O departamento de marketing de uma empresa é responsável por fazer com que cada consumidor tenha uma experiência positiva com a organização, conquistando-o e fidelizando-o. Para isso, é essencial conhecer bem esse consumidor e realizar estudos e pesquisas que embasem as ações estratégicas a serem desenvolvidas.

Entre esses estudos promovidos no universo do marketing, vários deles têm apontado que o processo de decisão de compra pode envolver todos os sentidos: visão, audição, tato, olfato e paladar. Por isso, as empresas que oferecem experiências que estimulem todos os sentidos saem na frente. Estamos falando da era do marketing sensorial. Quer descobrir do que se trata? Então, é só continuar a leitura a seguir!

Marketing sensorial: o que é?

Quando falamos em marketing, geralmente pensamos em campanhas publicitárias, anúncios, vídeos, posts em redes sociais, entre outras estratégias de comunicação que estimulam o consumo. O que tudo isso tem em comum? A estimulação do mesmo sentido: a visão. De fato, vivemos em uma era em que a visão está entre os sentidos mais valorizados, especialmente na comunicação empresarial.

No entanto, o marketing sensorial consiste no processo em que as empresas oferecem aos seus consumidores/potenciais consumidores ações que estimulem também os outros sentidos, a fim de criar experiências positivas e marcantes com a marca. Dessa forma, a exploração dos 5 sentidos favorece a criação de memórias sensoriais e afetivas, o que tende a aumentar as chances de compra.

Quais são os benefícios dessa estratégia?

Entre os principais benefícios da adoção do marketing sensorial pelas empresas, podemos citar:

  • Criação de memórias do consumidor junto das marcas, associando essas memórias a emoções positivas;
  • Desenvolvimento de uma identidade única para a empresa, explorando diferenciais perante os concorrentes (sobretudo aqueles que só exploram a visão);
  • Criação de experiências positivas que favorecem a tomada de decisão de compra;
  • Aumento do vínculo criado entre a marca e o consumidor, favorecendo a sua fidelização e a construção de um relacionamento mais duradouro com a empresa.

Como podemos estimular os sentidos?

Confira alguns exemplos de ações de marketing sensorial!

  • Visão

Conforme citamos, a visão é, provavelmente, o mais fácil dos sentidos a serem estimulados, já que é o mais explorado na comunicação empresarial atual. Contudo, além da comunicação publicitária tradicional e do marketing digital, também podemos estimular a visão no próprio ponto de vendas. Assim, ações de merchandising podem ser estimulantes à visão, como: posicionamento estratégico de produtos, cartazes, banners, materiais infláveis, iluminação especial, mascotes etc.

PSC

Até mesmo a identidade visual da marca favorece a identificação rápida do consumidor: fontes, logotipos, cores institucionais, símbolos, embalagens e a organização do site da empresa.

  • Olfato

Você já percebeu que algumas lojas têm um perfume particular? Isso não é à toa. O aroma agradável atrai os consumidores, além de fortalecer a identidade da empresa. Assim, sempre que a pessoa sentir um perfume parecido, vai se lembrar daquela loja de sapatos, por exemplo. Pesquisas apontam que há uma melhora de até 40% no humor das pessoas quando expostas a fragrâncias agradáveis. Cafeterias, por exemplo, sempre renovam o aroma do café no ambiente para atrair os seus clientes.

  • Audição

Assim como os aromas, os sons do ambiente também podem fortalecer a identidade de uma marca. As lojas das empresas e os eventos que elas promovem, portanto, devem ter sons compatíveis com as preferências dos públicos que pretendem alcançar. Dessa forma, uma loja infantil certamente tocará músicas diferentes de uma loja de artigos esportivos, não acha? Contudo, é importante não exagerar, pois um volume muito alto pode ser estressante e afastar potenciais compradores do ambiente.

  • Tato

Estudos também têm apontado que os clientes que têm a possibilidade de tocar em um produto criam um vinculo emocional maior com ele, o que eleva as chances de compra. Por isso, o toque nos produtos e nas embalagens pode ser decisivo. Aliás, designers de embalagens de ketchup, por exemplo, estão sempre fazendo testes de preferência junto ao público para compreender os formatos mais funcionais para o produto. Alguns segmentos, como roupas, sapatos, toalhas, cobertores e cosméticos também podem se beneficiar muito da permissão aos clientes para tocar nos produtos.

  • Paladar

Por fim, quem é que nunca ficou naquela fila de degustação do novo chocolate no mercado, não é mesmo? Por mais que os alimentos e bebidas invistam em comunicação visual e verbal, nada vai ser mais determinante para a decisão de compra do consumidor do que experimentar o sabor do item vendido. Contudo, mesmo que você não seja dessa área, oferecer um docinho ou um café ao seu potencial cliente pode ser um estímulo muito positivo. Além disso, que tal enviar aquele panetone gostoso aos seus clientes mais fiéis ao fim do ano?

3 dicas para adotar o marketing sensorial na sua empresa

1. Conheça a fundo a sua empresa e os itens que ela comercializa

Como você já deve ter notado, o marketing sensorial pode ser muito positivo, desde que ele esteja contextualizado com o segmento de atuação da empresa. O marketing sensorial deve representar a essência da organização, mais do que simplesmente ser “um agrado”.

Por isso, alguns consultórios de psicologia, por exemplo, contam com fragrâncias tranquilizantes, que oferecem uma experiência positiva aos pacientes, indo ao encontro do propósito do estabelecimento. Portanto, verifique como as estratégias podem ir ao encontro do seu negócio!

2. Conheça o seu consumidor/potencial consumidor

Será que é bacana colocar um rock pesado no último volume em uma loja de brinquedos infantis? Que tipo de apelo esse estímulo teria ao público-alvo? Não existe marketing sensorial sem pesquisa de mercado. Por isso, antes de colocar músicas, sons e fragrâncias no seu ambiente, verifique as preferências do seu público, bem como os aspectos de que ele não gosta. Isso evita que você proporcione uma experiência negativa com a marca.

3. Crie experiências sensoriais

Por fim, cruze os dados obtidos: a essência da sua empresa com as preferências e expectativas do seu público-alvo. A partir dessa análise cruzada, você conseguirá criar experiências sensoriais positivas. Verifique quais sentidos podem ser estimulados estrategicamente no seu caso e de que maneira isso pode ser feito. Pesquisas apontam que as ações que estimulam mais de um sentido produzem efeitos mais positivos. Pesquise e planeje estrategicamente as suas ações!

Como você pode notar, o marketing sensorial é um conjunto de ações que favorecem a criação de relacionamentos positivos entre a empresa e o cliente, sobretudo no ponto de vendas. Estimulando a visão, a audição, o olfato, o tato e o paladar, é possível criar experiências agradáveis, melhorando o humor do público e a opinião geral do consumidor acerca da sua empresa, favorecendo as chances de compra!

E você, querida pessoa, se lembra de alguma ação de marketing sensorial que tenha considerado prazerosa? Já promoveu alguma estratégia do tipo no seu local de trabalho? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!