Alguns valores são universais e atemporais. Isso quer dizer que eles devem ser ensinados às gerações futuras, independentemente da época ou do lugar em que as pessoas vivam. São ensinamentos fundamentais para uma vida digna e feliz, mas de que alguns adultos parecem ter se esquecido.

Para evitar que isso aconteça com os seus filhos, sobrinhos, alunos ou com qualquer criança ou adolescente que faça parte do seu meio, confira a lista de valores que separamos e que jamais devem ser esquecidos. Aja no sentido de compartilhar esses valores com os mais jovens, tanto por meio das suas palavras como por meio das suas atitudes. Boa leitura!

1. Fraternidade

Fraternidade e solidariedade são valores que expressam a preocupação e o cuidado com o próximo. Não devemos agir pensando apenas em nós mesmos. O outro existe e, frequentemente, precisa da nossa ajuda. Mesmo que não se trate de um gesto concreto, uma simples palavra amiga pode fazer a diferença. É importante combater os impulsos egoístas e individualistas da nossa era. Agir sem ofender ninguém, compartilhar, doar e entender que o outro também tem direitos é fundamental.

2. Humildade

A humildade é a característica daquele que compreende que não está em posição de superioridade diante dos outros. Por isso, ele combate a arrogância e a prepotência das suas atitudes, evitando ofender e humilhar qualquer pessoa. A ideia de igualdade é defendida, de modo que as ações são sempre altruístas. A humildade também nos leva a compreender os nossos defeitos e erros, a pedir desculpas e a reparar os atos nocivos. É importante aprender com os próprios erros e não julgar os erros alheios.

3. Responsabilidade

A responsabilidade é a capacidade de um indivíduo de cumprir o que promete e de arcar com as consequências dos seus próprios atos. Isso envolve ser pontual, pagar o que deve e cumprir com a sua palavra. Não se trata de ser “careta” ou “certinho”, mas sim de ser honesto e de compreender que as suas atitudes impactam não somente a sua vida, como também as vidas dos outros. Por isso, seja na vida pessoal, seja na vida profissional, aja com responsabilidade, sem prejudicar ninguém.

4. Persistência

Persistir é diferente de insistir. Insistir significa fazer sempre a mesma coisa para alcançar algo, o que geralmente é ineficaz. Já persistir é tentar de jeitos diferentes, sem perder o ânimo, até encontrar uma maneira de conquistar as suas metas. Persistir, portanto, é sinônimo de perseverar, de não desistir e de dar o melhor de si na realização dos seus sonhos. Não devemos desistir nos primeiros obstáculos. É fundamental ter resiliência para superá-los e seguir em frente, rumo à felicidade.

5. Otimismo

O otimismo jamais deve ser confundido com a ingenuidade. Ser otimista significa fazer a sua parte e confiar nas suas próprias competências e nas providências da vida para que tudo dê certo. Já ser ingênuo significa esperar bons resultados sem ter feito o que devia. Uma pessoa otimista é alegre e enxerga o lado positivo das coisas, até mesmo das situações mais difíceis. É assim que ela reúne forças para agir e resolver os seus problemas. Veja o copo meio cheio e encontre energia para vencer!

6. Coragem

PSC

Viver demanda coragem. Ter coragem é ter ousadia, o que jamais deve ser confundido com a ausência de medo. O medo é uma emoção importante, que nos leva a agir com mais prudência, planejamento, cuidado e inteligência. O corajoso, portanto, sente o medo, mas isso não o impede de agir, apenas o torna mais prudente. É preciso correr alguns riscos para alcançarmos a felicidade nas diferentes áreas da vida. Precisamos nos acostumar a isso e mudar de vida quando estivermos infelizes.

7. Lealdade

Lealdade significa ser fiel àqueles a quem você ama e a quem dá a sua palavra. Assim, é importante ser leal aos familiares, aos amigos, aos colegas de trabalho, enfim, a todas aquelas pessoas que são dignas do seu respeito e da sua admiração. De modo similar, aqueles que são leais a nós nos defenderão e nos socorrerão diante das adversidades. Portanto, aja da mesma maneira em relação a eles, tendo em mente que a lealdade é uma via de mão dupla. Faça a sua parte!

8. Flexibilidade

É importante que você lute pelos seus objetivos. No entanto, compreenda que as circunstâncias mudam, de modo que, de vez em quando, precisamos adaptar os nossos planos a novos cenários. Além disso, há momentos em que precisamos conciliar as nossas vontades com as vontades dos outros. Diante disso, devemos defender as nossas ideias, mas, ao mesmo tempo, saber a hora de ceder. A flexibilidade é o que melhora as nossas relações e nos conduz à felicidade.

9. Tolerância

Quando você erra, você pede a compaixão das outras pessoas, pelo perdão e pela possibilidade de uma nova chance, não é mesmo? Assim sendo, procure agir da mesma forma com o outro. Você não é o dono da razão, de modo que a tolerância também é uma lição a ser ensinada e praticada. Se você não tolerar, como pode esperar que o outro faça isso por você? Aprenda a conviver com as diferenças, pois o mundo é um lugar melhor justamente pela diversidade das pessoas que o povoam.

10. Respeito e honestidade

Por fim, nunca é demais ensinar o seu filho a dizer “bom dia”, “com licença”, “por favor”, “obrigado”, “me desculpe”, entre outras expressões que revelam respeito e educação. Além disso, ensine-o a sempre dizer a verdade, a defender a justiça, a fazer o que é certo, a ser coerente com os seus próprios valores e a defender a si mesmo sem humilhar ninguém.

Colocar tudo isso em prática não é fácil para os adultos, que dirá para as crianças e os adolescentes. Contudo, quando ensinamos esses valores desde cedo e os reforçamos ao longo da vida, conseguimos viver com essa integridade que nos conduz à felicidade. O processo não é fácil, mas vale muito a pena, sobretudo quando deitamos a cabeça sobre o travesseiro e dormimos com a consciência tranquila.

E você, ser de luz, quais valores procura transmitir aos seus filhos ou às futuras gerações? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!