Carl Jung, fundador da psicologia analítica, foi um psiquiatra e psicoterapeuta suíço. Grande estudioso da mente e do comportamento humano, Jung conseguiu “resumir” a humanidade em 12 arquétipos, ou seja, em 12 personagens que sintetizam as principais características dos seres humanos.

Esses arquétipos são construções do inconsciente coletivo, sendo resultado das ações humanas em gerações e gerações. Assim, Jung identificou esses 12 personagens, que, até hoje, são muito utilizados no cinema, na literatura e até mesmo na publicidade. Eles são modelos de comportamento e personalidade com os quais as pessoas podem se identificar.

Quem é o sábio?

Albert Einstein, Mark Zuckerberg e até mesmo o Mestre Yoda (do universo de Star Wars) são exemplos clássicos de pessoas ou personagens que traduzem a essência do arquétipo do sábio.

O objetivo de quem tem esse arquétipo forte dentro de si é encontrar a verdade e utilizar a inteligência para compreender o mundo. São curiosos, inteligentes e ativos na compreensão dos fatos. Gostam de refletir e de estudar. Contudo, a sua fraqueza pode ser justamente um apego à teoria, deixando de colocar os seus saberes em prática.

Quais são as principais características desse arquétipo?

Confira na sequência as 7 principais características do arquétipo do sábio.

1. Busca pela verdade

O arquétipo do sábio reúne todas aquelas pessoas que estão continuamente em busca da verdade. Elas reúnem dados e informações, analisam e desenvolvem a inteligência para acumular e associar saberes, permitindo que cheguem a determinadas conclusões sobre fatos, pessoas, fenômenos, enfim, sobre a vida de maneira geral.

PSC Renascimento

Por isso, esses indivíduos não têm preguiça de ler, estudar, entrevistar pessoas, enfim, acumular material para refletir e chegar a determinadas conclusões. Tudo isso é feito sempre com método e lógica, priorizando o que é racional, em detrimento do que é emocional ou intuitivo.

2. Lado humanista

Um aspecto que precisa ser evidenciado sobre os sábios é que eles não são egoístas. Isso quer dizer que tudo aquilo que eles apuram sobre a verdade e sobre o conhecimento não é utilizado apenas em benefício próprio. Pelo contrário: essas pessoas querem divulgar aquilo que sabem justamente para oferecer à humanidade como um todo uma qualidade de vida maior.

Por isso, o sábio também pode ser identificado pelo seu lado humanista, isto é, pela sua grande vontade de ajudar as pessoas, sejam elas quem forem. O seu conhecimento não é só para si, mas para ajudar a quem precisar.

3. Perfil analítico

O que torna uma pessoa sábia, porém, não é o simples fato de acumular informações. O que realmente faz a diferença é a capacidade dessas pessoas de associar informações e de extrair delas interpretações conclusivas sobre os fatos. Isso, naturalmente, depende de muita análise e reflexão.

Diante disso, o sábio consegue ler diferentes conteúdos e obter, a partir deles, conhecimentos que outras pessoas teriam deixado passar. Esses indivíduos exercitam continuamente o hábito do estudo e também da associação de ideias, em busca da verdade. É o perfil mais representativo para professores, filósofos, especialistas, cientistas e detetives.

4. Autoconhecimento

Uma característica muito interessante sobre o arquétipo do sábio é que ele não analisa apenas o mundo ao seu redor, mas também a si mesmo. Esse arquétipo representa as pessoas que refletem também sobre quem são, de onde vieram, para onde vão, por que estão aqui, enfim, aqueles questionamentos existenciais clássicos.

O sábio percebe que quanto mais ele conhece a si mesmo, mais ele consegue obter resultados positivos nas diferentes áreas da sua vida. Por isso, ele mergulha no universo do “eu”, identificando os seus pontos fortes, bem como aqueles que precisam de correções e ajustes.

5. Apreço pelo estudo

O sábio valoriza o estudo. Dessa forma, as pessoas que se identificam com esse arquétipo são aquelas que gostam de ler, de viajar, de conversar com diferentes pessoas, de participar de palestras e exposições, de realizar cursos, enfim, de aumentar continuamente o seu repertório mental.

Isso desenvolve nesses indivíduos a capacidade de obter dados, transformá-los em informações e conhecimento (contextualizando e associando esses saberes) e de transformar tudo isso em sabedoria (tentando colocar os seus aprendizados em prática). Dessa forma, são pessoas com a mente aberta, sem preconceitos, que sabem que podem aprender algo positivo em diferentes lugares.

6. Desconfiança e investigação

O sábio é desconfiado. Essa característica, ao contrário do que possa parecer, é muito positiva. Esse indivíduo é aquele que questiona aquilo em que todo mundo acredita e que todo mundo toma como verdade. Mas será que é verdade mesmo?

Na contramão das ideias de todos, o sábio questiona e investiga se os dados são realmente verdadeiros. De onde saiu essa informação? Quais são as provas de que ela seja verdadeira? Isso faz com que o sábio descubra mentiras e reponha a verdade, como se vê em tantos filmes e telenovelas. A sua inteligência e as suas investigações são capazes de desmascarar os vilões.

7. Planejamento excessivo

Por fim, há uma desvantagem considerável no arquétipo do sábio. O excesso de análise e de planejamento pode levá-lo à procrastinação na hora de agir. Em outras palavras, o sábio pode ser muito detalhista e perfeccionista na busca pela verdade e pelo conhecimento, o que o leva a apegar-se à teoria e deixar de colocar os seus saberes em prática.

É o caso daquele empresário que faz inúmeras pesquisas de mercado e passa horas analisando os dados, mas nunca se sente seguro o suficiente para decidir como agir daqui por diante.

Como você pode perceber, o arquétipo do sábio é aquele perfil de pessoas que buscam sempre o conhecimento e a informação fidedigna antes de tomar as suas decisões — o que é ótimo, em um mundo onde tantas pessoas agem de forma impulsiva. Contudo, não podemos permitir que essa aquisição de conhecimentos seja tão meticulosa a ponto de nos impedir de agir.

E você, ser de luz, se identificou com o arquétipo do sábio? Por quê? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!