O estresse é um conjunto de reações físicas e mentais disparadas pelo organismo diante de situações entendidas como potencialmente negativas. Dessa forma, nos estressamos quando precisamos enfrentar uma situação adversa, o que pode acontecer em qualquer área da vida. O estresse nos ajuda a enfrentar essa ameaça.

No entanto, quando aparece em intensidade elevada ou em frequência excessiva, o estresse deixa de ser produtivo e começa a prejudicar a saúde e o desempenho das pessoas nas suas atividades. Quando isso ocorre dentro das empresas, no dia a dia de trabalho, falamos em “estresse organizacional”. Neste artigo, você vai compreender como esse problema ocorre e o que é possível fazer para evitá-lo. Siga em frente e tenha uma excelente leitura!

O que é o estresse organizacional?

estresse organizacional pode ter grande impacto sobre a produtividade e a motivação de um profissional ou mesmo da equipe inteira de uma empresa. A preocupação excessiva com questões do trabalho, a sobrecarga de atividades, a falta de segurança e infraestrutura e a insegurança em relação ao emprego são algumas das causas mais comuns do estresse sofrido pelos trabalhadores.

Este alto nível de tensão pode causar uma variedade de doenças físicas e emocionais e trazer problemas de saúde graves aos profissionais. Por isso, esse tipo de estresse tornou-se uma categoria específica — o estresse organizacional, que é consequência dos problemas típicos das empresas, no dia a dia de trabalho.

Quando os fatores causadores da tensão constante têm relação com uma gestão ineficaz ou com conflitos com as lideranças, esse incômodo pode se tornar um problema recorrente entre vários colaboradores, ou mesmo em todo um setor. Portanto, identificar os sinais de estresse organizacional é o primeiro passo para definir estratégias para se resolver o problema e prevenir que o mesmo volte a acometer a equipe.

Quais são as principais causas do estresse organizacional?

As principais causas do problema são:

  • Lideranças omissas ou autoritárias;
  • Ausência de infraestrutura adequada à execução dos trabalhos;
  • Metas fora da realidade;
  • Excesso de demandas, além das capacidades produtivas dos profissionais;
  • Excesso de horas extras e ausência de pausas para descanso;
  • Microgerenciamento e falta de liberdade ao colaborador;
  • Competitividade elevada entre os colaboradores;
  • Colegas com postura inflexível, que sempre querem impor as suas ideias sobre os demais;
  • Insatisfação com remuneração e benefícios;
  • Ausência de reconhecimento;
  • Ambiente hostil, com casos de desrespeito, preconceito, exclusão, ofensas, assédio etc.

Quais são os efeitos do estresse organizacional na saúde?

PSC Renascimento

O estresse pode provocar uma série de problemas de saúde, incluindo: pressão alta, dores de estômago, úlceras, dores de cabeça, palpitações, fadiga, sudorese intensa, alterações de peso, diarreia, náuseas, tonturas, alterações do apetite, oscilações de humor e dores musculares por todo o corpo. Em decorrência disso, um indivíduo que está sempre estressado, vai se sentir cansado o tempo todo, não importa se tenha acabado de acordar ou tirado algumas horas para descansar.

Além disso, uma saúde emocional prejudicada pode enfraquecer o sistema imunológico da pessoa, tornando-a mais propensa a contrair resfriados e outras infecções. Esses problemas de saúde podem aumentar a ocorrência de faltas e, em casos mais graves, acabar causando acidentes de trabalho e incapacitando o funcionário.

Quais são os impactos do estresse organizacional sobre o desempenho do colaborador?

O estresse também pode afetar a capacidade do colaborador de executar bem o seu trabalho. Ele atrapalha a concentração e a memória e diminui drasticamente a sua motivação, impedindo que o indivíduo se concentre para executar atividades mais complexas, mesmo que elas façam parte da sua rotina.

Assim, o profissional pode deixar de concluir determinadas tarefas importantes ou esquecer-se de realizar alguma parte fundamental de um processo. Se a gestão não apresenta uma abordagem motivadora, o membro da equipe sente que não há nenhuma razão para que ele se dedique ao trabalho. Além disso, o estresse pode causar sentimentos de negatividade, falta de entusiasmo e apatia. Nos casos mais graves, pode levar o indivíduo à depressão no trabalho.

Um profissional sobrecarregado e exausto dificilmente conseguirá cumprir prazos, pois o estresse pode afetar a sua capacidade de definir prioridades. Então, há a sensação de que ele não tem controle sobre o seu trabalho. Já os funcionários que possuem certa autonomia para desempenhar as suas funções e participam do processo de tomada de decisões da empresa, embora também sofram bastante pressão, são considerados menos propensos a sofrer desse estresse.

O que a empresa pode fazer para evitar o estresse organizacional?

Depois de entender o que é estresse organizacional, é importante saber o que pode ser feito para que ele não ocorra na sua empresa. O segredo está em manter a atenção em relação ao bem-estar no trabalho geral dos funcionários, o que inclui cuidar de aspectos como: ergonomia, saúde, valorização, reconhecimento, pertencimento, sobrecarga de funções, forma como as cobranças são feitas e relação interpessoal (envolvendo os colegas e os supervisores das equipes).

Preocupar-se com o bem-estar dos seus colaboradores é fundamental, já que eles são os ativos mais valiosos que uma empresa pode ter. Sem profissionais competentes e engajados, nenhuma empresa consegue sair do lugar e se destacar no mercado. Por isso, cuide muito bem dos seus profissionais e faça deles aliados poderosos do sucesso da sua organização.

O que o próprio colaborador pode fazer para evitar o problema?

Além das obrigações organizacionais, o próprio colaborador pode adotar alguns hábitos para reduzir o estresse:

  • Ter uma agenda para não sobrecarregar a mente ao tentar lembrar-se sozinha de todos os seus compromissos;
  • Definir prioridades;
  • Delegar o que for possível;
  • Pedir ajuda quando necessário;
  • Tratar a todos com respeito e exigir o mesmo;
  • Fazer pausas breves a cada 2h de trabalho para descanso;
  • Dizer “não” para as solicitações que estiverem fora das suas possibilidades;
  • Afastar-se das fofocas e das pessoas que não têm assuntos positivos e construtivos;
  • Alimentar-se e hidratar-se adequadamente;
  • Dormir uma quantidade suficiente de horas por noite;
  • Praticar atividade física;
  • Recorrer a atividades que promovem bem-estar mental: psicoterapia, meditação, oração, alongamentos, contato com a natureza, hobbies

Colocando as dicas acima em prática, você conseguirá amenizar os efeitos do estresse organizacional!

E você, ser de luz, como lida com esse problema? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!