Toda pessoa faz parte de diferentes grupos sociais. No grupo de amigos, por exemplo, cada pessoa tem a sua personalidade, mas todos se admiram, cada um à sua maneira. Nesse sentido, quase todo mundo conhece alguém que seja o “palhaço” da turma, aquele que está sempre rindo e fazendo rir — o que, muitas vezes, se nota ainda nos tempos de escola.

Isso é tão comum que o psiquiatra e psicoterapeuta suíço Carl Jung definiu o “comediante” como sendo um dos 12 arquétipos da humanidade, ou seja, um dos 12 personagens mais representativos das características psicológicas humanas. Provavelmente, você conhece alguém com essas características.

Quem é o comediante?

O comediante é um dos arquétipos junguianos mais fáceis de reconhecer: trata-se do “palhaço” da família, do círculo de amigos, da sala de aula, entre outros ambientes. Esse indivíduo tem elevado senso de humor, é engraçado, gosta da diversão e de entreter quem estiver ao seu redor.

Também conhecido como “bobo da corte”, esse arquétipo tem o objetivo de iluminar o mundo e tornar a vida de todos mais agradável. Tudo isso é ótimo, mas o comediante deve ficar atento para não se visto como frívolo, ou seja, aquela pessoa superficial, que nunca consegue ser levada a sério.

Quais são as principais características desse arquétipo?

Na sequência, confira os traços mais comuns do arquétipo comediante.

1. Diversão e busca pelo prazer

O comediante é o arquétipo que mais busca pelo prazer. Para ele, a vida é, de fato, difícil e repleta de momentos menos felizes. Contudo, cabe a cada um de nós, na visão desse arquétipo, extrair o que houver de bom de cada momento. Por isso, essa é a representação daqueles indivíduos que vivem intensamente o momento presente.

PSC Renascimento

São pessoas que procuram a leveza no dia a dia, que pode ser bastante pesado e complexo. Dessa forma, gostam de rir, de viver momentos alegres, de cantar, de dançar, de contar piadas, enfim, de focar no que houver de bom em cada situação.

2. Desejo de entreter o outro

Para esse arquétipo, tão importante quanto divertir-se é fazer com que os outros se divirtam. Cada vez que um indivíduo com essas características percebe que está levando alegria às outras pessoas, ele também consegue se alegrar. Por isso, esse arquétipo representa todos os comediantes e palhaços — profissionais e amadores.

Mr. Bean, Bob Esponja e Fábio Porchat são alguns exemplos de comediantes, da ficção e da vida real. Esse arquétipo é o mais forte naqueles indivíduos que conseguem passar por situações embaraçosas e dar risada de si mesmos, bem como permitir que os outros deem risada deles, sem que fiquem ofendidos ou envergonhados.

3. Senso de humor elevado

O comediante, como o nome automaticamente sugere, tem um elevado senso de humor. Isso significa que essas pessoas conseguem identificar graça e fazer piadas em diversos contextos, mesmo aqueles que aparentemente não tenham nada de divertido.

É por isso que as pessoas com o talento para a comédia conseguem contar histórias engraças em situações comuns do cotidiano, como uma fila de padaria ou um trânsito carregado na cidade. Por isso, esses indivíduos dão risada e alegram quem estiver ao redor, mesmo nos momentos mais difíceis.

4. Alegria e otimismo

O comediante é, possivelmente, o mais alegre dos arquétipos junguianos. Isso não quer dizer que a vida dele seja fácil, mas sim que ele consegue tornar os seus dias mais felizes porque consegue se divertir, mesmo que esteja passando por adversidades.

Trata-se daquela pessoa otimista, que enxerga o copo meio cheio, isto é, que identifica pequenos pontos positivos, mesmo que a situação geral seja negativa. Se for um bom comunicador, esse indivíduo consegue propagar a sua visão positiva às outras pessoas, tornando-se uma companhia muito agradável.

5. Necessidade de pertencer

Muitas vezes, o comportamento piadista, irreverente e debochado é um meio que o indivíduo encontra de pertencer a um grupo. Em geral, as pessoas gostam de conviver com quem é engraçado e apresenta bom humor. Por isso, o comediante, ao perceber que tem o poder de fazer as pessoas rirem, se utiliza dessa característica para ser aceito em diferentes grupos sociais.

Trata-se de um mecanismo de conquista de amores, amizades, colegas de trabalho e até mesmo familiares. Ser engraçado é uma característica que abre portas a esses indivíduos, saciando a sua necessidade de pertencimento e aceitação.

6. Comunicação amorosa, por vezes ingênua

Em geral, o comediante conta piadas para ser aceito. Por isso, a sua comunicação tende a ser cada vez mais alegre, simpática e amorosa. Contudo, há alguns indivíduos com o perfil do comediante que levam o seu lado engraçado para a provocação e para a ironia, o que pode ofender e afastar as pessoas.

Outro problema que pode ocorrer com o comediante é ser ingênuo demais. Nesse caso, as pessoas ao redor podem rir DELE e não COM ELE. É bacana levar a alegria às pessoas, mas desde que o individuo não perca o respeito próprio.

7. Dificuldade em ser visto com seriedade

Isso nos leva à maior fraqueza desse arquétipo: não ser visto com seriedade. Como o comediante é sempre associado ao bom humor e à alegria, existe um estranhamento quando, por algum motivo, ele se apresenta mais calmo, introspectivo, triste ou irritado.

Ele pode não ser visto com seriedade em alguns contextos. Assim, um chefe, por exemplo, pode impedir um funcionário que apresenta esse perfil de conduzir uma reunião, pois teme que piadas inapropriadas sejam feitas. Dessa forma, por mais engraçado que o indivíduo seja, ele jamais deve permitir que essa característica seja confundida com imaturidade.

O perfil geral do comediante é de alegria, otimismo e bom humor. As pessoas que se identificam com esse arquétipo conseguem enxergar o lado bom da vida e levar mais leveza a quem estiver ao seu redor. Contudo, precisam ter cautela para que não sejam vistos como imaturos, superficiais ou irresponsáveis.

E você, ser de luz, se identifica com o perfil do comediante? Por quê? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!