“Vou ser demitido”  algumas pessoas entram em pânico só de pensar nessa ideia ou de saber dessa possibilidade, afinal, essa é uma situação muito difícil, tanto do ponto de vista financeiro como psicológico.

Aceitar que, de um momento para outro, a estabilidade financeira pode simplesmente deixar de existir e você pode ser um profissional que não está mais nos planos da empresa a que tanto se dedicou é realmente muito impactante. Entretanto, ignorar a situação não é a melhor maneira de resolver o problema.

Neste artigo, você vai conferir algumas dicas para lidar melhor com essa situação. Para descobrir e colocá-las em prática, é só dar continuidade à leitura a seguir!

Potencialize suas habilidades e permaneça em constante
desenvolvimento! Clique aqui e descubra como isso
é possível! Acesse “Tudo sobre Coaching”!

1. Saiba identificar os sinais da uma possível demissão

Antes de qualquer coisa, é essencial que o indivíduo aprenda a observar os sinais e a coletar as pistas para ter um quadro mais bem delineado diante de si e para não inventar ideias que sequer foram cogitadas pela organização. Nesse sentido, preste atenção a situações em que:

  • Você foi o único do seu setor a não ser chamado para uma reunião;
  • Uma tarefa que era sua foi passada para algum colega;
  • Você não recebe mais novas demandas;
  • Os seus colegas de trabalho não olham nos seus olhos;
  • Existe um movimento no setor de Recursos Humanos para encontrar profissionais com o seu perfil;
  • Há outras demissões em andamento (possível cenário de crise financeira ou redução estratégica do quadro de colaboradores).

Esses, de modo geral, são os sinais mais evidentes de que realmente a empresa está pensando em substituir você. A partir deles, é interessante ficar mais atento para assegurar a sua vaga.

2. Pergunte diretamente para a fonte

Se, para você, a demissão é uma certeza, por não estar mais sendo integrado aos planos da empresa, é necessário saber como agir. Por isso, há algumas atitudes que você pode tomar e de que precisa saber. Um desligamento iminente pode se tornar menos traumático se o funcionário souber dela de antemão, pois, assim, não será pego de surpresa. Aliás, é o que as empresas chamam de “demissão humanizada”, levando em consideração que a transparência é fundamental na comunicação.

PSC

Ao observar os sinais listados acima e identificar a possibilidade de ser mandado embora, não deixe que essa incerteza se torne uma grande agonia. Converse diretamente com o seu chefe e pergunte a ele sobre essa possibilidade. É melhor saber antecipadamente e conseguir planejar-se para restabelecer-se profissional e financeiramente do que ser pego de surpresa, concorda?

Preparamos um teste para VOCÊ descobrir o quanto
é FELIZ! Clique aqui e conheça nosso
“Termômetro da Felicidade” !

3. Abra espaço para críticas construtivas

Quando conseguir conversar com o seu superior a respeito dos rumores da sua demissão, demonstre que está aberto a ouvir críticas que podem ajudá-lo a se tornar um profissional melhor. Em alguns casos, a postura adotada é o suficiente para que o colaborador seja mantido no emprego. Os chefes podem mudar de ideia diante de uma conversa franca, focada na evolução do profissional. Dialogar pode ser a chave para a resolução de muitos problemas nas empresas.

Se houver predisposição do funcionário a mudar e se tornar mais produtivo para a companhia, pode ser que ele tenha uma segunda chance, e não seja mais demitido. Todavia, é importante chegar para a conversa com humildade, disposto a ouvir o que todos têm a dizer a respeito do seu desempenho profissional. Chegar ao encontro “armado” para defender-se e rebater as críticas pode apenas agravar a situação. Seja moderado.

4. Trabalhe da melhor forma possível

É desafiador se manter bem emocionalmente sabendo que o seu emprego pode estar em risco, porém, abalar-se e não se concentrar nas tarefas não ajudará em nada. Dessa forma, a dica que podemos dar é a de se dedicar ao máximo, pois, mesmo que você seja demitido, saberá que é um bom profissional, alimentará a sua autoconfiança e terá boas chances de ser realocado no mercado de trabalho o quanto antes.

Além disso, lembre-se do que citamos no item anterior: a decisão pode ainda não estar 100% definida. Assim, se você tiver um bom desempenho nesses últimos dias, pode ser que os chefes pensem duas vezes antes de dispensá-lo. Além do mais, lembre-se de que essa suspeita pode ser apenas fruto da sua imaginação. Portanto, não perca a dedicação para o trabalho.

5. Torne-se necessário para a empresa

Ao ter o pensamento de que vai ser demitido, você deve pensar no quanto isso afeta a sua vida. Se, realmente, você não quer sair desse emprego, precisa ter uma boa estratégia para evitar o corte imediato.

Nesse sentido, a dica é tornar-se necessário para a empresa assumindo novos papéis e responsabilidades. Peça uma oportunidade ao seu gestor, esteja mais disponível, demonstre que as suas habilidades são imprescindíveis e mostre o seu valor. Isso, por si só, não vai garantir a sua permanência, mas mostrará a sua vontade de continuar. Além disso, é importante colocar em evidência os seus diferenciais, bem como aqueles processos que só você sabe conduzir. Isso pode mudar a mente dos chefes.

6. Procure um plano B

Por fim, entenda que, mesmo enquanto você coloca as dicas acima em prática, é importante ter um plano B. Por isso, se estiver com receio de ser mandado embora, atualize o seu currículo, cadastre-se em sites de vagas de emprego, candidate-se às vagas que forem compatíveis com o seu perfil e ative a sua rede de contatos. É sempre melhor prevenir do que remediar, não é mesmo? Portanto, não perca tempo e deixe o plano B de prontidão.

Que você realmente não passe por esse momento de achar que vai ser demitido. Contudo, se passar, que as dicas acima sejam úteis para que você sofra o mínimo possível com essa situação tão delicada!

E aí, ser de luz, as dicas acima foram úteis? Você se sente mais preparado para manter-se no seu emprego? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!