Quando você encontra uma pessoa pela primeira vez, é natural ter curiosidade sobre ela, sua vida, opiniões e diversos outros assuntos. O que faz? Quais são os objetivos de vida? Como é a carreira? Essa etapa — a de conhecer —é um verdadeiro desafio para muitas pessoas, seja pela timidez, seja mesmo por não saber quais perguntas podem ser feitas ou por não saber qual é a melhor ocasião para iniciar um diálogo

Nesse sentido, saiba, querida pessoa, que existem algumas perguntas interessantes que podem ajudá-lo a conhecer uma pessoa com mais profundidade — no amor, na amizade ou em parcerias profissionais. É importante destacar que nada substitui o convívio, contudo, fazer perguntas é uma forma de obter informações diversas sobre o seu interlocutor e tornar a conversa mais interessante e agradável. 

Mas quais perguntas podem ajudá-lo a conhecer uma pessoa? Para auxiliá-lo nesse processo, preparamos uma lista com sugestões de perguntas para conhecer uma pessoa sob os mais diversos aspectos. Ficou curioso? Então, continue a leitura e descubra!

Sugestões de perguntas para conhecer uma pessoa

Uma das perguntas mais utilizadas nessa etapa é “O que você faz?”. É uma pergunta bastante clichê, mas que não traz informações importantes. Ao ouvir essa pergunta, o que o interlocutor vai responder é a profissão e o local em que trabalha, e sabemos que as pessoas são mais do que as suas profissões, não é mesmo? 

O ideal é começar o diálogo com perguntas poderosas, pois, quanto mais a pessoa falar, mais oportunidades você terá para conhecê-la melhor. Confira a lista preparada com muito carinho para você!

  • Onde você cresceu?

Essa pergunta é interessante e pode ser uma das primeiras a serem feitas. Ela demonstra que você quer conhecer as origens da pessoa. Assim, você dá oportunidade para que ela fale sobre o lugar onde nasceu e onde passou a infância — uma cidade, um bairro ou até um país diferente. Isso nos permite descobrir alguns interesses, costumes e tradições que aquela pessoa segue, de acordo com o lugar de origem.

  • Como foi a sua infância?

Essa questão também é clássica. Muita gente quer saber como foi a infância da pessoa que estão conhecendo. É o momento em que podemos falar sobre a nossa família, a casa em que morávamos, as escolas que frequentamos, as brincadeiras de que gostávamos, os nossos desenhos animados favoritos, os primeiros amigos que tivemos na vida, as viagens que fazíamos e até as dificuldades que passamos nesse período. É o início dessa jornada incrível chamada vida.

  • Qual é a sua maior paixão?

PSC

Com essa pergunta simples e poderosa, você dará a oportunidade para que a pessoa fale daquilo de que mais gosta de uma forma geral — que pode ser a sua profissão, um hobby, família ou outra atividade. Questionar qual é a maior paixão da pessoa que se quer conhecer é algo muito mais interessante e amplo do que perguntar apenas o nome da empresa em que ela trabalha. Além disso, essa pergunta mostra para o outro o quão interessado você está em conhecê-lo.

  • Qual é o seu maior sonho?

Essa pergunta é importante para saber se você está diante de uma pessoa sonhadora ou não. A resposta dada a ela mostrará se a pessoa tem metas audaciosas ou mais modestas, além de mostrar o que a pessoa tem feito para transformar os seus maiores sonhos em realidade e se ela está feliz com o que ela já conquistou. Perguntar qual é o maior sonho do outro é uma boa forma de saber o quão sonhadora a pessoa pode ser e se os planos dela têm a ver com os seus.

  • Qual é o seu livro ou filme preferido? O que mais chamou a sua atenção nessa obra?

Conhecer as preferências de alguém em relação ao cinema e a literatura é uma grande oportunidade para saber se a pessoa que se quer conhecer é do tipo que prefere obras mais profundas e quais são os estilos literários que mais lhe apetecem, bem como quais são as reflexões que essas obras lhe suscitam. 

Essa pergunta também serve para ver se a pessoa prefere estilos literários ou cinematográficos que sejam mais leves e divertidos, ideais para quem deseja apenas ver filmes e ler livros para se distrair ou passar o tempo. Além de ser importante para conhecer o outro, saber essas preferências ajuda, por exemplo, a fazer convites para mostras de cinemas ou de literatura que acontecem pelo país em oportunidades futuras.

  • Qual foi o acontecimento mais marcante da sua vida?

Essa é uma pergunta bastante ampla e que dá a possibilidade para o seu interlocutor contar sobre algo que tenha causado um impacto forte na vida dele, que pode ser positivo ou negativo. Antes de fazê-la, porém, tenha a sensibilidade para avaliar se é ou não o momento certo para isso. Talvez não seja indicada já em um primeiro encontro.

Se a pessoa demonstrar que prefere não tocar no assunto, respeite, pois é sinal de que se trata de algo ainda não superado. Caso ela deseje falar a respeito, ouça-a na essência e com atenção. Fique atento ao modo como você expressa o seu interesse por essa questão. Demonstre curiosidade, mas sem parecer invasivo ou indiscreto.

  • Você se considera uma pessoa feliz?

Cada um tem um conceito bastante particular sobre o que é a felicidade. Enquanto uns acreditam que a felicidade é viver cada momento com saúde e alegria, outros acham que a felicidade está na conquista de bens, na ascensão profissional e financeira, em relações amorosas e até em um casamento. 

Assim como a pergunta anterior, essa também é uma questão muito pessoal. Portanto, faça-a apenas se houver uma abertura para isso. A pessoa pode estar em um momento particularmente delicado, e tal pergunta pode transformar um papo agradável e promissor em algo negativo e bastante desagradável — e não é essa a intenção, não é mesmo, querida pessoa?

  • Qual era a sua profissão dos sonhos na infância?

Toda criança costuma afirmar qual será a profissão que vai seguir quando se tornar adulta, e algumas realmente cumprem essa inocente promessa. É interessante saber o quanto a opinião de alguém muda no decorrer da vida. 

Além disso, essa pergunta poderá dar início a uma série de assuntos voltados para a vida profissional e pessoal de uma forma geral. O questionamento também é uma boa forma de conhecer um pouco mais sobre a infância da pessoa e o quanto dessa infância ainda vive no seu interlocutor.

  • Quando está sozinho em casa, sente liberdade ou solidão?

Essa pergunta é importante para entender como estão os sentimentos e emoções do outro. A resposta para essa pergunta mostrará se a pessoa está com os seus sentimentos em equilíbrio e se possui algum tipo de carência emocional. Em geral, as pessoas muito extrovertidas sentem solidão quando estão sem uma companhia, enquanto os introspectivos se sentem com mais liberdade. Não há respostas certas ou erradas, apenas o ponto de vista de cada um, dependendo do momento.

  • Você prefere o dia ou a noite? Por quê?

Muitos indivíduos se sentem mais ativos e mais dispostos em um período específico. Aqueles que preferem a noite, por exemplo, costumam ter grande dificuldade para acordar cedo e já preferem atividades noturnas. Enquanto isso, as pessoas diurnas não conseguem ser produtivas depois que o sol se põe e tendem a ser mais animadas pela manhã — mesmo quando acordam cedo. É um meio de ver se há sintonia entre vocês, no que se refere ao relógio biológico.

  • Se você descobrisse que o mundo vai acabar amanhã, o que faria?

Essa pergunta é bastante ampla e permite que descubra se a pessoa é do tipo mais intensa, que quer aproveitar até os seus últimos minutos, ou mais serena, que esperaria o fim de forma tranquila. É importante destacar aqui que essa pergunta pode causar certo incômodo, já que ela remete à finitude da vida — assunto por vezes delicado. Faça-a somente se perceber que ela não causará desconfortos ao outro.

  • Como você escolheu a sua profissão? Se pudesse voltar no tempo, acredita que faria a mesma escolha?

Esse questionamento é poderoso, pois permite saber se um indivíduo está satisfeito profissionalmente, e isso pode dizer muito sobre ele. Ao perguntar sobre a escolha da profissão, será possível identificar se a pessoa é feliz com o que faz. Se estiver insatisfeita com a profissão que exerce, você perceberá se está diante de alguém que se acomodou com a própria carreira ou se é alguém que tem buscado formas de mudar, procurando mais realização profissional.

  • Quais são as suas maiores qualidades?

Falar sobre as próprias qualidades nem sempre é algo fácil, especialmente quando a autoestima não está bem. Ao fazer essa pergunta, você saberá como anda a autoestima dessa pessoa e perceberá como ela se vê. Outra coisa importante é que esse questionamento o ajudará a perceber se o indivíduo tem alguma insegurança com relação a si mesmo ou se ele precisa passar por algum processo de autoconhecimento.

  • O que o torna único?

Essa pergunta é interessante para que possamos descobrir quais são as características daquela pessoa que estamos conhecendo que são mais impressionantes e/ou exclusivas. Por meio dela, você pode descobrir habilidades, qualidades, conhecimentos e experiências de vida incríveis, diferentes de qualquer outra pessoa que você já tenha conhecido. É um questionamento bem interessante e divertido.

  • Quais são os pontos do seu ser que você acredita que devem ser melhorados?

Você deve estar se perguntando: “Por que não usar a palavra defeito?”. Bem, essa pergunta tocará em uma questão importante e que pode causar certo constrangimento. A palavra “defeito” pode levar a conversa para um lado negativo — e esse não é o objetivo. A ideia é apenas conhecer a humildade, a sinceridade e o autoconhecimento das pessoas.

Todos nós temos pontos na nossa personalidade que precisam ser melhorados. Ao usar esse termo, você mostrará ao seu interlocutor que entende isso e encara tais pontos de melhoria com naturalidade, sem julgamentos.  Nós não somos pessoas “defeituosas”, ou seja, tudo em nós pode (e deve!) ser aperfeiçoado, evoluído e transformado. Isso garantirá que a conversa siga de maneira agradável, segura e tranquila.

  • Para você, o que é sucesso?

Assim como a felicidade, o conceito de sucesso é bastante subjetivo. Se, para muitos, ser bem-sucedido significa ter um cargo alto em uma empresa ou ter muito dinheiro, para outros é ser feliz e fazer o que se gosta. Saber a opinião da pessoa vai dar uma ótima oportunidade para conhecê-la melhor nesse aspecto e até saber se ela se considera ou não uma pessoa de sucesso em algum campo da vida.

  • Quais são os seus hobbies?

Os hobbies são os populares passatempos, ou seja, aquelas atividades que realizamos simplesmente porque gostamos, e não por obrigação. Conhecer os hobbies de uma pessoa pode ser bacana para descobrir as suas paixões e, quem sabe, encontrar um interesse em comum. Pode ser que os dois sejam apaixonados por algum esporte, por exemplo, dando início a uma afinidade interessante.

  • Se você fosse um animal, qual seria?

Essa pergunta é típica de processos seletivos. Por mais que seja um clichê, ela também pode revelar algumas curiosidades. Além das características que o indivíduo afirma que tem, a resposta dada também pode mostrar criatividade e gerar algum divertimento. Imagine que a resposta recebida seja “borboleta”, por exemplo? Seria curioso saber quais são os traços do indivíduo que o levaram a dar essa resposta.

  • Qual é a maior dificuldade que você já superou?

Esse questionamento é uma oportunidade para que a pessoa conte alguma história de superação. É um momento para mostrar resiliência, inteligência emocional, criatividade e determinação. Talvez, você mesmo se identifique com a situação exposta pela pessoa, o que também pode gerar mais interações e intimidade. No entanto, também é interessante deixar essa pergunta para um momento em que o primeiro contato já tenha sido ultrapassado.

  • Você tem alguma crença espiritual?

Quando conhecemos alguém, especialmente na vida pessoal/amorosa, é natural que surja um interesse pela espiritualidade da pessoa. Assim, essa pergunta ajuda você a entender em que a pessoa acredita, ou se ela não acredita em nada. Se isso for um impeditivo para um relacionamento, por exemplo, é importante já saber logo. Se não for, pode ser uma oportunidade de conhecer melhor uma crença, especialmente se ela for diferente da sua.

  • O que você faria com 10 milhões de reais na sua conta agora?

Dinheiro também é um assunto um pouco delicado, mas, quando abordado em tom de brincadeira, pode gerar discussões interessantes. É uma maneira de conhecer planos, sonhos, vontades, desejos e até mesmo a personalidade da pessoa em relação à vida financeira. Enquanto alguns viajaram pelo mundo, outros pensariam em um meio de perpetuar essa fortuna por meio de investimentos. Pergunte e conheça a forma como a pessoa lida com o dinheiro!

Dicas para deixar a conversa interessante

Confira algumas dicas para que a conversa flua de forma interessante e eficaz.

  • Tenha bom senso para não ser “entrevistador”

A principal dica para deixar a conversa interessante é saber a hora certa de fazer as perguntas que listamos acima e utilizá-las com moderação. Em uma relação interpessoal, é importante salientar que não devemos assumir a postura de “entrevistadores” e encher a pessoa de perguntas tão particulares sem o seu consentimento, principalmente quando ainda estamos na etapa de conhecer o outro.  

É preciso respeitar os limites do outro, esperar o momento certo e, paulatinamente, construir um ambiente seguro e agradável para conversar.

  • Considere o contexto da conversa

Outra dica importante para que a conversa fique interessante é evitar fazer uma pergunta atrás da outra. Se você agir dessa forma, o papo ficará cansativo e se parecerá mais com um interrogatório do que com uma conversa amigável. 

Então, o ideal é deixar o assunto fluir e utilizar esses questionamentos conforme achar que caibam na situação. Leve em consideração a intenção que você tem com esse diálogo: se é uma nova amizade, alguém em quem você tem interesse amoroso ou mesmo um candidato a uma vaga para trabalhar na sua empresa.

  • Encontre o ambiente ideal

Mais uma recomendação que queremos compartilhar com você, querida pessoa, é sobre o ambiente em que você pretende ter esse diálogo com a pessoa que se quer conhecer. Com base nos seus objetivos e intenções, procure um local que seja apropriado para tal. A escolha de um ambiente propício e compatível com a ocasião contribuirá para que o seu interlocutor fique mais confortável e se sinta seguro para falar sobre os mais variados assuntos.  

  • Faça sempre perguntas mais “abertas”

Assim como em uma entrevista de emprego, as perguntas que fazemos àqueles que estamos conhecendo também devem ser mais “abertas”, dando espaço para que a pessoa desenvolva a resposta livremente. Aquelas questões cujas respostas são “sim” ou “não” podem ser feitas, mas não permitirão que você conheça o indivíduo de forma tão profunda quanto os exemplos de questões que citamos acima. Seja criativo!

Conclusão

Conversar é sempre muito positivo, seja de forma despretensiosa, seja com algum objetivo em especial. Além de oferecer a possibilidade de saber mais a respeito de outra pessoa, é uma ótima oportunidade para que você se conheça melhor e mostre um pouco da sua forma de ver o mundo — os seus desejos, opiniões, sonhos e personalidade. Então, saiba aproveitar esses momentos com perguntas interessantes e crie um papo sempre agradável.

Que esse conteúdo contribua para que você tenha conversas edificantes e interessantes, querida pessoa. Se você tiver mais alguma dica e quiser compartilhar, utilize o espaço abaixo. Agora, conte: em quais situações você acredita que estas dicas poderão ajudá-lo? Se você acredita que este conteúdo poderá ajudar outras pessoas a ter diálogos interessantes, curta e compartilhe nas suas redes sociais!

Quer entender mais sobre o comportamento humano? Clique aqui e saiba mais!