Você faz terapia? Quando alguém faz essa pergunta a você, é comum que imediatamente nos venha à mente a psicoterapia, ou seja, o acompanhamento periódico que é feito junto de um psicólogo ou terapeuta. Contudo, o conceito de terapia pode ser muito mais abrangente.

Neste artigo, vamos entender melhor o que é a terapia, o que é a psicoterapia, como esse processo funciona, quais são os seus benefícios e quais são as suas diferenças em relação ao processo de coaching. Ficou curioso? Então, continue a leitura para saber tudo sobre o tema!

O conceito de terapia

Designamos “terapia” tudo o que nos ajuda a superar uma condição física, mental, psicológica, fisiológica ou até mesmo circunstancial. O conjunto das práticas, exercícios, fundamentos, condutas, modelos etc. que visam a restabelecer alguém a uma condição de melhoria pode ser legitimamente chamado de terapia. Assim, é comum que alguns termos terminem com terapia, como fisioterapia, psicoterapia e quimioterapia.

Temos por hábito, no entanto, atribuir como psicoterapia o exercício de tratamento com fundo psicológico, seja ele de inspiração médica-científica ou não. Mas a verdade é que terapia é bem mais do que isso, e até mesmo um tratamento que não envolva nenhuma ingestão de medicamentos ou algo do tipo pode ser considerado como uma conduta terapêutica.

Trazer a terapia para os domínios do coaching não é algo nada estapafúrdio. Tratar e desenvolver as pessoas também é algo que um coach faz com muita maestria, sem ficar atrás de muitos terapeutas.

Um exemplo das possibilidades dessa associação está no caso de Milton Erickson, criador da Hipnose Ericksoniana, um terapeuta de mão cheia que nos deu as bases para aquilo que, no IBC, criamos como o Coaching Ericksoniano, em um processo que potencializa os efeitos e resultados das duas vertentes.

A cura vai além

PSC Renascimento

O fim esperado de um processo terapêutico é a cura, que pode, sim, a depender das circunstâncias e do que chamamos de cura, ser alcançada por meio do processo de Coaching. Mas não necessariamente é essa a pretensão final quando vamos ao encontro de um coach.

Quem entra em um coachtório (o escritório doas coaches) certamente sairá de lá bem melhor, mas nem por isso está em busca de uma cura de um mal ou alguma limitação crônica, como normalmente é o caso de quem está em busca de um tratamento.

O terapeuta, no seu estilo clássico, tem um caráter de ouvinte das perturbações do seu cliente, fazendo intervenções pontuais. A lógica por trás do coaching é outra. Ao coach cabem envolvimento e participação nos planos e projetos do coachee. Contemplar pura e simplesmente as expectativas do seu coachee, sem tomar parte delas, mantendo-se distante não é nem de longe o que se espera ou o que efetivamente se recebe de um coach.

Diferenças entre a psicoterapia e o coaching

Muita gente acaba recorrendo à psicoterapia, quando um coach poderia ser o profissional mais apto. O oposto também é verdadeiro: pessoas que precisam de psicoterapia acabam recorrendo aos consultórios dos coaches, atrasando o seu tratamento. Entende melhor as diferenças entre os dois processos a seguir.

  • Diferenças nas necessidades das pessoas

A mais substancial das diferenciações entre coaching e terapia diz respeito à perspectiva para a melhoria do cliente, ou seja, o ponto de partida efetivamente utilizado. Para os terapeutas, não só o pontapé inicial, mas todo o escopo do tratamento está voltado para o passado, para as experiências pregressas, para tudo o que o indivíduo viveu até chegar ali. A ideia é compreender as causas dos seus transtornos para modificar comportamentos e resolver os problemas em questão.

Em direção oposta, o coaching, por sua vez, tem a oferecer uma visão de futuro, que encara tão somente as oportunidades e possibilidades do porvir e que ainda estão por serem aproveitadas. Enquanto para os entusiastas da terapia o foco é o olhar pelo retrovisor que molda e interpreta a realidade, para um coach o que interessa de fato é a paisagem que se anuncia pelo para-brisa.

Assim, a psicoterapia é mais indicada quando alguém tem alguma queixa de saúde mental que esteja comprometendo a sua qualidade de vida: estresse, depressão, ansiedade, traumas, momentos difíceis etc. Já o processo de coaching é mais indicado quando um indivíduo está mentalmente saudável, mas precisa definir objetivos e organizar de forma mais estratégica o seu alcance — tanto na vida pessoal como na vida profissional/acadêmica.

  • Diferenças nos métodos

O olhar para frente é que é o grande diferencial. Aprendemos com o Coaching que é um gesto de imensa sabedoria honrar e respeitar a história de cada um, mas esse respeito ao passado não significa que para ele esteja direcionado o nosso foco.

Transformar e moldar o futuro da melhor forma é o grande desafio que coach e coachee se propõem a realizar. O cliente é sempre encorajado a alcançar metas, ajustando os seus objetivos, obtendo novas conquistas e realizações sem perder de vista, nesse processo, que o passado pode ser um meio, mas nunca um fim.

Na psicoterapia, o terapeuta ajuda o paciente a identificar determinados padrões de pensamentos, crenças e comportamentos que estejam sendo nocivos à sua saúde. Os questionamentos feitos favorecem o autoconhecimento e ajudam o indivíduo a adotar um novo padrão mental e novas atitudes, que de fato o auxiliem a resolver e a lidar melhor com as suas questões.

No coaching, todos os exercícios, objetivos e esforços estão voltados para ressignificar os pontos vulneráveis do passado, mas apenas como ponte para se chegar mais adequadamente ao futuro. Das experiências já vividas devemos extrair o que há de melhor para seguirmos em frente, com uma bagagem composta apenas de suprimentos e ferramentas que nos ajudem a fazer com que tenhamos o melhor futuro possível.

Conclusão

Dessa forma, a psicoterapia e o coaching são duas técnicas que têm em comum o autoconhecimento e a promoção da qualidade de vida. Contudo, somente a psicoterapia deve ser considerada para tratamentos de transtornos da mente, enquanto o coaching atua como uma metodologia que ajuda as pessoas a alcançarem os seus objetivos nas diferentes áreas da vida — de forma estratégica e acelerada!

E você, ser de luz já passou por processos de psicoterapia ou de coaching? Consegue identificar as diferenças? O que pensa a respeito dessas técnicas? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!