Hoje em dia, as pessoas basicamente procuram a psicologia quando precisam superar algum problema, como a ansiedade, o estresse e a depressão. De fato, essa área do conhecimento apresenta mecanismos bastante eficazes na superação dessas adversidades. Entretanto, ela não se resume a isso.

Há um ramo da psicologia, chamado “psicologia positiva”, que se dedica menos aos problemas em si e mais a como ajudar as pessoas a serem felizes — que é, afinal, o objetivo de todos nós.

Quais são as melhores coisas da vida? O que precisamos fazer para sermos verdadeiramente felizes? Esses são alguns dos questionamentos que a psicologia positiva faz. A seguir, você confere uma lista com 10 dessas melhores coisas — pequenos passos para uma vida mais plena e feliz.

1. Viver as diferentes formas de amor

Diz-se popularmente que as melhores coisas da vida não são coisas. Isso quer dizer que o que realmente nos torna mais felizes são as experiências que vivemos —experiências essas que se tornam muito mais especiais por conta das pessoas que estão conosco nesses momentos.

O que seria dos natais, das viagens, das festas, enfim, dos momentos, se não fosse pelas pessoas com as quais estamos? Familiares, amigos, namorados — todas as relações que construímos com essas pessoas são diferentes formas de um nobre sentimento: o amor. Vivenciá-lo intensamente e cercar-se sempre das pessoas a quem amamos certamente é uma das melhores coisas da vida.

2. Contemplar a natureza

A natureza é perfeita. O sol, a chuva, os animais, as plantas, a cadeia alimentar, o nosso organismo meticulosamente projetado para preservar a vida e a saúde — todos esses fatos são exemplos de como a natureza é sinônimo de perfeição.

PSC Renascimento

Nem sempre nos damos conta da beleza que está ao nosso redor. O nascer do sol, o perfume das flores, o amor do animalzinho de estimação, a brisa que ameniza o calor, a risada inocente de uma criança — preste atenção nesses pequenos momentos. No fim da história, perceberemos que eles eram, na verdade, os grandes momentos.

3. Superar medos e desafios

Superar um medo ou desafio é, sem dúvida, uma das melhores sensações da vida. Vencer uma doença difícil, entregar um projeto complicado, tirar aquela nota alta num teste que parecia impossível, conseguir falar em público e até mesmo aprender a dirigir são momentos de superação.

A mágica desses momentos é que eles revelam que nós somos muito mais inteligentes, resilientes e fortes do que imaginávamos que fôssemos. Essa sensação de surpresa positiva consigo mesmo enche cada pessoa de coragem e de motivação para realizar seus sonhos.

4. Transformar sonhos em objetivos

Por falar em sonhos, sonhar é importante. Pensar na casa dos sonhos, no carro que tanto queremos, numa família feliz e saudável, num emprego que nos satisfaça profissionalmente ou naquela viagem desejada é muito gostoso.

Entretanto, sempre que tratamos esses pensamentos como sonhos, estamos focando muito mais na falta do que na sua possibilidade de concretização. Por isso, o que nos torna verdadeiramente felizes é a transformação de sonhos em objetivos. Quando colocamos esse sonho no papel, dividindo-o em metas e planejando os nossos recursos (tempo e dinheiro), percebemos que podemos, sim, realizá-los.

Apenas certifique-se de que seus sonhos sejam realistas. Nem todo mundo consegue ser modelo ou jogador de futebol, mas nem por isso seremos menos realizados.

5. Não colocar a ideia de felicidade sempre no futuro

Se você ainda está no processo de alcançar um objetivo, entenda que já é possível ser feliz nesse momento. A felicidade não está apenas no cruzar da linha de chegada, mas também em aproveitar o percurso. Se uma pessoa sempre deposita a sua felicidade no futuro, ela nunca vai chegar, certo? Mesmo que um objetivo seja alcançado, logo outro será fixado, adiando novamente o momento de ser feliz.

Não cometa esse erro. Todos os dias de nossas vidas apresentam momentos bons e momento ruins. É fato que algumas fases são mais pesadas do que outras, mas sempre há algo de bom que podemos extrair delas, sem perder a confiança de que uma fase melhor está por vir.

6. Reconhecer a importância das emoções positivas e negativas

Por falar em lidar com esses altos e baixos, é preciso desmistificar a ideia de felicidade. Muitas vezes, pensamos que a felicidade consiste na total ausência de problemas, com realização plena em todas as áreas da vida. Se alimentarmos esse tipo de pensamento, certamente encontraremos a frustração, pois uma vida sem problemas não existe em nenhum lugar do mundo, mesmo que às vezes acreditemos que algumas pessoas realmente parecem ter tudo o que desejam.

A vida é feita de emoções positivas e negativas. Esses dois grupos de sentimentos são importantes, afinal de contas, são eles que nos permitem identificar o que nos faz bem e o que nos faz mal. Os momentos bons são combustíveis para a nossa motivação. Os momentos difíceis são importantes para extrairmos aprendizados e para desenvolvermos a inteligência emocional. Saiba lidar com as duas fases.

7. Aceitar que o tempo passa

Essa é uma das verdades mais óbvias e libertadoras. O passar do tempo muda as circunstâncias de nossas vidas. Pessoas entram e saem da nossa história, opiniões e crenças são substituídas por outras que façam mais sentido, mudamos de casa, mudamos de emprego, mudamos de namorado, até nosso corpo muda — e como muda!

Dessa forma, não adianta querer avançar ou voltar no tempo. O futuro ainda não chegou, e o passado não pode ser mudado. Precisamos aceitar que o que foi não volta mais, mas que há beleza em toda e cada fase da vida.

 8. Abandonar o perfeccionismo

Quantas vezes você desistiu de fazer algo por não se considerar bom o bastante? Quantas vezes você já deixou de fazer algo que já estava bom porque tinha medo de não conseguir o ótimo?

O perfeccionismo pode parecer lindo nas entrevistas de emprego, mas, na vida real, ele nos paralisa, nos deixa inseguros e nos leva à desistência. Portanto, pare de perseguir a perfeição, simplesmente pelo fato de que ela não existe. Cada pessoa dá o melhor de si e vive como pode, em meio a erros e acertos. Você não é exceção a essa regra. Libertar-se do perfeccionismo é uma das melhores coisas da vida, sem dúvida.

9. Reduzir a preocupação com a opinião alheia

Por falar em perfeccionismo, muitas vezes ele está relacionado ao medo que temos da opinião do outro a nosso respeito. Contudo, faça as seguintes reflexões: alguém, que não seja você, está na sua pele 24 horas por dia? Alguém, que não seja você, sabe o que é ser você? Alguém, que não seja você, vai enfrentar as consequências dos seus atos?

Isso quer dizer que a única pessoa que sabe o que de fato faz você feliz é você mesmo. Assim, não ligue para as opiniões dos outros. Ninguém é unanimidade, e sempre haverá alguém para criticá-lo. Já que é assim, ao menos faça o que te faz feliz.

10. Acumular lembranças, não coisas

Você já foi a um velório? Já prestou atenção às conversas desse ambiente? Quando uma pessoa morre, seus familiares e amigos sempre conversam sobre suas qualidades, suas histórias, os bons momentos que foram passados juntos. Contudo, ninguém fica falando do salário que a pessoa tinha, do sapato que o cidadão calçava, ou do celular que ele usava.

Quando você partir dessa para melhor, o que deseja que as pessoas digam a seu respeito? Que sua roupa era bonita, ou que você proporcionou lembranças felizes? A felicidade está nas palavras amigas, nos abraços, nos conselhos, nos passeios, nas risadas, nos pequenos gestos. Certifique-se de que a sua história de vida tenha acontecimentos, e não objetos.

E você, quais das 10 coisas acima já fazem parte de sua trajetória? Quais pontos você sente que ainda precisa desenvolver? Quais itens você gostaria de adicionar à sua lista das melhores coisas da vida? Deixe seu comentário no espaço abaixo e não se esqueça de compartilhar este artigo com todos os seus amigos, colegas e familiares.