Estamos vivendo uma fase de instabilidade na economia brasileira, com quedas expressivas da produção interna, do poder de compra e da quantidade de empregos ofertados. Setores importantes, como a indústria e o comércio, têm sofrido muito os efeitos da crise. Com isso, estão contratando menos e demitindo mais, o que dificulta a vida de pessoas que estão à procura de um novo emprego.

Para um seleto grupo de profissionais, entretanto, a crise não tem causado nenhum impacto negativo nas suas carreiras.  Isso ocorre porque, ao enxugar os seus quadros de colaboradores, as empresas estão priorizando a contratação de mão de obra mais qualificada, e quem estiver bem preparado tem muito a ganhar.

Esse contexto também se aplica aos profissionais que já estão inseridos no mercado de trabalho, uma vez que eles estão constantemente sendo avaliados e desejados pelas empresas concorrentes. Ao receber um convite para mudar de emprego, o profissional empregado deve avaliar bem os prós e contras de fazer a mudança. Mas quais itens devem ser avaliados nesse momento? Confira as dicas a seguir e tenha uma excelente leitura!

O que avaliar antes de decidir mudar de emprego?

Antes de tomar a sua decisão, preste muita atenção nos 4 itens a seguir. Ignorá-los pode aumentar as suas chances de tomar uma decisão equivocada ou precipitada, que gerará arrependimentos em sequência. Confira!

1. As motivações para a mudança

Responda: o que faz você querer mudar de emprego? Encontrar novos desafios? Maiores possibilidades de ser líder? Um plano de carreira mais estruturado? Aumento de salário? Melhor infraestrutura? Congruência com os seus valores? Pacote de benefícios? Atividades diferentes das que você executa hoje? O ideal é que você saiba exatamente o que motiva sua mudança.

Pode ser que você esteja cansado do seu salário, da rotina e da cultura da sua empresa, das atividades que você executa ou da sua área profissional como um todo. Sendo assim, identifique as razões pelas quais você não deseja permanecer onde está. É com base nessas razões que você conseguirá entender o que você não quer e o que você quer para o seu futuro profissional.

2. O que a empresa atual tem a oferecer

Será mesmo que todas as possibilidades na sua empresa atual se esgotaram? Sonde o seu gestor sobre os planos de expansão da empresa para você e para a sua área, bem como as oportunidades de crescimento existentes. Com dados reais, fica mais fácil avaliar a sua situação e tomar uma decisão. Converse com ele sobre atividades, cargos, salários, perspectivas e sobre a própria situação de momento da organização.

PSC

Pode ser que as suas ideias acerca da empresa estejam equivocadas. Pode ser que existam, sim, oportunidades onde você nem imaginava que pudesse haver. Portanto, antes de decidir de vez sair, verifique mesmo se não há nada que pode fazê-lo mudar de ideia. Não custa dar uma última chance à empresa atual. Você pode se surpreender com ela!

3. O seu estado atual e o seu estado desejado

Além do salário mais atrativo, é importante se certificar de que a empresa nova ou o novo segmento de atuação escolhido ofereça os desafios profissionais que você está buscando. Do contrário, é possível que você se sinta desmotivado e estagnado, mesmo fazendo a mudança, o que seria uma grande perda de tempo e de energia.

Por conta disso, podemos compreender que até mesmo uma mudança de emprego depende do seu autoconhecimento. Em outras palavras, quanto mais você souber o que quer e o que não quer, mais você conseguirá identificar se as novas oportunidades são de fato mais compatíveis com o que você deseja para ser feliz do que o seu emprego atual. Conheça a si mesmo para fazer a sua escolha com eficácia!

4. As opções que você tem à frente

Por fim, faça uma lista com os prós e contras das duas empresas/ áreas de atuação que você está cogitando. Avalie aspectos como: horários, estabilidade, plano de carreira, distância, cultura organizacional, salários, benefícios, gestores, tipo de tarefa a ser executado, flexibilidade, estilo de vida etc.

Na sequência, avalie quais são os pontos positivos e negativos de cada uma. Para decidir, fique com aquela que melhor se encaixa no seu planejamento de vida e de carreira. Lembre-se de que não existe uma resposta certa, mas sim aquela que é mais adequada ao que o faz feliz profissionalmente. Por isso, se desejar, peça a opinião de outras pessoas, mas compreenda que a decisão final deve ser sua, afinal de contas, é você quem vai percorrer o caminho escolhido.

Dica bônus: o coaching

Após responder aos questionamentos acima, você estará preparado para tomar a sua decisão. Uma mudança de emprego, por mais atraente que seja, deve ser bem avaliada e preencher as expectativas do profissional em vários aspectos. Do contrário, fica apenas a frustração pela decisão errada.

Se você também deseja mudar de emprego, porém ainda não está certo da sua decisão, a dica é: faça coaching! O processo ajudará você a ajustar o foco, alinhar os pontos e decidir, com base nos seus valores e anseios profissionais, o que é melhor para a sua trajetória. Há coaches especializados em gestão de carreira e vida profissional, sobretudo no que diz respeito a esses delicados momentos de mudança, recolocação profissional e até mesmo de entrada em outras áreas do conhecimento.

Siga as dicas acima para definir os pontos a serem avaliados na sua decisão profissional. Por fim, lembre-se de que você pode sempre contar com o IBC — Instituto Brasileiro de Coaching para ter um auxílio poderoso no alcance dos seus objetivos, sejam eles pessoais, sejam profissionais.

E você, ser de luz, já passou por algum momento de mudança de emprego? Você avaliou os critérios apresentados acima? Como foi a sua experiência? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!