O conceito de identidade é bastante complexo, podendo ser definido de diferentes formas. Estudado pela psicologia, pela sociologia, pela antropologia, entre outras áreas do conhecimento, o termo “identidade” se refere àquilo que torna algo único, diferenciando-o dos outros seres.

No caso dos seres humanos, o conceito de identidade envolve tudo aquilo que é capaz de individualizar uma pessoa: personalidade, conhecimentos, atitudes, habilidades, hábitos, opiniões, crenças, aparência física, entre outros fatores.

Portanto, compreender a identidade de uma pessoa envolve conviver com ela por um bom tempo, dado que não se trata de algo superficial. Aliás, podemos fazer até mesmo um questionamento individual: você sabe qual é a sua própria identidade?

É com base nesses questionamentos que Pablo Marçal defende que a identidade é como uma cebola, que precisa ser analisada em suas 7 camadas, até chegarmos ao âmago do ser. Neste artigo, vamos compreender melhor quais são as 7 camadas da identidade do indivíduo.

1ª camada: Projeto

O conceito de “projeto” está relacionado ao que Deus tem para nós. Ele tem um projeto de vida para cada indivíduo, com base no que cada um tem a aprender, desenvolver e contribuir com a humanidade. Você, que agora lê este texto, não está aqui à toa.

A narrativa bíblica afirma que Deus criou o homem à sua imagem e semelhança. Portanto, temos algo mundano e algo divino dentro de nós. Essa é a primeira camada da nossa identidade: somos seres humanos, moradores da Terra, a qual dividimos com outros seres. É uma fase de aceitação e chamado ao propósito divino de viver aqui.

2ª camada: Autoimagem

PSC Renascimento

Se na primeira camada temos a forma como Deus nos vê, a segunda camada se refere à forma como nós mesmos nos enxergamos. Cada indivíduo tem uma visão sobre si próprio, o que inclui a sua aparência física, a sua personalidade, os seus valores, os seus objetivos, os seus medos, os seus saberes, as suas habilidades, as suas competências, e por aí vai.

A complexidade dessa camada é que, muitas vezes, a autoimagem é afetada pela imagem que o outro tem de nós. Em outras palavras, o que pensamos de nós mesmos pode ser influenciado pelo que as outras pessoas pensam — familiares, amigos, chefes, colegas, vizinhos etc. Por isso, desenvolver uma boa autoimagem depende de uma conexão da pessoa consigo mesma e da pessoa com Deus, amenizando a importância concedida às opiniões alheias.

3ª camada: Autoconhecimento

O autoconhecimento é um dos elementos mais fundamentais da identidade. Na camada anterior, a autoimagem é superficial, pois considera apenas a forma como a pessoa se enxerga. Nessa terceira camada, porém, temos um avanço importante, pois o indivíduo sai da superficialidade e mergulha no universo que é o seu próprio ser para compreendê-lo de forma intensa.

É uma fase de reflexão, em que você entende quem você é, sem que outros lhe deem a resposta. O indivíduo compreende o seu ser: forças, pontos de desenvolvimento, dons, talentos, habilidades, inteligência, emoções, atitudes, metas etc. “Quanto mais eu me conheço, mais eu me curo e me potencializo” — José Roberto Marques.

4ª camada: QI — Quociente Intelectual

Quando falamos em quociente intelectual, estamos falando no conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes de um indivíduo. Cada pessoa chega ao mundo com dons e aptidões específicos, que se complementam aos dons e aptidões das outras pessoas — o que nos fortalece coletivamente.

A esse respeito, devemos considerar que o conceito de inteligência se manifesta de diferentes formas na humanidade: lógico-matemática, linguística, naturalista, interpessoal, intrapessoal, emocional, espacial, corporal-cinestésica, artístico-musical etc. Cada pessoa deve conhecer a si mesma para potencializar o seu QI, que deve se desenvolver continuamente.

5ª camada: QE — Quociente Emocional

Na 5ª camada da identidade de um indivíduo está a sua capacidade de compreender, administrar e lidar com as próprias emoções e com as emoções dos seus semelhantes. É onde habitam a nossa alma e a nossa mente, que governam o nosso corpo e todas as nossas decisões e atitudes.

As pessoas precisam assumir uma postura de inteligência e equilíbrio das emoções, de modo que a mente possa governar a sua vida com sensatez, e não que as emoções governem a própria mente. É assim que as pessoas concretizam os seus propósitos e realizam os seus sonhos.

6ª camada: QS — Quociente Espiritual

A crença em uma vida espiritual também faz parte da identidade das pessoas. Ela consiste na manifestação da divindade em cada indivíduo. Refere-se, também, à fé de cada um e à crença de que existem mais coisas entre o Céu e a Terra do que a ciência já é capaz de explicar. Essa camada engloba a forma como nos relacionamos com Deus.

O quociente espiritual está associado também aos valores e princípios que norteiam a vida de cada pessoa, inclusive a forma como se relaciona com o outro. Envolve a evolução moral e comportamental de cada ser, dentro da ética, da autorresponsabilidade, da empatia e do altruísmo.

7ª camada: Plenitude e transbordo

Por fim, chegamos à camada mais interna de cada ser, que consiste na plenitude, ou seja, no alcance do seu propósito de vida. Chegar até aqui é uma consequência natural de já ter passado por todas as camadas anteriores.

A plenitude consiste em entender quem você é, em tornar-se melhor a cada dia e em transbordar a sua identidade às demais pessoas ao seu redor. Esse transbordo é o que permite que o mundo saiba quem você é e que as pessoas valorizem os seus saberes e atitudes. 

Não podemos descobrir a nossa identidade e guardá-la apenas para nós mesmos. Precisamos transformá-la em gestos concretos, que evidenciem o que há de melhor em nós para que possamos fazer a nossa parte na construção de um mundo melhor.

Como você pode notar, a identidade de uma pessoa é um elemento muito complexo, que precisa ser compreendido em diferentes níveis de profundidade, conforme as camadas que elencamos acima. Portanto, a jornada de cada pessoa nesse processo de autodescoberta é extremamente individual. Que você encontre o seu caminho, descobrindo e despertando o que há de melhor em você!

E você, querida pessoa, já encontrou a sua identidade? Em qual dessas camadas você se encontra na sua jornada? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!