Você observa um padrão de tomada de decisões ruins na sua vida pessoal e profissional? Se sim, saiba que algumas atitudes podem ser as responsáveis por esse círculo vicioso. Optar por algo que em longo prazo não será tão positivo, mas que é prazeroso instantaneamente, é mais comum do que percebemos. Os prazeres momentâneos tendem a guiar as nossas decisões. 

Porém, deixar que os prazeres instantâneos dominem nossas vidas nos leva a uma série de decisões erradas. A dificuldade de lidar com a busca pelo prazer é uma raiz comum a diferentes distúrbios neuropsiquiátricos, como a depressão e os vícios. Continue lendo para saber quais são as atitudes que mais prejudicam a sua tomada de decisões no dia a dia.

O papel do prazer na tomada de decisões 

Em geral, nossas decisões se baseiam em hábitos, objetivos ou prazer. Dentre essas possibilidades, certamente as que são guiadas pelo prazer são as que têm mais chances de dar errado. Essa é uma conclusão baseada em razões científicas. 

O prazer é uma sensação produzida pela ação de vários mensageiros químicos (os neurotransmissores) no cérebro. Para entender, basta pensar na sensação de comer o seu prato preferido.

A dopamina é um dos neurotransmissores mais relevantes por estar ligada a funções como cognição e movimento voluntário. A simples liberação desse neurotransmissor no sistema de recompensa é o que gera a sensação de prazer. Através dos níveis de dopamina é possível saber quando esperar algo recompensador. É possível saber o quanto uma coisa será gratificante.

Somos levados a buscar cada vez mais coisas que tragam recompensas. A dopamina tem um papel imprescindível para a sensação de bem-estar, a sua falta está relacionada à depressão. Contudo, o excesso pode levar a distúrbios como esquizofrenia, por exemplo. Devemos ressaltar que nem todo mundo sente prazer nas mesmas coisas. 

A dopamina nos faz sentir uma sensação tão boa que estamos à sua busca a todo o momento. Logo, quando nos concentramos apenas na dopamina podemos acabar tomando decisões ruins pelo simples prazer momentâneo. 

Decisões tomadas por objetivos

PSC

Embora a busca pela dopamina seja uma constante em nossas vidas, há momentos em que conseguimos decidir com foco nos objetivos. Um bom exemplo é que nem todo dia nos damos ao luxo de comer um chocolate caro depois do almoço.

Primeiro, porque sabemos que não é bom para a saúde consumir tanto açúcar em longo prazo. Segundo, nem todo mundo tem dinheiro para gastar com chocolates caros todos os dias, fazer essa compra poderia gerar um rombo no orçamento do mês. Refletir é o que gera o controle da tomada de decisões. 

O comportamento direcionado é guiado pelos processos cognitivos que focam em um objetivo. Basicamente, o indivíduo compreende que os resultados valem mais do que o prazer momentâneo. Logo, são desenvolvidas estratégias para potencializar a capacidade de bater nossas metas. Quando tomamos uma decisão X que oferece resultados positivos, tendemos a tomar essa decisão mais vezes.

Contudo, não há nada que impeça que até essas decisões sejam erradas. O que acontece nessa situação é que aprendemos com o passar do tempo quais são as melhores estratégias a seguir. O conhecimento dos resultados guia nossas próximas escolhas.

Atitudes que são prejudiciais para a tomada de decisões

As explicamos que demos acima são importantes para que você compreenda porque determinadas atitudes levam a decisões ruins. A seguir listamos algumas atitudes que você deve evitar em seu dia a dia para ter melhores resultados.

1. Decidir sem refletir

Como vimos acima, a reflexão é o que nos faz decidir com foco em objetivos e não com foco no prazer instantâneo. Se você decide algo importante em menos de cinco minutos, deve se questionar a respeito dos motivos dessa decisão.

Será que você está considerando o que essa decisão impactará em médio e longo prazo? O ideal é sempre se perguntar se a decisão tomada é objetiva ou focada no prazer.

2. Permanecer indeciso

No tópico acima, falamos sobre a possibilidade de tomar decisões ruins quando não há reflexão. Porém, não se pode confundir tempo para refletir com tempo de indecisão.

Pensar e pesar os prós e contras é essencial antes de bater o martelo, mas apenas protelar não adianta em nada. Então, se estiver demorando muito para decidir, pergunte a si mesmo se está apenas enrolando. 

3. Decidir sem informações suficientes

Como você pode tomar uma decisão importante sem ter informações suficientes para refletir? O fato de estarmos constantemente acelerados nos faz agir sem pensar e sem avaliar o quanto sabemos a respeito de cada questão.

Se você percebe que tem alguma dúvida pertinente sobre o tema em pauta, procure os dados necessários. Somente com todas as informações reunidas será possível decidir com mais segurança.

4. Desconsiderar experiências anteriores

Mencionamos que as decisões por objetivos consideram as experiências anteriores e, por isso, têm mais chances de sucesso. Leve essa dica para a vida e quando estiver diante de uma situação que demanda uma decisão, pense nos resultados anteriores.

Essa simples compreensão pode te ajudar a evitar uma série de decisões ruins. Se você já teve problemas ao tomar uma decisão X, busque outro caminho para a demanda. 

5. Esperar que as coisas simplesmente aconteçam

Algumas pessoas seguem uma filosofia de vida de deixar que as coisas aconteçam sem se responsabilizar pelas decisões. Essa forma de ver a vida é bastante nociva em diversos aspectos porque tira o controle do indivíduo. Não ser o responsável pelo o que te acontece é uma forma de abrir mão do poder de escolha. 

É essencial que se crie o entendimento de que haverá a necessidade de decidir a respeito de várias coisas, inclusive algumas desagradáveis. O primeiro passo nesse caso é assumir a responsabilidade pela sua vida.

Quando uma demanda se apresentar, esteja pronto para refletir a respeito dela e decidir como irá enfrentá-la. E quando falamos em enfrentar, estamos falando sobre as consequências também, sejam boas ou ruins. 

Tomar boas decisões depende de refletir e deixar de lado a busca pelo prazer instantâneo. Aproveite para deixar seu comentário abaixo e compartilhar o conteúdo em suas redes sociais para passar a reflexão adiante!