Bem-estar e qualidade de vida são dois fatores que qualquer pessoa busca — ou deveria buscar. Infelizmente, porém, muita gente acha que a vida profissional é um obstáculo nessa busca. Afinal, trabalhar é assim tão “torturante”?

Clientes exigentes, chefes inflexíveis, colegas competitivos, prazos apertados, excesso de demandas e baixa remuneração: esses são os principais motivos pelos quais o trabalho pode ser considerado estressante. Mas você sabia que existem algumas ocupações que oferecem um estilo de vida mais tranquilo? Ficou curioso? Então, continue a leitura e conheça-as na sequência!

Profissões menos estressantes

Toda profissão apresenta algum grau de estresse. Ainda assim, uma pesquisa divulgada pelo portal Career Cast, dos EUA, elencou as 7 profissões menos estressantes. Será que você exerce alguma delas?

  • Bibliotecário

O bibliotecário trabalha em um ambiente calmo e silencioso. A sua função é manter o registro dos livros do local, controlando as entradas e saídas. Além disso, ele também ajuda os clientes a encontrarem aquilo que desejam, sugerindo títulos e tirando dúvidas. A profissão é marcada por um ritmo muito tranquilo, além das trocas de conhecimento com outras pessoas que provavelmente também gostam de ler e estudar. Assim, é possível aprender sobre diferentes temas no dia a dia.

  • Costureiro

O trabalho do costureiro também é considerado tranquilo. Ele pode trabalhar com colegas, enquanto conversa de forma descontraída, mas também pode trabalhar sozinho e em silêncio, como preferir. São profissionais que criam e consertam roupas, o que pode exercer a criatividade e o foco. Há quem defenda que a costura é até mesmo uma atividade terapêutica, que gera calma e atenção, além de permitir que o profissional converse com clientes variados.

  • Fonoaudiólogo

O fonoaudiólogo é o profissional responsável por ajudar os pacientes na fala e na audição. Ele atua na prevenção, no diagnóstico e no tratamento dos distúrbios dessas áreas. É claro que há casos mais complexos, mas, em geral, o dia a dia de quem exerce essa ocupação é tranquilo. O ambiente de trabalho é calmo, e muitos desses profissionais relatam uma sensação de gratidão, uma vez que podem contribuir ativamente na melhoria da comunicação e da qualidade de vida das pessoas.

  • Joalheiro

O joalheiro é um profissional amante das artes. Com muita criatividade e senso estético, ele desenvolve modelos diferenciados de jóias, atuando tanto no design como na produção das peças. Assim como no caso dos costureiros, os joalheiros também atuam em locais mais tranquilos e silenciosos, mas dão asas à criatividade. Como as jóias estão geralmente associadas a momentos positivos na vida das pessoas, o relacionamento com os clientes também costuma ser muito prazeroso.

  • Massoterapeuta

PSC

Como o próprio nome sugere, o massoterapeuta é um profissional que aplica massagens com finalidades terapêuticas. Dessa forma, ele se utiliza de diferentes técnicas para aliviar dores, processos inflamatórios e até tensões emocionais. Esse trabalho está em alta nos últimos anos, especialmente por conta da divulgação da relação entre a saúde física e a saúde mental. O dia a dia de trabalho é relativamente tranquilo, em ambientes silenciosos e que favorecem o relaxamento e a consciência corporal.

  • Nutricionista

Os nutricionistas também são profissionais que têm sido cada vez mais procurados. Eles auxiliam os pacientes a adotar dietas específicas, de acordo com os objetivos que pretendem alcançar: emagrecer, obter mais força muscular, ter mais energia no dia a dia, manter doenças crônicas sob controle (como hipertensão e colesterol) etc. Há casos que podem ser considerados mais desafiadores, mas, em geral, o nutricionista trabalha em ambientes calmos, promovendo a saúde por meio da alimentação.

  • Professor universitário

Nas carreiras menos estressantes, professor não é uma resposta que vem à mente com frequência. No entanto, o caso do professor universitário tem particularidades muito positivas. Em geral, esse profissional segue as diretrizes das instituições de ensino, mas tem liberdade para montar as suas aulas. Ele encontra salários bem mais altos do que na educação básica e pode trabalhar em horários flexíveis. No dia a dia, convive com alunos mais maduros, sem os comportamentos infantis típicos do ensino fundamental ou médio.

Critérios utilizados

Definir as profissões mais ou menos estressantes é uma tarefa difícil, afinal de contas, quantas profissões existem, não é mesmo? Por isso, esse tipo de levantamento precisa ser baseado em determinados critérios, justamente para que apresente credibilidade na hora de avaliar as ocupações existentes.

No caso do estudo conduzido pelo Career Cast, foram utilizados critérios específicos, como a existência de prazos apertados, a agitação do ambiente de trabalho, a exposição pública e a necessidade de interagir constantemente com pessoas diversas. Naturalmente, há outros fatores que também podemos levar em consideração, como a remuneração, a necessidade de estudos continuados, a competição com colegas e a pressão de gestores.

Uma questão subjetiva

Por fim, é importante ressaltar que o estresse na vida profissional é uma questão subjetiva, ou seja, o que parece terrível para uma pessoa pode ser maravilhoso para outra. Um professor de ensino superior, por exemplo, pode achar que dar aulas para crianças é uma atividade dificílima, devido às bagunças e à imaturidade. Já um professor de educação infantil pode sentir uma alegria enorme em conviver com os pequenos e acreditar que dar aulas para adultos não tem a mesma “graça”.

Isso vale para qualquer profissão. A escolha é sempre subjetiva. Por mais que possamos definir diversos critérios de qualidade de vida, o que realmente conta é o propósito de cada pessoa. Por conta disso, aquele que escolhe o seu caminho profissional considerando o que sabe fazer, o que gosta de fazer e o que desperta em si uma sensação de propósito certamente encontrará uma vida profissional feliz!

E você, querida pessoa, concorda com as profissões da lista? Que outras você adicionaria a essa categoria de ocupações que geram bem-estar e qualidade de vida? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!