O feedback não é mais uma novidade para ninguém. Esse termo aparece continuamente no mundo corporativo, e até mesmo em outras áreas da vida, designando uma resposta, ou seja, uma avaliação do desempenho de um indivíduo em determinada atividade. Assim, é conhecendo essa avaliação que conseguimos melhorar e progredir, enfim alcançando os nossos objetivos.

Contudo, nem todo feedback é igual. Há diferentes tipos, sendo que as circunstâncias revelam qual deles é o mais indicado para cada contexto. Neste artigo, vamos conhecer melhor os tipos de feedback existentes, os benefícios que esse processo oferece às pessoas e às organizações e a relação existente entre o feedback e o processo de coaching. Continue a leitura e saiba mais!

O conceito de feedback

O termo Feedback vem do inglês e significa “dar uma resposta a um pedido ou acontecimento”. Esse termo é bastante utilizado em áreas como a psicologia, recursos humanos, marketing e administração de empresas. Trata-se do momento em que alguém dá um retorno a outra pessoa ou equipe, oferecendo-lhe um comentário avaliativo sobre algo que tenha feito ou dito.

De modo informal, damos feedbacks o tempo todo. De modo mais formalizado, especialmente nas empresas, há momentos específicos para os feedbacks acontecerem. Dependendo do contexto em que é utilizada, a palavra feedback quer dizer “resposta ou reação”. Nesse sentido, ele pode ser visto e entendido como positivo ou como negativo, dependendo dos resultados da avaliação que foi feita.

A função dos feedbacks em diferentes contextos

O significado de feedback é utilizado em teorias da administração de empresas, quando é dado um parecer sobre uma pessoa ou grupo de pessoas na realização de um trabalho, com o intuito de avaliar o seu desempenho. É uma ação que revela os pontos positivos e negativos do trabalho executado, tendo em vista a melhoria dele. Assim, os líderes dão feedbacks aos seus liderados nas empresas, com o objetivo de melhorar os resultados obtidos. Em algumas empresas, os líderes também recebem feedbacks.

No âmbito da psicologia, esse processo é também descrito como retroação, ou devolutiva, uma vertente da comunicação interpessoal que pode servir para minimizar conflitos entre indivíduos. O papel do feedback é aprimorar o trabalho dos colaboradores por meio da busca pelo aperfeiçoamento. Ele constitui um recurso importante, que permite uma reflexão da pessoa sobre a sua conduta profissional: em quais aspectos ela está acertando e quais pontos devem ser melhorados.

Os 3 tipos de feedback no processo de coaching

No processo de coaching, há 3 tipos de feedback que podem ser concedidos. Eles também já têm sido utilizados em várias empresas.

  • Feedback positivo: esse tipo de retorno é responsável por dar a informação de que o comportamento do profissional fez com que ele alcançasse os objetivos propostos com eficácia, estimulando-o a prosseguir;
  • Feedback negativo: esse tipo de feedback, por mais que seja para informar sobre algo que deu errado (pois é usado quando o profissional não atingiu os resultados esperados), serve também para encorajá-lo a mudanças e melhorias. Ele jamais deve ser confundido com broncas, ofensas e posturas que desmotivam o colaborador;
  • Feedback construtivo:(feedback burger): esse tipo de feedback consiste na informação sobre o comportamento de um profissional, acompanhada de uma sugestão de melhoria. Geralmente, ele mescla os 2 tipos anteriores, auxiliando o indivíduo tanto a corrigir o que precisa ser melhorado quanto a potencializar o que já está indo bem, com sugestões práticas para que isso ocorra.
PSC

Proporcionar esse tipo de comunicação gera mais confiança e dedicação no trabalho por parte de líderes, gestores e colaboradores, criando um ambiente aberto à comunicação e, consequentemente, melhorias nos relacionamentos e engajamentos.

Os benefícios do feedback para a vida das pessoas

Confira a seguir os 4 principais motivos pelos quais o feedback deve ser uma rotina, sobretudo no ambiente empresarial.

1. Reconhecimento e motivação

O feedback é o momento em que um líder reconhece o desempenho do seu liderado, considerando não apenas os resultados positivos, mas também os esforços, tentativas, dedicação e aprendizado. Isso revela o quanto a empresa valoriza os seus recursos humanos e desperta em cada profissional a motivação para continuar progredindo.

2. Identificação dos erros como fontes de aprendizado

Ao pontuar os erros, um feedback decente jamais os mostrará como “crimes” que precisam ser exemplarmente punidos (salvo em casos extremos, é claro). No que diz respeito aos erros comuns do dia a dia, porém, eles são entendidos como fontes de aprendizado, ensinando ao colaborador o que não deve ser feito. Eles são resultados de tentativas, o que revela ao menos que esse funcionário está tentando acertar e sair da sua zona de conforto.

3. Identificação dos pontos de melhoria

Ao identificar um erro, o líder pode mostrar ao liderado os pontos em que ele precisa melhorar. Por exemplo, ao corrigir o texto de um jornalista jovem, o editor experiente aponta vícios de linguagem, reforça regras gramaticais e apura a essência de um bom jornalismo. Assim, é reconhecendo o que precisa ser melhorado que o indivíduo identifica como pode progredir.

4. Sugestões de mudanças que levam ao progresso

Por fim, quem dá o feedback também pode e deve ajudar a pessoa a evoluir. Não se trata apenas de apontar o que foi bom e o que pode melhorar, mas também de orientar a pessoa a progredir, por meio de sugestões práticas. Isso se vê essencialmente no processo de coaching, nos consultórios dos psicólogos e até mesmo nas empresas em que os líderes estão verdadeiramente preocupados com o progresso dos seus funcionários.

A relação entre o feedback e o coaching

Em suma, esse poderoso método é uma técnica fundamental e altamente eficiente para líderes e coaches. No universo do coaching, dar e receber esse retorno é uma habilidade que precisa ser desenvolvida com maestria.

O feedback é um procedimento que consiste no provimento de informação a uma pessoa sobre o seu desempenho, conduta, eventualidade ou ação executada, objetivando orientar, reorientar e/ou estimular uma ou mais ações de melhoria, sobre as ações futuras ou executadas anteriormente.

Ao começar elogiando e descrevendo o comportamento do cliente/coachee, o coach está auxiliando a abertura dos canais neurais e cria receptividade com o indivíduo. Então, fica mais fácil sugerir um comportamento Y ou colocar uma pergunta poderosa. Ao finalizar o parecer de maneira positiva, o coach estará fazendo a prevenção de comportamentos, que são contrafeedbacks (atitudes negativas). Isso evidencia a importância de tornar esse processo rotineiro nas equipes.

E você, ser de luz, como lida com os feedbacks que recebe? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Por fim, lembre-se de compartilhar este artigo com todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e com quem mais possa se beneficiar deste conteúdo, por meio das suas redes sociais!