Na Bíblia, o livro do Apocalipse cita a existência dos 7 espíritos de Deus. Segundo esse livro, esses espíritos foram enviados para toda a Terra, e Jesus Cristo também os tinha consigo. Há diferentes interpretações para o significado desses espíritos: se são manifestações do Espírito Santo, se são seres angelicais enviados por Deus ou se são simplesmente valores e princípios cristãos, não há como saber com certeza.

O próprio número 7, que aparece em diversos momentos na Bíblia, parece não ter sido escolhido à toa, pois carrega consigo significados de perfeição e conclusão.

Neste artigo, vamos compreender melhor os 7 espíritos de Deus sob essa última ótica, tomando-os como valores e princípios. Alguns deles são mais diretamente relacionados à vida cristã, mas há outros que são universais, podendo ser seguidos por todas as pessoas, independentemente da que professem. Ficou curioso? Então, continue a leitura a seguir para descobrir quais são os 7 espíritos de Deus. Boa leitura!

Os 7 espíritos de Deus

Os 7 espíritos de Deus são citados no livro do Apocalipse, mas também há uma correlação com aqueles citados no livro do profeta Isaías: o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria, o Espírito de entendimento, o Espírito de conselho, o Espírito de poder, o Espírito de conhecimento e o Espírito de temor do Senhor. Conheça-os melhor na sequência.

1. Espírito do Senhor

O espírito do Senhor pode ser compreendido como a própria manifestação da divindade sobre a humanidade. Segundo o Cristianismo, Deus nos criou à sua imagem e semelhança, de modo que todos nós, embora seres humanos, carregamos um pouco de divinos dentro de nós mesmos.

O espírito do Senhor é um fator de motivação para que sejamos senhores das nossas próprias vidas. É um convite para que assumamos as rédeas dos nossos caminhos e que tenhamos determinação para segui-los. Esse espírito é uma manifestação de coragem e autenticidade, para que cada indivíduo seja ele mesmo e alcance as suas metas.

2. Espírito de sabedoria

PSC Renascimento

O espírito de sabedoria consiste em saber: saber o que pensar, saber o que falar e saber como agir. Muitas vezes, a vida apresenta tantas complexidades que nós não sabemos o que fazer ou qual caminho nos trará melhores resultados. Nesses momentos, podemos entrar em contato com a espiritualidade para pedir esse espírito de sabedoria.

Ser sábio não significa ter todas as respostas, mas ter noções de quem somos, do que queremos, de quais são os nossos valores e de para onde estamos indo. Significa “ler” as situações da vida com mais clareza, escolhendo as melhores maneiras de agir.

3. Espírito de entendimento

O espírito de entendimento ou de inteligência é muitas vezes confundido com o espírito anterior, da sabedoria. Na verdade, este espírito é a continuação do anterior: o espírito de sabedoria nos leva a compreender as circunstâncias da vida, enquanto o espírito de inteligência nos desenvolve a capacidade de tomar decisões a partir disso.

Em todas as áreas da vida, somos obrigados a tomar decisões e fazer escolhas. Por isso, precisamos identificar as possibilidades que surgem à nossa frente e avaliar os prós e contras de cada uma delas. O espírito de inteligência nos ajuda nesse momento avaliativo, apontando para a melhor decisão.

4. Espírito de conselho

O espírito de conselho é a forma como compartilhamos os nossos dons anteriores com as outras pessoas. Ele se refere aos meios pelos quais agimos e falamos com os outros. Esse espírito nos torna mais solidários e altruístas, compartilhando com o próximo as informações que nos fazem bem e que também podem auxiliá-lo.

O espírito do conselho é o espírito da palavra, da comunicação não violenta, do juízo, do ensinamento, do compartilhamento das informações que são úteis e que nos fazem bem. É preciso “ativar” esse espírito em todas as nossas interações diárias, tanto na vida pessoal como na vida profissional.

5. Espírito de poder/fortaleza

O espírito de poder, também conhecido como espírito de fortaleza, é a força que desenvolvemos para superar as adversidades. Ele pode ser entendido também como motivação, determinação e resiliência.

Sabemos que, na vida, são muitos os obstáculos que precisamos enfrentar, o que pode gerar desânimo, cansaço e vontade de desistir dos nossos objetivos. Nessas horas, o espírito de poder atua sobre nós, reforçando as nossas energias de segurança, autoconfiança, constância e determinação. É esse espírito que nos leva a seguir em frente, rumo às nossas metas, sem desistir ou desanimar por conta dos obstáculos do caminho.

6. Espírito de conhecimento

Quem é você? Onde você está? Quais são os seus valores? Como o mundo em que você está funciona? O que tem dado certo na sua vida? O que precisa ser melhorado? O espírito de conhecimento envolve as informações que obtemos sobre o mundo como ele é — o que adquirimos na escola, na faculdade, nas leituras, nas experiências do dia a dia e nas conversas com as pessoas com as quais convivemos.

Todavia, esse espírito é também de autoconhecimento, isto é, de compreensão do nosso próprio ser. Isso nos dá instrução, cultura e discernimento para definir objetivos e alcançá-los. É também o espírito que nos leva a aprender com os próprios erros, evitando que sejam repetidos.

7. Espírito de temor do Senhor

Neste contexto, o conceito de “temor” não deve ser entendido como medo, mas como respeito. É preciso manifestar respeito a Deus, ao próximo, às leis, à natureza, às nossas obrigações profissionais, ao nosso corpo, à nossa mente, e por aí vai.

Respeitar é compreender que nem sempre as coisas ocorrerão da forma como queremos, mas que há regras que são maiores do que nós e que regem a vida em sociedade. É entender que os outros também têm direitos e que os nossos valores e princípios devem orientar todas as nossas atitudes.

Como você pode notar, os 7 espíritos de Deus são valores que o Cristianismo defende, mas que podem ser utilizados pelas pessoas para que alcancem melhores resultados nas diferentes áreas das suas vidas, como fontes de inspiração e de atitudes benéficas.

E você, querida pessoa, segue algum desses espíritos ou princípios? Quais? De que forma? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!