O ser humano é realmente extraordinário. Já conseguiu caminhar na lua, ultrapassar a barreira do som, desenvolver vacinas e curas para as mais inúmeras doenças, construir grandes monumentos e mudar o rumo da história. Entretanto, ainda tem muita dificuldade de lidar com as suas emoções e sentimentos, aceitar-se, perdoar a si mesmo e a quem possa ter lhe magoado e dar-se uma oportunidade de recomeço.

Perdão e autoaceitação caminham juntos, pois é aceitando as nossas falhas e os nossos erros que podemos nos perdoar por esses mesmos erros e falhas. Todos nós somos falíveis, erramos para acertar, acertamos ao errar, mas sempre fazemos isso buscando a realização de algum propósito que consideramos importante para nós. Não podemos desconsiderar a nossa intenção positiva.

Dessa forma, acompanhe-nos nesta poderosa reflexão sobre o poder do perdão e da autoaceitação!

Deixe o passado no passado

Por que se culpar por tentar? Por que remoer mágoas? Por que reviver os momentos ruins? E por que não aprender e crescer com eles? Saiba que temos sempre a opção de ressignificar as dificuldades e, quando os outros erram conosco, antes de julgá-los, podemos nos colocar em seu lugar e tentar entender por que aquilo ocorreu. Isso não muda o fato, mas nos dá outra perspectiva da situação.

Tendemos a simplificar tudo e a achar que tudo é pessoal, quando, muitas vezes, as coisas que nos afetam não foram direcionadas para nós. Magoamo-nos facilmente, julgamos rápido e, na mesma velocidade, sofremos por isso.

Não faz sentido, não é mesmo? Por que sofrer por erros passados se você pode seguir em frente? Por que manter vínculos com pessoas e fatos que lhe fazem mal? O melhor é libertar-se, dar a si mesmo a permissão para reagir de modo diferente e eliminar sofrimentos desnecessários.

Aceite-se do jeitinho que você é, mas procure evoluir

PSC Renascimento

Aceite-se como você é, mas sempre tendo em mente os pontos em que pode e precisa melhorar. Todo ser humano deve buscar evolução contínua, pois o caminho exige de nós darmos cada vez novos e melhores passos. Não podemos simplesmente nos colocar na posição de vítimas e estacionar à beira da estrada.

Cada um de nós é o protagonista da sua história e, como tal, deve procurar escrever um enredo que traga realizações pessoais, profissionais, equilíbrio, paz de espírito, amor-próprio e pelo próximo, motivação para seguir e resiliência para enfrentar e superar as dificuldades.

O perdão é essencial nesse processo. Por isso, permita-se perdoar e libertar-se de acontecimentos e indivíduos que tenham feito algum mal a você. Transforme essa decepção em aprendizado e força para continuar.

Retome a confiança nas pessoas

Saiba que nem todas as pessoas agem de má fé e que nem sempre a intenção daqueles que erram conosco é nos ferir ou magoar. Às vezes, acontecem coisas que simplesmente fogem ao nosso controle e que causam o efeito contrário ao que esperamos.

Isso nos deixa tristes, mas, assim como acontece com os outros, também ocorre com a gente. Por isso, antes de julgar e sofrer com isso, procure enxergar o lado bom do acontecimento e foque nisso. Você aprendeu algo? Cresceu com isso? Está mais preparado agora?

Com certeza sim, pois até mesmo as más experiências trazem coisas boas para a nossa vida. Viver o perdão é perdoar-se, perdoar o outro, aceitar a si mesmo em toda a sua infinita beleza e potencialidade e evoluir com isso. Lembre-se de que a escolha é sempre sua e os resultados também são seus!

Entenda a essência do perdão

Perdoar não é esquecer. No entanto, é reescrever a história. Se você cometeu um erro, precisa compreender que você é um ser humano e que errar está na sua essência.

Na verdade, é com os erros que aprendemos a maior parte das coisas da vida. O erro é doloroso no momento em que acontece, mas devemos ter em mente que ninguém pode voltar ao passado e mudá-lo. Todavia, podemos (e devemos!) agir no presente para construir um futuro mais feliz. Sem o perdão a nós mesmos, isso se torna impossível!

Já se outra pessoa cometeu um erro na sua direção, perdoar é permitir que ela siga em frente sem culpa. Quando você ofende alguém, ser perdoado pela pessoa produz uma sensação de paz e alívio, não é mesmo? Então, por que não fazer o mesmo com os outros? Aja em direção às pessoas assim como você gostaria que elas agissem em direção a você. Seja empático, uma vez que a empatia é a chave da reciprocidade.

Além disso, se você negar o perdão a alguém, estará se colocando em uma posição de superioridade que não é de fato sua. Todo ser humano erra, sem exceção. É claro que você não precisa voltar a ser amigo de quem o feriu. Aliás, pode até mesmo nunca mais ver a pessoa no seu caminho. Contudo, antes de cortar relações, perdoe-a e permita que ela siga o caminho dela em paz.

Conscientize-se de que não é fácil, mas vale a pena!

O propósito deste artigo é conscientizar as pessoas sobre a importância de aceitar a si mesmo e aos outros como são. Isso inclui entender que há falhas em cada indivíduo, que precisam ser perdoadas para que aprendizados valiosos possam ser extraídos.

Entender todos esses conceitos e colocá-los em prática não é uma tarefa fácil. Isso exige muita humildade, disciplina e paciência — pilares que não são assim tão fáceis de construir e cultivar. No entanto, a tarefa também não é impossível. Se você tiver em mente a recompensa que virá com esse processo — a sua paz de espírito —, certamente identificará que todo esforço vale a pena. Portanto, perdoe a si mesmo e aos outros quando errar, esforçando-se para fazer melhor da próxima vez!

E você, ser de luz, como lida com essas questões de perdão e aceitação — de si mesmo e do outro? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!