Todos nós somos tomados diariamente por diferentes emoções, que marcam os nossos melhores e piores momentos. Você que está lendo este texto com certeza consegue enumerar várias delas em poucos segundos. No entanto, você já parou para pensar sobre o que de fato é uma emoção? Por que elas existem? Qual é o seu papel para a nossa existência?

Algumas pessoas afirmam que as emoções só servem para nos atrapalhar e prejudicar o pensamento racional. Será que elas estão certas?  Existe um meio de desenvolver as emoções de uma maneira saudável e funcional? Continue lendo este artigo para encontrar as respostas para estas e outras perguntas.

O que é uma emoção?

De acordo com a definição mais clássica e científica, a emoção é uma reação da mente diante de um estímulo externo (algo que acontece em nossas vidas, em nosso meio). Quando percebemos alguma mudança no ambiente em que estamos, a mente produz uma reação (um novo estado mental) que tem o objetivo de nos adaptar à mudança identificada.

Cientistas verificaram que há 7 emoções básicas que podem ser encontradas em diferentes culturas pelo mundo: raiva, nojo, desprezo, tristeza, susto, felicidade e medo. Essas emoções podem ser identificadas por meio das expressões faciais e posturas corporais do indivíduo.

No entanto, há algumas emoções cuja interpretação pode variar de uma cultura para outra, como é o caso da culpa e da vergonha, já que elas estão associadas aos valores e costumes de uma sociedade.

Qual é a diferença em entre sentimento e emoção?

Em diversos contextos, encontramos as palavras “sentimento” e “emoção” sendo utilizadas como sinônimos. A psicologia, porém, determina que há algumas diferenças entre os dois conceitos.

Uma emoção é uma reação praticamente imediata de uma pessoa em resposta a algum evento externo. Por isso, as emoções têm um início rápido e espontâneo, com curta duração. Um sentimento, por sua vez, é um desdobramento de uma emoção, pois ele é o resultado da experiência subjetiva que cada indivíduo tem ao vivenciar uma emoção. Em outras palavras, sentimentos são as interpretações que fazemos sobre o que aconteceu conosco ao experimentarmos uma emoção.

PSC

Quando alguém afirma que passou o dia triste por conta de um acontecimento, ele está relatando um sentimento, decorrente daquela reação inicial de tristeza que teve ao receber uma notícia desagradável.

Como identificar uma emoção?

Estudos científicos comprovam que as emoções não são apenas respostas fisiológicas individuais a um determinado acontecimento. Aquilo que sentimos também é muito influenciado pelas reações das pessoas que convivem conosco e pelo significado que damos aos nossos sentimentos.

É por isso que algumas pessoas, quando se orgulham de um feito pessoal, podem também manifestar alguma culpa, pois têm medo de que seu orgulho seja entendido como arrogância, por exemplo. Dessa forma, identificar nossas emoções e sentimentos nem sempre é uma tarefa fácil.

Por que sentimos emoções?

Algumas pessoas acreditam que viver sem emoções seria mais fácil. No entanto, essas pessoas ignoram que as emoções possuem funções vitais para nos protegerem dos males do mundo e nos aproximarem daquilo que nos faz bem.

Quando uma pessoa sente tristeza, por exemplo, isso acontece para que ela perceba que algo em sua vida não lhe está fazendo bem e que, portanto, ela precisa promover alguma mudança. Ela pode precisar terminar um relacionamento, reconciliar-se com um antigo amigo, procurar um novo caminho profissional etc. Em contrapartida, quando uma pessoa sente felicidade, é como se sua mente estivesse confirmando que aquela atitude ou hábito está lhe fazendo bem, sugerindo que seja repetido.

O nojo também é um exemplo bem fácil para compreendermos a importância das emoções. Se não fosse por ele, dificilmente perceberíamos que um alimento está estragado, o que poderia nos deixar doentes.

O mesmo pode ser dito do medo. O homem das cavernas, ao se deparar com um animal feroz, precisava se preparar para lutar ou fugir. Em frações de segundos, a emoção do medo dispara a produção de adrenalina para acelerar os batimentos cardíacos, dilatar os vasos sanguíneos, aumentar a reatividade e dar mais forças aos músculos. Assim, esse ser humano foi capaz de sobreviver, e nossa espécie evoluiu e conseguiu chegar até aqui.

As emoções sempre fazem sentido?

Como podemos perceber, as nossas emoções são muito necessárias para que cada indivíduo desenvolva hábitos que protejam sua saúde e o aproximem de sua felicidade, ao mesmo tempo em que ele deve se afastar daquilo que pode lhe fazer mal.

No entanto, nem sempre as emoções estão adequadamente “calibradas”. É o caso de uma pessoa que sofre de transtorno de ansiedade, por exemplo. Nesse transtorno, o cérebro, por alguns desequilíbrios de neurotransmissores, passa a identificar ameaças (preparando-se para uma reação de luta ou fuga), mesmo quando está tudo bem.

Assim, o portador desse transtorno pode estar deitado no conforto e na segurança de sua própria cama e, ainda assim, experimentar sintomas como: pensamentos catastróficos, palpitação, falta de ar e sudorese intensa.

Por isso, para que as emoções cumpram adequadamente a sua função, é preciso que nossa saúde mental esteja em ordem. Transtornos de ansiedade ou de depressão, por exemplo, desequilibram esse sistema e, por isso, precisam de um tratamento médico e acompanhamento psicológico.

O que é inteligência emocional?

Para prevenir esse tipo de transtorno e também para que as pessoas que os enfrentam possam reequilibrar seus sentimentos, é preciso desenvolver a inteligência emocional.

A inteligência emocional é a capacidade que as pessoas têm (e que precisam desenvolver) para identificar suas emoções, administrá-las e, por fim, agir em resposta a elas da melhor maneira possível. Ela é pautada em três pilares básicos:

  • Compreender

O que estou sentindo? Por quê? Qual é a causa dessa emoção? É importante compreender seus sentimentos e em que contexto eles surgem. Saber dosá-los, mesmo nos momentos mais difíceis, é o primeiro passo para ser emocionalmente inteligente.

  • Administrar

A emoção que estou sentindo faz sentido? Ela é proporcional aos acontecimentos? Os sentimentos fazem parte da natureza humana, e é preciso canalizá-los para algo produtivo. Razão e emoção devem ser complementos, e não forças antagônicas, para alcançar seus objetivos de vida — pessoais e profissionais.

  • Agir

Qual atitude eu devo ter em resposta a essa emoção? Qual comportamento eu devo mudar para me sentir mais feliz? Desenvolver a inteligência emocional significa ter relacionamentos mais construtivos, compreender a si e ao outro, sentir-se mais realizado em diferentes áreas da vida e fortalecer-se diante das dificuldades. É preciso compreender e administrar as emoções, de modo que elas produzam na pessoa uma atitude que se converta em benefícios para sua vida.

Quando devemos procurar ajuda?

Lidar com as emoções nem sempre é uma tarefa fácil. Por isso, se você sente que há algo em sua vida que não vai bem e que está impactando negativamente as suas emoções, não hesite em procurar ajuda.

Evolutivamente, as preocupações básicas da humanidade são alimentação, sobrevivência e reprodução. No entanto, não somos mais homens das cavernas, e a experiência humana é hoje muito mais complexa. Por isso, a psicologia tem se dedicado muito ao estudo das emoções e de sua relação com os comportamentos humanos.

Se houver alguma questão emocional te incomodando, procure a ajuda de um psicólogo e, se necessário, de um médico psiquiatra.

Que as informações acima lhe ajudem a conduzir sua vida emocional com mais clareza e equilíbrio. Se você gostou deste artigo, deixe seu comentário abaixo e compartilhe-o com seus amigos, familiares e todos aqueles que você ama!