Empreender é a arte de identificar as necessidades da sociedade e desenvolver soluções para elas. Essas soluções ocorrem por meio de produtos e serviços, transformando pessoas em clientes, e necessidades em oportunidades. No entanto, por mais que a missão dos empreendedores seja nobre, não há como negar que ela também pode ser estressante em vários momentos.

Neste artigo, vamos compreender as causas do estresse dos empreendedores, as consequências do estresse excessivo e algumas dicas para lidar melhor com as adversidades da rotina. Continue a leitura e saiba tudo sobre o tema!

Por que o estresse faz parte da rotina dos empreendedores?

Um empreendedor precisa dar conta de uma infinidade de questões relativas ao seu negócio. Ele precisa contratar funcionários, investir em infraestrutura, negociar com fornecedores, atender bem os clientes, verificar se o consumidor está satisfeito, acompanhar a movimentação da concorrência, lidar com conflitos internos, definir regras para a própria empresa, acompanhar as finanças do negócio, entre muitas outras responsabilidades.

Por mais que não seja um especialista nesse ou em outro assunto, o empreendedor deve ter uma visão geral do negócio, sabendo o que se passa dentro da sua própria empresa. A instabilidade do mercado, a quantidade de obrigações, o excesso de horas trabalhadas, a necessidade de conversar com pessoas com interesses conflitantes, a autocobrança excessiva e a falta de garantias financeiras estão entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento do estresse entre os empreendedores.

Quais são as consequências do estresse?

O estresse é uma resposta física e emocional aos riscos que identificamos na rotina, ou seja, às coisas que dão ou que podem dar errado. O objetivo dessa resposta é nos motivar a tomar atitudes para solucionar os problemas ou prevenir a sua ocorrência. Por isso, trata-se de um mecanismo mental muito importante, sem o qual a nossa espécie não teria sobrevivido até aqui.

O problema, como em tudo na vida, está no excesso. Ter momentos de estresse faz parte da nossa existência, mas não podemos permitir que ele se torne uma presença intensa e diária. Quando o estresse se torna um problema crônico, pode provocar alterações na dinâmica cerebral, favorecendo o surgimento de quadros médicos sérios, como os transtornos de ansiedade, a síndrome de burnout (esgotamento associado ao trabalho) e até mesmo a depressão.

PSC Renascimento

Além disso, uma pessoa estressada tende a ter insônia, cansaço constante, dificuldade de concentração, maior suscetibilidade a doenças (devido à queda na imunidade), irritabilidade e conflitos com as pessoas ao seu redor — tanto no meio pessoal como no meio profissional.

Como lidar adequadamente com esse problema?

Agora que você já compreende o que é o estresse, por que ele pode ser tão frequente na vida de um empreendedor e quais são as suas consequência, já deu para perceber que é importante administrá-lo, não é mesmo? Para isso, confira as 5 dicas que separamos, na sequência!

1. Separe a vida pessoal da vida profissional

É difícil falar isso para um empreendedor, mas é preciso entender que ser empreendedor é apenas um dos papéis exercidos. Ele também é pai, filho, amigo, esposo etc. Portanto, é fundamental estabelecer limites entre a vida pessoal e a vida profissional, pois o estresse fica muito mais elevado quando uma invade o espaço da outra. Assim, entenda que deve haver hora para tudo: para o trabalho, para a família, para os amigos, para o lazer, para o descanso e para si mesmo.

2. Seja organizado

A organização é uma das chaves para resolver o problema do estresse. Uma dica valiosa é comprar uma agenda, de modo que você consiga registrar os seus compromissos, sem depender da sua memória para lembrar-se de todos eles. Além disso, a agenda permite que você encontre horários para dedicar-se verdadeiramente a todas as áreas da sua vida. Ela também evita que você assuma mais obrigações do que dá conta, ficando sobrecarregado. Organize o seu tempo e os seus espaços!

3. Aprenda a delegar funções

Um empreendedor não pode ser um microgerenciador, ou seja, preocupar-se com os detalhes de cada área e de cada atividade executada na sua empresa. Para isso, ele deve delegar funções aos líderes e funcionários de cada setor, sem preocupar-se com as minúcias. Como citamos acima, a função do empreendedor é ter uma visão geral do negócio, ocupando-se das decisões mais centrais e importantes. Deixe os detalhes para os demais colaboradores. Não seja centralizador, nem microgerenciador!

4. Cuide da sua saúde

O estresse crônico é um problema de saúde mental, o que também afeta a saúde física. Agora, responda: como comandar uma empresa sem saúde? Fica difícil, não é mesmo? Portanto, saiba que os cuidados básicos com o corpo e com a mente amenizam o estresse. Estamos falando de dormir ao menos 7h por noite, alimentar-se de forma equilibrada, hidratar-se corretamente e praticar atividades físicas com regularidade. Uma rotina saudável mantém o corpo e a mente no máximo das suas capacidades.

5. Descanse adequadamente e invista em atividades relaxantes

Por fim, entenda que você não é uma máquina. Você é um ser humano que comanda uma organização, mas que nem por isso pode descuidar-se de si mesmo. Diante disso, entenda que a sua vida também precisa de descanso, de autocuidado, de passeios com a família, de saídas com os amigos, e por aí vai. Esses momentos são tão importantes quanto o próprio período de trabalho. Além do mais, a ioga, as massagens, a meditação e até mesmo a psicoterapia são atividades que amenizam o estresse.

Como você pode notar, a vida de um empreendedor não é fácil. Todavia, desde que haja saúde, organização, equipes qualificadas e uma boa gestão do tempo, certamente será possível administrar o estresse e trazê-lo de volta aos níveis saudáveis, que nos mantêm produtivos, e não doentes. Coloque as dicas acima em prática e encontre esse equilíbrio!

E você, querida pessoa, como tem administrado o estresse no dia a dia? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!