neste artigo, você vai conferir uma reflexão sobre o real significado de viver com qualidade e sobre como é possível alcançar esse estado. Siga em frente e tenha uma ótima leitura!

A importância de ter qualidade de vida

A qualidade de vida surge como um reflexo das nossas conquistas materiais e imateriais, mas também das melhorias sociais. Quando, por exemplo, a qualidade do transporte melhora, isso confere mais tempo para que o trabalhador, que precisa usá-lo todos os dias, possa estar com sua família, interagir com os filhos, fazer atividades físicas ou estudar. Também é essencial para a diminuição do estresse e das doenças associadas.

Do mesmo modo, quando diminuem as desigualdades sociais e os indivíduos têm a chance de trabalhar e prover seu próprio sustento, a sua autoestima e autoconfiança aumentam e, consequentemente, a sua autossatisfação e qualidade de vida. Isso sem falar que o seu poder de consumo também aumenta, o que lhe dá oportunidade de viver experiências novas, como viajar e conhecer novas culturas.

Como podemos perceber, a ideia de qualidade de vida não quer dizer apenas estar saudável do ponto de vista médico, mas sim poder usufruir de todas as vantagens e oportunidades que merecemos ter.  Isso inclui ter uma moradia decente, com infraestrutura elétrica e saneamento básico, cercada de áreas de lazer, escolas, hospitais, comércio, transporte e segurança. Isto é o mínimo, mas uma parte significativa da população brasileira ainda não dispõe desses recursos e direitos.

Assim, vemos as pessoas morando em lugares sem a menor condição de vida, em que a educação e a segurança são precários, muitas vezes, quase inexistentes, e que não oferecem o ambiente propício para terem a qualidade de vida que merecem.  Por isso mesmo, temos que pensar em alcançá-la sempre, uma vez que todos nós merecemos viver uma vida plena e com reais oportunidades de progresso. Nesse sentido, é primordial que os governos façam as suas partes.

PSC Renascimento

Preparamos um teste para VOCÊ descobrir o quanto
é FELIZ! Clique aqui e conheça nosso
“Termômetro da Felicidade” !

7 áreas para obter qualidade de vida

A vida de qualquer pessoa é composta por diferentes áreas. Para que possamos viver com qualidade, precisamos alcançar um nível mínimo de bem-estar nelas. É claro que os problemas vão aparecer, e que nem tudo está sob o nosso controle. Devemos, porém, fazer o possível para equilibrar todos esses setores.

  • Saúde física

A saúde física é primordial para a qualidade de vida de uma pessoa. As doenças aparecem, mas nós devemos agir no sentido de fortalecer o nosso organismo para prevenir esses quadros ou superá-los da melhor maneira possível. Por isso, precisamos dormir o suficiente, descansar quando necessário, nos alimentar com equilíbrio, evitar os vícios, praticar atividade física com regularidade e fazer exames preventivos periodicamente. Sem saúde, é difícil falar em qualidade de vida.

  • Saúde mental

A saúde da mente também deve ser lembrada, até porque corpo e mente são um todo integrado. Os quadros de depressão, estresse, ansiedade, entre outros transtornos da mente não param de crescer no Brasil e no mundo. Por isso, precisamos desacelerar, fazer escolhas, viver a vida com base nos nossos princípios, abandonar as comparações com os outros e deixar de querer agradar a todo mundo. Agrade a si mesmo primeiro e procure um psicólogo sempre que sentir necessidade.

  • Saúde financeira

O dinheiro sozinho não traz felicidade, mas, no mundo em que vivemos, é fato que ele nos traz mais conforto e tranquilidade. Organize as suas finanças, de modo que você não gaste mais do que ganha e evite o endividamento. Diversifique as suas fontes de renda e construa uma reserva para emergências. Assim, você não precisará se preocupar com as contas que não param de chegar. Lembre-se de que crises financeiras também podem provocar problemas de saúde física e mental.

  • Propósito profissional

Por falar em dinheiro, é importante que o seu trabalho não seja apenas uma fonte de renda. Se você passa a maior parte do seu dia se dedicando a esse tipo de atividade, será que vale a pena se dedicar a uma ocupação que não lhe dá um mínimo de satisfação? Encontre esse propósito profissional, selecionando uma atividade que tenha a ver com as suas crenças, habilidades, interesses e competências. Trabalhar com algo que você detesta certamente rouba a sua qualidade de vida.

  • Família

As relações que você cultiva com as pessoas ao seu redor também influenciam a qualidade de vida que você pode obter. Naturalmente, a família é o primeiro grupo de contato mais próximo. É claro que nem sempre vamos concordar com as atitudes dos nossos familiares, e as brigas vão surgir. No entanto, procure desculpar-se e restabelecer a harmonia, evitando que os conflitos se estendam. Tenha um bom convívio com os seus pais, filhos, esposo, irmãos etc. e faça o possível para manter a paz.

  • Vida social

De fato, a família é o primeiro círculo de pessoas com as quais convivemos, mas não é o único. Também é importante cultivar esse bom relacionamento interpessoal com os amigos, vizinhos e colegas de trabalho. A presença dessas pessoas enriquece as nossas vidas, pois promove a troca de conhecimentos, de alegrias e de ombros amigos para os momentos difíceis. Nesse sentido, não se preocupe com a quantidade de amigos que você tem, mas com a qualidade.

  • Espiritualidade

Por fim, a espiritualidade também faz parte da qualidade de vida da maioria das pessoas. Essa parte da vida consiste em acreditar que há mais coisas entre o céu e a Terra do que a ciência já comprovou, como a existência de um ser transcendente e da vida em outros planos. Nem todo mundo acredita nisso, mas as pessoas espiritualizadas alegam que as suas crenças as ajudam a superar as adversidades do dia a dia e a encontrar um sentido mais amplo ao ato de existir e viver.

Pensando em tudo isso, por fim, responda sinceramente: de 0 a 10, qual é o nível da sua qualidade de vida atual? Você está satisfeito com isso? Reflita e pense nos aspectos em que você pode melhorar e foque em conquistar a satisfação que você merece. Boa sorte!

Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!