Querida pessoa, quem é a prioridade da sua vida? Você pode até responder de uma forma romântica, citando que é o seu marido, o seu filho ou alguma outra pessoa. Por mais bela que seja essa resposta, lembre-se de que a sua prioridade deve sempre ser você mesmo.

Isso não significa ser egoísta, mas ser saudável. Neste artigo, você vai entender o porquê de priorizar a si mesmo e qual é o papel que o autocuidado e a autoestima desempenham nesse processo. Ficou curioso? Então, continue a leitura e saiba mais!

Por que devemos priorizar a nós mesmos?

Os comissários de bordo sempre nos orientam que, em caso de emergência durante um voo, devemos colocar a máscara de oxigênio primeiro em nós mesmos e depois ajudar a quem mais precisar. Se você começar a ajudar outra pessoa antes de si, o seu oxigênio pode acabar e você pode desmaiar — e aí não vai conseguir ajudar ninguém, não é mesmo?

A vida tem uma lógica parecida. Por mais que muita gente dependa de nós e por mais que nós queiramos ajudar muita gente, tudo isso só é possível se nós estivermos bem. Por isso, priorizar-se na vida nunca é um gesto de egoísmo, mas de saúde e equilíbrio.

Além disso, só você conhece e pode realizar os seus sonhos, desejos, vocações etc. Fazer escolhas sempre procurando agradar outras pessoas pode torná-lo alguém infeliz, que abdicou das próprias vontades. Isso gera uma vida inautêntica, o que pode desencadear muitos transtornos.

O que é autocuidado?

Se você está convencido de que precisa priorizar a si mesmo na vida, saiba que o autocuidado e a autoestima são dois fatores essenciais nesse processo. O autocuidado consiste em um conjunto de ações que uma pessoa toma como rotina para beneficiar a sua saúde física, a sua saúde mental e a sua qualidade de vida.

São pequenas atitudes que fazemos por nós mesmos, conciliando o corpo, a mente e o espírito. Elas dependem do grau de consciência que nós temos das nossas próprias necessidades e do que nos faz verdadeiramente felizes. A rotina contemporânea pode ser muito difícil e estressante, de modo que pequenas práticas de autocuidado nos ajudam a administrar essas emoções.

O que é autoestima?

PSC

Por sua vez, o conceito de autoestima está associado à forma como uma pessoa percebe e avalia a si mesma. Ela depende do quanto o indivíduo reconhece o seu próprio valor, as suas qualidades, os seus conhecimentos e as suas habilidades. Envolve também a maneira como a pessoa lida com os seus pontos que não são assim tão positivos.

Pessoas com autoestima elevada são mais motivadas e autoconfiantes na conquista dos seus objetivos. Além disso, lidam melhor com críticas e dependem menos da aprovação alheia, sendo mais autônomas na hora de interagir com o outro e de tomar decisões.

Como desenvolver esses dois fatores?

Para priorizar a si mesmo e desenvolver a saúde mental, é importante desenvolver o autocuidado e a autoestima. Confira a seguir 7 dicas para essa finalidade.

  • Bem-estar físico

Para cuidar de si mesmo e ter autoestima, em primeiro lugar, cuide do seu corpo. Faça atividades físicas com regularidade, de preferência em exercícios que sejam prazerosos para você. Também mantenha-se hidratado e alimente-se de forma equilibrada. Outras práticas básicas incluem higiene adequada, exames médicos de rotina e descanso adequado. São pilares fundamentais do bem-estar, responsáveis pelo fortalecimento do organismo e pela prevenção de muitas doenças.

  • Bem-estar mental e autoconhecimento

Além da saúde física, também é primordial cuidar da saúde da mente. Nesse sentido, a psicoterapia é muito recomendada, seja para tratar eventuais transtornos existentes, seja para que o indivíduo reflita e desenvolva o próprio autoconhecimento — reconhecendo e valorizando as suas qualidades. Práticas adicionais muito benéficas nesse sentido incluem: meditação, leitura, escrita, expressão criativa, estabelecimento de limites saudáveis e gestão adequada do tempo e das emoções.

  • Vida social e rede de apoio emocional

Outro fator que nos ajuda no autocuidado e na autoestima é o convívio com aqueles que nos despertam bons sentimentos. Por isso, procure manter bons relacionamentos com os seus amigos, familiares, vizinhos, colegas de trabalho etc. Afaste-se de quem só julga, critica, ofende e desperta maus sentimentos. Aproxime-se dos entes queridos, que fazem com que você se sinta bem, passando um tempo de qualidade com eles. Lembre-se de que você tem todo o direito de ser seletivo com quem entra na sua vida.

  • Espiritualidade

Nem todas as pessoas acreditam na espiritualidade. No entanto, muita gente crê que há algo além daquilo que se vê aqui no planeta Terra. Por isso, se você tem algum tipo de crença transcendental e avalia que essa crença lhe faz bem, vivencie a sua espiritualidade intensamente. Refletir sobre a vida, conectar-se com algo maior do que você mesmo e vivenciar práticas espirituais ou religiosas pode ser algo muito benéfico, desde que seja natural (ou seja, que não foi imposto ou obrigatório). Permita-se!

  • Lazer

O lazer e o descanso não são “luxos”, mas partes fundamentais da vida. Viver é mais do que cumprir obrigações e pagar contas. Por isso, faça atividades por prazer. Quais são os seus hobbies? Engaje em atividades recreativas, que geram alegria e satisfação. Essas atividades podem ser: dança, artesanato, leitura, escrita, desenho, pintura, prática esportiva, toque de instrumentos musicais, canto, jardinagem, e por aí vai. Descubra o que lhe dá prazer!

  • Definição de metas realistas

Um fator que nos ajuda muito a desenvolver a autoestima é a definição de metas realistas. Se você definir uma meta ousada demais, a chance de não alcançá-la e frustrar-se será muito grande. Consequentemente, você se sentirá incapaz, o que não é verdade, tendo em vista que o problema estava na hora de definir o seu objetivo. Em contrapartida, se você definir metas realistas, conseguirá alcançá-la aos poucos, etapa após etapa. Mensurar esse progresso o ajudará a confiar mais em si mesmo.

  • Fim das comparações

Por fim, especialmente na era de redes sociais que temos vivido, abandone as comparações entre você e outras pessoas. Cada indivíduo é único, e a verdade é que ninguém conhece a realidade da vida de ninguém, a não ser a de si mesmo. A pessoa que você imagina ser super feliz e bem-sucedida pode enfrentar problemas que você nem imagina. Por isso, deixe de comparar-se com outras pessoas. Compare-se apenas com o seu “eu” do passado, de modo a mensurar o seu progresso.

Priorizar-se significa colocar-se em primeiro lugar. Isso é fundamental para que você viva uma vida autêntica e saudável. Para isso, coloque as dicas acima em prática e fortaleça o seu autoconhecimento, o seu autocuidado e a sua autoestima. Seja feliz!

E você, querida pessoa, tem se colocado em primeiro lugar? Como? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!