A pessoa com a qual você se relaciona. Os locais que você frequenta. A profissão que você exerce. A roupa que você está vestindo. O que você comeu hoje no café da manhã. Sabe o que tudo isso tem em comum? Cada um desses fatores é fruto de uma decisão que você tomou.

No dia a dia, nem sempre percebemos o quanto as decisões estão presentes. É comum que foquemos muito mais nos fatores externos que atrapalham o nosso caminho. Todavia, devemos ter em mente que boa parte dos nossos resultados atuais diz respeito às decisões que nós mesmos tomamos. Sua decisão muda tudo!

A seguir, você vai compreender melhor a importância das decisões que tomamos e como podemos ser mais conscientes e bem-sucedidos nesses momentos. Preparado? Então, continue a leitura e saiba mais!

Por que uma decisão muda tudo?

Nem tudo na vida está sob o nosso controle. Entretanto, boa parte das coisas depende, sim, das nossas escolhas. Como citamos, nós escolhemos a nossa profissão, os nossos relacionamentos, os nossos círculos de amizade e até a roupa que vestimos.

Por isso, se há algum aspecto da sua vida que faz com que você se sinta infeliz, verifique se isso se deve aos fatores que não dependem de você ou às decisões que você tem tomado. Esse exercício é difícil, mas fundamental para uma vida mais feliz.

Você é hoje resultado de todas as decisões que tomou ontem. Além disso, o seu amanhã será resultado das escolhas que fizer hoje. Mesmo que aspectos externos e incontroláveis atravessem as nossas vidas, isso não nos exime das nossas próprias responsabilidades.

Como tomar decisões melhores?

Se as nossas decisões são assim tão impactantes sobre o nosso nível de satisfação sobre a vida pessoal e profissional, isso significa que nós devemos aprimorar a arte de fazer escolhas. Mas como fazer isso? Na sequência, você vai conferir algumas orientações fundamentais nesse sentido.

1. Valorize o que você já tem

PSC

Em primeiro lugar, é importante que você dê valor às coisas que você já tem, mesmo que elas ainda não sejam exatamente o que você sonhou. Não espere perdê-las para dar a elas o devido valor. Valorize o seu namorado, a sua casa, o seu carro, o seu emprego. Por mais que não sejam maravilhosos, eles permitem que você viva a vida que você tem hoje. É agradecendo pelo que já conquistamos que comunicamos ao universo que estamos prontos para novas etapas. Seja grato sempre!

2. Conheça a si mesmo para definir bons objetivos

Em segundo lugar, tenha em mente que a qualidade das decisões que você toma sempre será proporcional a quanto você conhece a si mesmo. Se você não investe em autoconhecimento, é muito mais provável que você faça as suas escolhas de forma impulsiva ou sendo influenciado por outras pessoas. 

Todavia, se você conhecer a si mesmo em profundidade (os seus sonhos, objetivos, medos, valores, limitações etc.), conseguirá tomar decisões mais sábias, que de fato o aproximarão do seu estado desejado.

3. Prepare-se

Ninguém sabe quando precisaremos tomar uma decisão. Às vezes, naquele dia morno e sem graça, surge uma determinada situação em que precisamos fazer uma escolha importantíssima. Quem é que nunca recebeu uma proposta de emprego quando menos esperava, não é mesmo? 

Portanto, esteja sempre ciente do que se passa ao seu redor. Colha informações, esteja atento ao momento, atualize os seus saberes e esteja preparado. Assim, por mais súbita que seja uma decisão, você conseguirá escolher com sabedoria.

4. Evite tomar decisões sob fortes emoções

A sabedoria popular nos diz que não devemos prometer nada quando estivermos felizes, discutir quando estivermos com raiva e tomar decisões quando estivermos tristes. Por mais que as emoções sejam parte importante das nossas vidas, a sua intensidade pode interferir no pensamento racional, que é importante na hora de tomar decisões. Por isso, ao perceber-se diante de uma emoção intensa, deixe a decisão para mais tarde, quando estiver mais calmo. A impulsividade gera más escolhas.

5. Fique atento aos conselhos que receber

Quando precisamos fazer uma escolha complexa, é natural que surja aquela vontade de pedir conselhos. Aliás, às vezes eles vêm até nós, mesmo sem que tenhamos solicitado. Nesses momentos, seja muito cuidadoso. Será que essa pessoa que o aconselha realmente quer o seu bem? Será que o que dá certo para o outro também dará certo para você? 

Lembre-se de respeitar a sua individualidade. Converse com quem tiver mais experiência no assunto, mas tenha em mente que ninguém conhece você tão bem quanto você mesmo.

6. Verifique as suas opções e, se possível, teste-as

Imagine que você queira sair da sua cidade atual para morar em uma cidade menor e mais tranquila. A ideia parece maravilhosa, mas há alguns fatores que só serão descobertos na prática. 

Por isso, uma boa ideia é alugar momentaneamente um imóvel nessas cidades do seu interesse para verificar se você realmente se adapta àquele estilo de vida. Leve esse conselho para as outras áreas da sua vida. Analise os prós e contras de cada opção e, se possível, teste-as antes de tomar a sua decisão.

7. Não abra mão dos seus valores

Se alguma decisão o está forçando a abrir mão da sua essência ou dos seus valores, saiba que ela já está custando caro demais. Se alguma atividade profissional ou cultura organizacional, por exemplo, exige que você prejudique algum colega para progredir, e você discorda desse tipo de atitude, saia desse ambiente. As decisões que você toma na vida, em qualquer área, precisam ser congruentes com os seus princípios, caso contrário, serão fonte de infelicidade.

8. Recomece quando for preciso

Por fim, tenha em mente que existem decisões eternas, mas há outras que podem ser revistas. Ter um filho é uma decisão eterna, mas a escolha de uma carreira, por exemplo, pode ser mudada. Nessas decisões que podem ser alteradas, saiba que você pode voltar atrás e recomeçar. Se você estiver infeliz com algum caminho tomado, recalcule a rota. Você não tem um compromisso com o erro. Se houver essa possibilidade, altere as suas escolhas e seja feliz!

Como você pode perceber, fazer escolhas é algo complexo, pois requer maturidade para lidar com as consequências das nossas decisões. No entanto, é decidindo que construímos o nosso futuro e, consequentemente, a nossa felicidade. Assim, coloque as dicas acima em prática e seja imensamente feliz!

“Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir.” — autoria desconhecida.

E você, querida pessoa, tem mais alguma dica que leva em consideração na hora de tomar decisões? Qual? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!