É comum ouvirmos por aí que a generosidade é uma virtude que está em falta. Bem, talvez comparar uma época da história com outra não seja um meio eficaz de analisar o comportamento humano, afinal de contas, as circunstâncias podem ser completamente diferentes. Todavia, todos nós podemos concordar que conviver com pessoas generosas é muito bom, por mais raras que elas sejam.

Mas se a generosidade está mesmo em falta, saiba que você, querida pessoa, também pode fazer a sua parte na “sobrevivência” dessa qualidade tão humana. Neste artigo, vamos compreender melhor o que é a generosidade, quais são os seus benefícios e como podemos desenvolvê-la. Continue a leitura e saiba mais!

O que é a generosidade?

generosidade é uma força de caráter que reúne uma mistura de sentimentos positivos, como compaixão e delicadeza, e descreve a tendência dominante e genuína de um indivíduo em colaborar ativamente para o bem do próximo. Isso é o que podemos chamar de bondade e amor altruísta, uma vez que, para ser generoso, em primeiro plano, é preciso reconhecer a humanidade do outro, as suas qualidades e limitações e, ainda assim, considerá-lo merecedor do seu gesto legítimo de apreço.

A generosidade é o oposto da ganância. É uma demonstração de riqueza emocional e espiritual — e uma força que se contrapõe ao individualismo e ao egoísmo, pois o indivíduo que a tem como razão primeira busca sempre doar o seu melhor ao outro, sem pedir nenhuma recompensa por isso — caso contrário, deixa de ser generosidade!

Esse gesto bondoso alimenta a autoestima e o autoconhecimento, abre caminhos, elimina barreiras, atrai sentimentos positivos e confere um sentido maior à vida do indivíduo.

Quais são os benefícios de ser generoso?

  • A pessoa generosa se sente mais feliz, mais realizada e desenvolve mais qualidade de vida;
  • O indivíduo generoso é mais engajado, solidário, disposto a cuidar do outro e a prestar-lhe favores e praticar boas ações;
  • Pessoas generosas são mais dispostas a fazer sacrifícios em prol de outras pessoas;
  • A generosidade alimenta o amor ao próximo e confere maior significado à vida daquele que é generoso;
  • Indivíduos que são generosos são vistos como exemplos e indivíduos mais abertos a receber gestos de compaixão.
  • A generosidade está ligada a inúmeras emoções positivas e traz tanto benefícios físicos como emocionais;
  • Essa qualidade fortalece os laços de amizade e companheirismo, de modo que aquele que é generoso também tende a conquistar pessoas generosas ao seu redor.

O indivíduo generoso é uma pessoa misericordiosa, amo­rosa e solidária. Tem o desejo genuíno de oferecer a sua ajuda ao próximo da melhor maneira que puder. Assim, essas pessoas apresentam uma sensibilidade aguçada e sabem reconhecer com facilidade quando o outro precisa de seu auxílio, o que pode ocorrer por meio de uma palavra confortante ou de uma atitude generosa.

Uma pessoa generosa costuma também ser engajada em causas sociais, não mede esforços para ajudar a quem precisa e, por isso, muitas vezes, pode sacrificar-se para oferecer esse bem-estar.

Como fazer um bom uso da generosidade?

PSC

Confira, na sequência, alguns meios para desenvolver essa característica tão valiosa!

  • Ouça as pessoas na essência, prestando atenção ao que elas dizem;
  • Use a empatia e coloque-se no lugar delas, pensando em como você se sentiria se estivesse naquela posição;
  • Não julgue o outro, pois você não sabe quais são as circunstâncias da vida que o levam a pensar, falar e agir desta e não de outra maneira;
  • Pergunte como a pessoa se sente e como você pode ajudá-la nas dificuldades;
  • Seja simpático e sorridente, sempre cumprimentando as pessoas e tratando-as com respeito e educação;
  • Jamais desconte em outras pessoas os seus problemas particulares;
  • Compartilhe os seus conhecimentos, mas sem querer impor os seus pontos de vista aos outros;
  • Faça trabalhos voluntários, mas comece cuidando de quem estiver próximo de você — família, colegas e amigos;
  • Lembre-se de que pequenos favores podem ser muito úteis;
  • Sempre resolva as divergências com o diálogo.

Quais são os cuidados que devemos tomar ao sermos generosos?

A pessoa generosa é sensível às necessidades alheias e, por sua natureza, busca ajudar o outro de forma pura, ou seja, por desejar seu bem, e sem a intenção de recompensa futura.

No entanto, muitas pessoas podem abusar da sua generosidade e da sua disponibilidade em ajudar, concentrando essa ajuda apenas em prol de si. Isso faz com que o generoso se sobrecarregue dos problemas alheios e acabe assumindo a responsabilidade por resolver questões além de suas possibilidades. Isso não é benéfico, e pode prejudicar as relações da pessoa e até mesmo a sua saúde mental. Para evitar que isso ocorra, confira as dicas a seguir.

  • Use a generosidade também em prol das suas necessi­dades pessoais e, da mesma forma que doa, esteja aberto a receber auxílio de outras pessoas;
  • Lembre-se de que essa virtude é uma forma de demonstrar boas intenções, mas não o único modo de você ajudar alguém;
  • Ser generoso inclui saber o momento em que devemos recuar em nossa ajuda e deixar a pessoa seguir o seu próprio caminho;
  • Use a generosidade para inspirar as pessoas à sua volta a doarem-se mais ao próximo.
  • Procure, a cada ato generoso, aprender algo com a pessoa assistida;
  • Fale a mais e mais pessoas sobre os benefícios que a generosidade pode causar.

Refletindo sobre o seu uso dessa característica

Confira alguns questionamentos importantes sobre como você tem utilizado essa característica tão importante.

  • De 0 a 10, qual o nível da sua generosidade?
  • Que atitudes atestam que você é uma pessoa generosa?
  • Em que situações você acredita que ser generoso é fundamental?
  • Como a sua generosidade influencia a forma como as pessoas veem você e como você vê as pessoas ao seu redor?
  • Em que situações e com que pessoas você se sente mais generoso?
  • O que você sente quando exercita a sua generosidade com uma pessoa próxima, ou mesmo estranha?

E você, ser de luz, como tem exercitado a sua generosidade no dia a dia? Tem oferecido o seu melhor ao outro e também aceitado de bom grado receber esse gesto de compaixão do outro?  Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!