O marketing interno e o endomarketing compreendem conjuntos de ações que melhoram a imagem da empresa junto ao seu público interno, ou seja, aos próprios colaboradores. Essas ações auxiliam na construção de um clima organizacional positivo, melhorando o nível de satisfação dos profissionais que trabalham ali.

Diversas literaturas utilizam os termos “endomarketing” e “marketing interno” como sinônimos. De fato, há semelhanças, mas será que esses conceitos se referem à mesma coisa? Quais são as suas características? Quais são os benefícios que oferecem? Como devem ser aplicados no ambiente organizacional? Quais departamentos devem se responsabilizar por eles? As respostas para essas e outras perguntas, você vai conferir no artigo a seguir. Siga em frente e boa leitura!

Marketing interno: o que é?

O marketing interno, neste contexto, será entendido como um sinônimo de comunicação interna. Ele auxilia no endomarketing, mas não é a mesma coisa. Esse segmento profissional cuida de toda a comunicação que circula internamente, entre os departamentos e entre os diretores e os colaboradores.

Nesse sentido, cabe ao marketing interno redigir e publicar todos os comunicados da empresa, estabelecendo canais oficiais de comunicação. Quando esse trabalho é feito com qualidade, ele ajuda a minimizar as informações desencontradas e os boatos que circulam pelos corredores.

Além disso, a comunicação interna auxilia na motivação dos profissionais e na propagação da imagem e dos valores da marca. Ela divulga comunicados, anuncia eventos, comunica resultados, enfim, favorece a união de todas as equipes. Também cabe ao marketing interno manter um canal aberto para que os próprios colaboradores manifestem as suas opiniões e sugestões. Isso promove uma gestão mais democrática e auxilia na retenção de talentos.

Endomarketing: o que é?

O endomarketing, por sua vez, consiste em um conjunto de ações práticas que melhoram a motivação e a qualidade de vida dos colaboradores das empresas. Aqui, não estamos falando mais de comunicação, mas de projetos concretos que geram engajamento e satisfação nos profissionais por serem membros daquela organização.

Assim como o marketing geral tem o objetivo de “seduzir” o público externo, o endomarketing faz isso com o público interno, levando as pessoas que fazem parte da empresa a serem defensoras delas — pela qualidade dos seus produtos/serviços e pelo próprio bem-estar em trabalhar naquele meio.

PSC

Cursos, treinamentos de capacitação, benefícios, salários atrativos, bônus por desempenho, eventos internos e ações voltadas à qualidade de vida no trabalho são exemplos de estratégias de endomarketing. Elas geram mais ânimo e motivação ao colaborador, que defenderá a empresa em que trabalha e contribuirá com a construção de uma imagem positiva para essa empresa, sobretudo por ser uma boa empregadora.

Como essas estratégias devem ser aplicadas nas organizações?

Em primeiro lugar, assim como ocorre no marketing tradicional, o marketing interno e o endomarketing precisam ser baseados em pesquisas junto ao público. Nesse caso, a pesquisa deve ser aplicada ao público interno (colaboradores), a fim de descobrir quais são os fatores que eles já admiram na empresa e quais são os pontos em que ela ainda pode melhorar — internamente falando.

No que diz respeito à comunicação interna, é importante estabelecer um canal oficial de comunicação, por meio do qual os diretores possam se comunicar com os colaboradores, e vice-versa. Esse canal oficial pode ser a própria rede de e-mails, uma rede de intranet, uma rede social interna e até mesmo um mural de avisos.

Já no que diz respeito ao endomarketing, cabe à empresa desenvolver políticas internas que atendam aos interesses dos seus colaboradores, dentro do que for possível. Cursos, treinamentos de capacitação, planos de carreira, salários mais atrativos, novos benefícios (planos de saúde, descontos em produtos etc.), eventos, confraternizações, bonificações por desempenho, entre outros, são ações estratégicas que fortalecem esse grau de satisfação do público interno.

Quais departamentos cuidam dessas ações?

Essa é uma questão que já ocorre nas empresas há um bom tempo. Algumas delas deixam essas ações inteiramente sob responsabilidade do marketing, enquanto outras a deixam inteiramente sob responsabilidade da área de recursos humanos. O mais comum, porém, é que o marketing interno seja administrado pelo marketing (mais especificamente pela equipe de comunicação), e o endomarketing pelo RH.

Todavia, não podemos deixar de citar que esses dois projetos precisam de uma parceria entre os dois departamentos. O RH, por exemplo, consegue realizar as pesquisas internas, ouvir os anseios dos colaboradores e desenvolver políticas de recursos humanos que sejam mais atrativas e que gerem mais satisfação.

O marketing, por sua vez, foca na parte de comunicação, ou seja, na elaboração de peças comunicacionais que divulguem a identidade da empresa, os valores institucionais e as ações que o departamento de RH estiver preparando.

Assim, esse departamento redige os comunicados, tira fotos dos eventos, grava vídeos institucionais, pensa no design das peças, alimenta as redes sociais internas, cria newsletters, divulga os eventos etc. Esse setor decide os canais mais estratégicos e os melhores estilos de linguagem para acessar o público interno.

Quais benefícios essas ações geram nas empresas?

Confira, na sequência, alguns dos principais benefícios que o marketing interno e o endomarketing promovem nas organizações:

  • Centralização de informações oficiais, evitando o surgimento de fofocas, boatos e informações desencontradas;
  • União dos colaboradores de diferentes departamentos, agilizando o fluxo de comunicação e desenvolvendo uma visão sistêmica para todos;
  • Fortalecimento da identidade institucional: missão, visão e valores da empresa;
  • Promoção de ações que aumentam a integração entre os colaboradores e a qualidade de vida no trabalho;
  • Aumento na motivação e na sensação de pertencimento à organização;
  • Aumento na produtividade;
  • Redução do absenteísmo (faltas e atrasos);
  • Redução do turnover (rotatividade de funcionários), aumentando a retenção de talentos e reduzindo os impactos financeiros desse fator;
  • Fortalecimento da reputação da empresa por ser um bom lugar para trabalhar (employer branding), atraindo o interesse de profissionais qualificados.

Como você pode notar, o marketing interno se refere à comunicação dentro da empresa, enquanto o endomarketing se refere às ações de engajamento, motivação e “conquista” do público interno, aumentando a sua satisfação em fazer parte daquela organização. Não são sinônimos, mas, certamente, são processos que caminham juntos, que se complementam e que têm objetivos em comum.

E você, querida pessoa, como avalia o marketing interno e o endomarketing na sua organização? O que pensa sobre essas áreas? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!