Provavelmente, você já ouviu da área de Recursos Humanos (RH) sobre a ética profissional. De acordo com o dicionário, a palavra “ética” significa uma parte da filosofia que estuda os fundamentos da moral ou um conjunto de regras de conduta referentes a uma pessoa ou a um grupo. Aplicando esse conceito no ambiente de trabalho, ele consiste basicamente em ter respeito pelo próximo e pela política interna da empresa. Caso contrário, não há convivência que resista!

Neste artigo, você vai entender melhor o conceito de ética profissional e as suas origens, a importância dela no ambiente de trabalho e os 10 mandamentos da ética profissional. Continue a leitura e saiba tudo sobre o tema!

O que é ética profissional? Qual é a sua origem?

Afinal, de onde veio essa ideia de ética? Essa é uma palavra de origem grega (ethos) que significa propriedade do caráter. Ser uma pessoa ética é discursar e agir dentro dos padrões culturais de um ambiente, nunca prejudicando o próximo. Diferentemente dos valores pessoais, a ética é global. Isso quer dizer que ela não é baseada no que você considera correto, mas no que é aceitável e louvável dentro da sociedade para o bem-estar de todos. 

ética profissional é baseada nos comportamentos que são adequados para uma boa convivência em um determinado ambiente corporativo. Ela pode estar descrita na política interna da empresa como o conjunto de normas e regras que devem ser seguidas pelos seus funcionários. O documento serve como um guia para que os colaboradores convivam em um ambiente favorável, amigável e produtivo e também para que a empresa cresça de maneira saudável.

Dessa forma, além de conhecimentos técnicos, bom relacionamento com os colegas e habilidades comportamentais, o profissional é reconhecido pela sua conduta ética na organização. O grupo de valores e normas que direcionam as ações dos funcionários e clientes, internos e externos, é considerado de extrema importância para garantir um bom clima organizacional, saúde no trabalho e a boa reputação da marca.

Apesar de cada profissão ou empresa ter o seu próprio documento, alguns elementos são universais e, por isso, são aplicáveis a qualquer atividade profissional, tais como a honestidade, a responsabilidade e a competência.

Qual é a importância da ética no ambiente de trabalho?

PSC Renascimento

O maior benefício ao aplicar a ética também no ambiente profissional é a garantia de que haverá harmonia e respeito no trabalho. Para entender melhor quais são os resultados positivos, veja alguns dos pontos que podem ter alterações benéficas:

  • Melhores relacionamentos interpessoais;
  • Favorecimento da criação de motivação para a capacitação profissional;
  • Favorecimento de um cenário que permita desenvolvimento técnico e pessoal;
  • Espaço para o exercício do autoconhecimento;
  • Respeito com as características físicas e psicológicas de todos;
  • Respeito com a orientação sexual, de religião, de opinião política ou de filosofia de vida de todos;
  • Educação em diferentes circunstâncias, desde situações pequenas até as maiores — independentemente da hierarquia;
  • Surgimento de novos talentos com mais facilidade;
  • Crescimento dos resultados da empresa.

Isso, claro, só acontecerá se todos os colaboradores seguirem os princípios descritos.

10 mandamentos da ética profissional

Com regras bem definidas, as pessoas se respeitarão mais, e o clima organizacional será de parceria, trabalho em equipe, respeito mútuo e crescimento generalizado. Conheça agora quais são os 10 mandamentos da ética profissional no ambiente corporativo:

  • Seja honesto

A honestidade é uma das principais características positivas de uma pessoa, tanto na vida profissional quanto na pessoal. Por isso, seja sempre sincero com os seus colegas e clientes e, dessa maneira, as pessoas vão respeitá-lo e vê-lo como alguém confiável.

Para isso, sempre fale a verdade, jamais pegue algo que não pertença a você e nunca queira assumir créditos pelo trabalho dos outros. Foque em dar o seu melhor em tudo aquilo que fizer, entendendo que você jamais vai progredir se quiser prejudicar os seus colegas.

  • Nunca assuma algo acima da sua capacidade

Se você fizer alguma coisa no trabalho, qualquer que seja, esteja certo de que virão consequências, sejam positivas, sejam negativas. Por isso, somente faça algo se tiver condições de assumir os resultados perante os seus superiores, subordinados e públicos em geral. 

Dessa forma, evite fechar negócios ou prometer prazos se você não tem segurança ou sabe que não vai dar conta. Também não é recomendado jogar essa responsabilidade para os seus colegas. Como citamos acima, seja honesto! Evite se comprometer sem estar 100% confiante.

  • Seja humilde

Fato: ninguém é melhor do que ninguém. Você pode até ter mais habilidades que os seus colegas em algum fator, mas isso não dá a você o direito de tratá-los com arrogância e deboche. Para trabalhar em equipe, é preciso ser humilde e flexível, bem como estar disposto a ouvir críticas e sugestões, por mais peculiares que sejam. 

Fazer a escuta ativa e compreender o que o outro quer dizer pode trazer ideias positivas e negativas. Portanto, esteja sempre com a mente e o coração abertos para dar espaço aos outros. Não faça julgamentos precipitados e respeite as pessoas como gostaria de ser respeitado.

  • Faça críticas construtivas e de forma educada

Sempre seja cuidadoso ao fazer uma crítica que ressalta os pontos negativos e que precisam ser desenvolvidos de outra pessoa. Em primeiro lugar, seja transparente e faça isso diretamente à pessoa e de forma planejada. Falar pelas costas ou ser impulsivo são atitudes nada éticas. Tenha uma conversa particular.

Além disso, entenda que o feedback não deve ser negativo, e sim construtivo. O objetivo é fazer com que o criticado evolua, e não que fique decepcionado. Saiba como dar um feedback positivo e seja sempre educado ao transmitir qualquer informação para as pessoas que trabalham com você. Depois de fazer o processo de devolutiva uma vez, busque se planejar para fazê-lo regularmente. Também saiba lidar com os feedbacks que receber, OK?

  • Respeite a privacidade de todos

Jamais mexa na mesa, gaveta, informações, computador ou documentos alheios, a não ser que você tenha autorização para tal. E mesmo que você a tenha, avalie se está fazendo por motivos válidos ou se é apenas curiosidade. 

Coloque-se no lugar da outra pessoa: você gostaria que os seus pertences fossem revirados? A privacidade é inviolável! Além disso, esse exercício de colocar-se na pele do outro é fundamental para exercitar a empatia. Na dúvida, não faça ao outro aquilo que você não gostaria que ele fizesse com você.

  • Sempre se responsabilize pelas consequências dos seus atos

Como já citamos, toda ação gera uma reação. Por isso, assuma os seus valores e princípios, bem como as consequências das suas atitudes. Não jogue a culpa dos seus atos em cima dos seus colegas e tenha maturidade o suficiente para assumir os seus erros.

Lembre-se de que o erro, por pior que seja, pode ser uma fonte de aprendizados valiosos. Portanto, responsabilize-se pelas falhas, assim como você gosta de receber os créditos pelos seus acertos.

  • Evite a fofoca

A fofoca, por mais que pareça inofensiva, é algo grave dentro das empresas. Nós não precisamos de pesquisas para confirmar isso. Reflita sobre a sua vida profissional e relembre os momentos em que a fofoca prejudicou uma atividade ou até a carreira de alguém. Com certeza, você vai se lembrar de alguma situação assim.

Além de prejudicar as pessoas, o tempo gasto fofocando poderia ser usado para algo mais útil e produtivo. Todo problema deve ser tirado a limpo, cara a cara. Por isso, fique longe de fofocas, mesmo que isso “faça parte” da cultura da sua equipe. Lembre-se de que o ambiente profissional não é lugar de conversas pessoais, OK?

  • Respeite a hierarquia do ambiente

Não deixe que a amizade ou a antipatia por alguém interfira na relação hierárquica. Em outras palavras, não privilegie um subordinado porque é seu amigo e vice-versa. Já no que se refere a antipatias, tente superá-las, para que isso não interfira no trabalho do dia a dia. Basicamente, essa é a premissa para ser um bom profissional.

Não favoreça quem é seu amigo ou prejudique aqueles de quem você não gosta. Considere sempre as competências profissionais, pois elas devem ser a prioridade dentro de uma ambiente de trabalho.

  • Reconheça o mérito alheio

O reconhecimento é considerado um dos fatores mais motivadores em um ambiente de trabalho. Por isso, sempre dê crédito a quem merece e não aceite elogios ou recompensas pelo mérito alheio. Seja sincero quanto ao trabalho das pessoas da sua equipe e saiba reconhecer quando os seus colegas se empenham e têm atitudes eficazes.

A esse respeito, tenha sempre em mente que reconhecer os méritos dos outros não é humilhar-se ou considerar-se inferior a eles. É apenas parabenizá-los por um bom trabalho, como você gosta que façam quando você tem boas ideias e atitudes bem-sucedidas.

  • Reconheça os seus erros e comprometa-se a melhorar

Se errar, reconheça. Entretanto, não force a barra e nem dramatize a situação: procure apenas solucionar o problema e garantir que não aconteça novamente. Se precisar de ajuda para resolver uma situação procure pelo seu superior e seja sincero. Esse é o melhor caminho. Peça ajuda sem medo.

Bem, essas são as 10 regras para exercer a ética profissional. Não é nada de outro mundo, não é mesmo? Basta seguir os princípios básicos que regem muitas culturas que conhecemos hoje em dia. Para saber mais condutas que são favoráveis dentro do ambiente corporativo, fique atento aos artigos que são publicados por aqui, além de, é claro, consultar o regimento interno do seu local de trabalho.

Quer saber mais sobre a importância da conduta ética no trabalho? Então, assista ao vídeo a seguir!

 

 

Gostou deste conteúdo? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!