Todos nós somos únicos e diferentes e, como tal, temos pontos de vista diferentes. Quando essas opiniões divergentes não são ouvidas e respeitadas, podem causar discussões acaloradas e conflitos graves entre as pessoas, tanto no seu ambiente pessoal como no ambiente de trabalho. Na empresa, como em qualquer lugar, saber administrar estas diferenças é importante para que as diferentes áreas possam entrar em consenso e trabalhar em conjunto pelos resultados.

Por um lado, o conflito de ideias é bastante positivo, pois traz novas perspectivas sobre um mesmo assunto e visões diferentes que, unidas podem se complementar e dar origem à solução de um problema importante. Por outro lado, quando as pessoas não estão abertas a entender o ponto de vista dos outros e são resistentes a ter empatia pela forma como os demais enxergam uma mesma questão, isso faz com que os atritos se tornem frequentes.

Neste artigo, vamos compreender melhor a lógica dos diferentes pontos de vista no trabalho e entender como é possível lidar com eles com maturidade e inteligência. Para saber mais sobre o tema, é só dar continuidade à leitura!

Vantagens e desvantagens dos conflitos de ideias no trabalho

No trabalho, é normal encontramos profissionais do mesmo setor ou de outros departamentos com diferentes pontos de vista sobre a realização de um projeto/ demanda ou sobre a melhor solução para um problema específico. Quando isso traz uma riqueza ao processo de construção de resultados, e os funcionários se ouvem e se respeitam mutuamente, isso é muito positivo, pois fomenta novas ideias e traz sugestões e oportunidades de melhoria, o que agrega muito valor a qualquer negócio.

Entretanto, quando os colaboradores brigam constantemente por conta do seu conflito de ideias, não conseguem semear nada além de discórdia e conflitos, o que é negativo tanto para as suas relações interpessoais e trabalho em equipe como para o alcance das metas e objetivos da organização. Agora, você deve estar se perguntando: como podemos modificar essa dinâmica e realizar debates mais construtivos?

Pontos de vista diferentes: como gerenciá-los na empresa?

Há algumas medidas básicas que podem ajudar os colaboradores de uma organização a expor os seus diferentes pontos de vista, sem que isso gere problemas graves. Confira!

1. Líderes devem definir objetivos que unam a empresa como um todo

PSC

Em uma empresa, o líder tem a missão de inspirar, guiar, ensinar, corrigir, orientar, dar feedbacks e também gerenciar os conflitos na sua equipe ou mesmo em diferentes áreas. Para isso, é importante que o gestor aplique sempre a estratégia da conciliação de ideias, da cocriação, que ocorre quando todas as partes se unem por um propósito maior e buscam unir até mesmo as suas diferenças para conquistar o sucesso desejado por todos.

Dessa forma, é essencial que cada organização defina a sua missão, a sua visão, os seus valores e os seus objetivos. Todos esses itens devem ser comunicados a cada profissional, de modo que eles compreendam que nenhum interesse particular deve se sobrepor ao interesse coletivo. Isso envolve ter humildade para compreender que a ideia do outro pode ser melhor do que a sua de vez em quando.

2. Devem ser definidas regras para um bom convívio

É claro que cada profissional tem a sua origem e as suas particularidades, e é natural que pense diferente dos seus colegas. A inteligência está justamente em ser flexível para ouvir as opiniões dos outros profissionais e ter abertura para compreender quando aquilo que o outro colaborador fala também faz sentido e deve ser levado em conta na hora de formatar um projeto, criar ideias ou de resolver um problema.

Diante disso, cabe à organização definir uma cultura democrática, em que todos tenham a oportunidade de dar as suas ideias e dizer o que pensam, mas compreendendo que a decisão final cabe ao líder e que, naturalmente, dificilmente será possível agradar a todo mundo. As regras internas devem estabelecer que todos devem se respeitar, definindo a hora de falar e a hora de ouvir.

3. O departamento de recursos humanos deve estar preparado

O departamento de recursos humanos deve ser o primeiro a ser consultado, caso um conflito de ideias tome proporções negativas. É comum que alguns dos profissionais desse setor sejam psicólogos, o que ajuda muito na hora de compreender as origens da discórdia e de encontrar uma solução para ela.

Assim, é importante que o RH se reúna com os envolvidos no conflito e, em comum acordo, definam o que deverá ser feito. Se houver algum tipo de ofensa ou se as regras da empresa forem desobedecidas, o RH também certamente saberá o tipo de punição que deverá ser aplicada ao transgressor, de modo que aprenda a respeitar mais as opiniões alheias e a discordar com educação no ambiente de trabalho.

4. O coaching em grupo deve ser adotado

Diante da complexidade da questão, é importante criar um ambiente positivo, onde as pessoas queiram unir os seus diferentes pontos de vida em prol de resultados extraordinários para todos.  Para isso, uma excelente alternativa é investir em Coaching em Grupouma eficaz metodologia de desenvolvimento para profissionais e empresas.

Nesse processo, um profissional, o coach, visita o ambiente de trabalho e observa a dinâmica diária da equipe, estudando a forma como os indivíduos se relacionam, como o trabalho flui entre eles, como as decisões são tomadas, enfim, todos os aspectos cotidianos da vida profissional. A partir disso, ele conhece as pessoas e determina os pontos positivos do grupo, que devem ser mantidos, bem como os pontos que precisam ser melhorados — o que geralmente inclui a resolução de conflitos.

Concluindo, os conflitos de ideias podem ser enriquecedores, caso os envolvidos saibam expor as suas ideias com respeito e flexibilidade para compreender as ideias do outro. Isso tende a promover um debate saudável, que conduz a uma tomada de decisão mais eficaz. Por outro lado, se não houver respeito, educação e flexibilidade, os conflitos podem se agravar e prejudicar a harmonia do grupo. Por isso, siga as recomendações acima e veja a sua empresa ter muito sucesso!

E você, ser de luz, como lida com os seus conflitos de trabalho? Como é a política da sua empresa em relação a essa questão? O que pensa sobre o tema? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!