O leitor mais assíduo aqui do blog provavelmente já percebeu que existem diferentes maneiras de ser líder. Por mais que o objetivo seja sempre o mesmo — conduzir pessoas ao alcance de metas específicas —, os meios pelos quais isso é feito divergem bastante. Entre esses meios, o pragmatismo é considerado um dos mais conhecidos para liderar.

Neste artigo, você vai entender melhor o que é uma liderança pragmática e quais são as suas principais características. Ficou curioso? Então, é só dar continuidade à leitura a seguir para saber tudo sobre o tema!

O que é o pragmatismo e qual a sua importância para as lideranças?

O pragmatismo é uma escola da Filosofia estabelecida no final do século XIX. O seu princípio básico é que o valor de uma ideia está na sua capacidade de ser colocada em prática e gerar resultados positivos. Assim, na concepção popular, diz-se que o indivíduo pragmático é aquele que avalia os pensamentos e as ideias com base na sua utilidade e nos seus efeitos práticos.

Dessa forma, uma pessoa pragmática é prática, objetiva e realista. Essa postura, contudo, não pode ser confundida com a frieza. Um líder pragmático tem essas características, mas não pode ser frio. A sua objetividade não pode ser mecânica, separada do aspecto humano e motivacional da arte de liderar.

Quais são as características de uma liderança pragmática?

Ao ler as definições acima, fica mais fácil compreender o conceito de pragmatismo. Nas lideranças, ele evita que as pessoas sonhem demais, tirando os pés do chão e perdendo muito tempo com ideias que não possam ser aplicadas na prática. Confira, na sequência, as principais características desse estilo de liderança.

1. Valorização da informação

Uma liderança pragmática valoriza os dados, mas não qualquer tipo de dado. Eles devem ser oriundos de fontes fidedignas, de valor comprovado. A partir dessa confirmação, os dados podem ser utilizados pelas equipes de trabalho, que os transformam em informações e em conhecimentos contextualizados para embasar as suas tomadas de decisão. Como se sabe, decisões baseadas em dados têm chances muito menores de erros, e um líder pragmático não se deixa levar por “achismos”.

2. Planejamento estratégico

PSC Renascimento

O planejamento estratégico é o processo em que uma equipe de trabalho identifica o seu estado atual e estabelece um estado desejado, traçando um caminho que una esses dois pontos. Para isso, o objetivo definido é específico, mensurável, realista e relevante. Em seguida, o líder define as tarefas a serem executadas para alcançar essas metas, delegando-as de acordo com os conhecimentos e habilidades de cada indivíduo. Define também as métricas de avaliação do progresso da equipe.

3. Gestão democrática

Um líder pragmático pode e deve ser democrático. Ele tem consciência de que não detém, sozinho, todo o conhecimento necessário para tomar as decisões mais sábias. Por mais que a palavra final seja dele, ele sabe dar voz e vez a todos os seus liderados, reunindo-se com frequência com a equipe para conhecer diferentes pontos de vista. É com base nessas discussões que ele define o caminho a ser seguido por todos. Assim, ser pragmático não significa ser frio ou egoísta, como alguns possam pensar.

4. Objetividade e significado

O pragmatismo caminha lado a lado com a objetividade, ou seja, com a capacidade de encontrar sentido em tudo aquilo que é feito, descartando da rotina o que não for contribuir com a meta que precisa ser alcançada. Para isso, o líder pragmático está sempre reforçando o sentido, isto é, o significado de tudo aquilo que está sendo feito pela equipe. Ele sabe que, quando as pessoas que trabalham na equipe enxergam sentido e utilidade naquilo que fazem, há mais motivação e produtividade no dia a dia.

5. Estímulo à confiança e à responsabilidade

Esse tipo de líder, portanto, sabe fortalecer a motivação de todos. Ele é realista ao dar os seus feedbacks, comunicando o que precisa ser melhorado, mas também reconhecendo as forças de cada um. Por isso, ele estimula os seus liderados a uma postura de otimismo e confiança. Todavia, também ressalta a necessidade da responsabilidade e da disciplina, reforçando que atos têm consequências e que cada um deve ser responsabilizar pelos seus. A seriedade e o profissionalismo são pilares essenciais.

6. Clareza na comunicação

É impossível falar em objetividade e pragmatismo sem falar em clareza na comunicação. O líder pragmático comunica-se muito bem, pois todas as suas mensagens têm um objetivo específico, com começo, meio e fim. Seja ao falar ou ao escrever, esse líder transmite a sua mensagem de forma completa, mas sem rodeios.

Ele tira todas as dúvidas dos liderados e os orienta ao longo da execução das atividades. Da mesma maneira, estimula a objetividade na comunicação de todos, evitando qualquer incompreensão ou mal-entendido.

7. Clareza nas estruturas e processos

Assim como a comunicação, os processos das equipes de um líder pragmático também são claros. Isso significa que, por mais que todos devam colaborar com todos, há funções e cargos definidos para cada um. Dessa forma, essas equipes costumam funcionar com um fluxo de trabalho definido e padronizado, pois isso favorece a economia de tempo e de recursos, além de diminuir a ocorrência de erros e elevar a produtividade do time. Alterações podem ser feitas, mas sempre com análise.

8. Segurança psicológica, sobretudo diante do erro

O líder pragmático oferece todas as ferramentas possíveis para que o trabalho da equipe ocorra com eficácia e objetividade. Ele é organizado ao distribuir os recursos financeiros, materiais, tecnológicos e de tempo a todos. Contudo, nada disso teria sentido sem segurança psicológica.

Por isso, esse líder também reforça as regras básicas de ética e boa convivência entre todos, garantindo que haja um clima organizacional harmônico. Se um erro for cometido, ele será corrigido, mas também entendido como uma valiosa oportunidade de aprendizado.

Concluindo, a liderança pragmática é séria, profissional, objetiva e prática. Todavia, ela não deixa de lado o aspecto humano e motivacional do processo. O que ela deseja é bem-estar entre todos os membros da equipe, de modo que possam alcançar os objetivos colimados da melhor maneira possível, com eficácia e produtividade.

E você, querida pessoa, identifica uma liderança pragmática na sua empresa? Como ela se manifesta? Qual é a sua opinião sobre esse estilo de liderar? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!