Aqui no blog, já falamos algumas vezes em propósito de vida e na importância de encontrá-lo. Basicamente, quando uma pessoa descobre, por exemplo, que o seu propósito é compartilhar os seus conhecimentos e exercê-lo por meio da profissão de professor, é sinal de que ela encontrou o caminho para viver essa missão, o que a deixa muito feliz.

Por isso, quando uma pessoa não encontra o seu propósito de vida, ela tende a viver com menos motivação e energia, talvez “pulando de galho em galho” até encontrar uma atividade que a faça minimamente satisfeita com a própria existência. Mas você não quer viver assim, não é mesmo?

Neste artigo, convidamos você para uma reflexão acerca dos perigos de viver sem um propósito maior. Preparado? Então, siga em frente e tenha uma ótima leitura!

O que é o propósito de vida?

O propósito de vida é a resposta que encontramos para a clássica pergunta: “o que eu estou fazendo neste mundo?”. Muitas pessoas passam a vida tentando encontrar a resposta em locais externos, mas a verdade é que ela está dentro de cada um de nós. O coaching e a psicoterapia, por exemplo, sabem muito bem disso, e é por isso que propõem um mergulho no autoconhecimento.

Quanto mais uma pessoa conhece a si mesma, mais ela conseguirá identificar as atividades que faz bem e as que faz com dificuldade, bem como aquelas que executa com prazer e aquelas que executa apenas por obrigação, quase sempre reclamando.

O seu propósito de vida será encontrado quando você identificar uma atividade que o permita concretizar os seus valores, colocar as suas habilidades em prática de forma útil e ainda sentir prazer com isso. Retomando o exemplo do professor: se ele domina a matéria que ensina, desenvolve continuamente as suas técnicas de ensino e sente prazer ao compartilhar o que sabe, podemos dizer que ele encontrou o seu propósito. Ele se alegra ao ver as mudanças que promove na sociedade por meio do seu ofício.

PSC Renascimento

No entanto, não pense você que um propósito de vida se concretiza apenas por meio do trabalho. Frequentemente, é na vida profissional que o colocamos em prática, mas não apenas nela. Talvez o seu propósito de vida seja cuidar da sua família, manter uma casa organizada, dedicar-se a iniciativas voluntárias, participar ativamente de atividades religiosas, e por aí vai.

Os riscos de não viver com propósito

Quando uma pessoa vive sem propósito, ela não vive verdadeiramente, mas apenas existe. É importante darmos algum significado à nossa existência. Saiba mais sobre os riscos de viver sem esse significado.

1. Desinteresse e raiva

Sem o propósito de vida, podemos viver de duas formas: a primeira é em total inércia e desinteresse pela vida. Não temos entusiasmo em nenhuma área, não sentimos vontade de explorar a nossa criatividade, trabalhamos com ansiedade e sob muito estresse. Nesse estado, cresce o medo de não ser amado e de se sentir um “ninguém” perante a si mesmo e aos outros.

A segunda forma de viver sem propósito é em estado de raiva e comparação incessante com todos ao redor. Internamente, construímos um inimigo, formado por tudo aquilo que não somos e invejamos nos outros, e nos vemos em uma batalha constante contra ele.

2. Vazio existencial

Nesses estados, vivemos uma vida limitada ao medo da morte, do fracasso, das doenças e da velhice. Reconhecemos a nossa história, mas nem sempre a honramos e respeitamos. Ligamo-nos às pessoas, mas adquirimos por elas um sentimento de posse que nos faz ter medo de perdê-las. Entendemo-nos como seres sociais inseridos em uma comunidade, mas nos esquecemos de todos os outros seres que fazem parte de outras comunidades, religiões, etnias.

Sem que consigamos preencher de significado os nossos dias, vivemos em uma espécie de piloto automático, do nascer ao pôr do sol, do início ao fim da vida. Isso pode conduzir algumas pessoas a um estado de mais introspecção, fechando-se ao convívio com os outros.

3. Apego material

Buscamos o dinheiro, e não a prosperidade. Buscamos uma conta bancária volumosa, mesmo que para isso seja preciso enganar pessoas, sonegar impostos e negligenciar até mesmo a própria família. Apegamo-nos aos prazeres efêmeros da vida, aos vícios e aos bens materiais, em uma tentativa desesperada de encontrar nesses itens algo que faça algum sentido e que permita que viver valha a pena. No entanto, sentimo-nos frustrados ao perceber que a felicidade não está em nada disso.

Não é possível nascer um propósito dentro de um ser desconectado do universo, pois, nessa condição, somos indivíduos com o campo de visão limitado. O encontro com o propósito só acontecerá quando sairmos do espaço que nos separa de todo o restante, quando atravessarmos a fronteira e decidirmos nos conectar com o que está ao nosso redor.

O poder do coaching para uma vida com propósito

Conforme citamos, para viver uma vida com propósito, precisamos parar de procurar respostas em ambientes externos e voltar para o nosso próprio interior. É dentro de nós que essas respostas residem. É no autoconhecimento que podemos descobrir o que queremos e o que não queremos da vida, o que fazemos com maestria e o que não dominamos muito.

Quanto mais uma pessoa conhecer a si mesma, mais ela terá sabedoria para tomar as suas decisões, tanto na vida pessoal como na vida profissional. E ser feliz é basicamente o resultado de fazer escolhas bem-sucedidas, o que só é possível se você souber o que deseja.

Nesse sentido, há diferentes meios de desenvolver o autoconhecimento, como a meditação, a psicoterapia e a própria espiritualidade. Além desses, é claro que o coaching, com todas as suas técnicas e ferramentas, também é extremamente útil para que as pessoas conheçam mais a si mesmas. Isso lhes permite não apenas que encontrem os seus propósitos de vida, mas também que desenvolvam meios de colocá-los em prática.

O coaching é uma metodologia que reúne conhecimentos oriundos de diferentes áreas, como a administração de empresas, a psicologia, a gestão de pessoas, entre outros. Reunindo todos esses saberes, é possível conduzir as pessoas por processos de autodescoberta, favorecendo o encontro e concretização do seu propósito individual.

E você, querida pessoa, já encontrou o seu propósito de vida? Como foi ou tem sido a sua jornada? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!