Ao longo da vida, você com certeza já se deparou com diversos textos e mensagens de teor motivacional combatendo a ideia de desistir. Realmente, para que as pessoas alcancem seus objetivos de vida, é preciso persistir, ou seja, continuar tentando até dar certo, desde que você esteja realmente convicto de seu sonho.

Entretanto, persistir é diferente de insistir. O comportamento insistente muitas vezes é um reflexo de pura teimosia. Insistimos em algo simplesmente porque não queremos dar o braço a torcer, mesmo que nem estejamos mais tão convictos de nossos objetivos.

Desistir precocemente é um problema, mas não saber a hora de procurar outro caminho também é. Como sempre, a resposta é o equilíbrio. Afinal de contas, quando devemos parar de insistir? As respostas, você confere neste artigo.

Desistir também é decidir

As pessoas associam a palavra desistência ao fracasso. Quando desistimos de algo para não fazer absolutamente nada, realmente, estamos diante de um caso de fracasso. Em contrapartida, uma desistência pode significar apenas uma mudança de rota.

O ginasta brasileiro Arthur Nory, por exemplo, iniciou sua vida no esporte por meio do judô. Com o passar do tempo, entretanto, desistiu da modalidade, pois identificou que tinha mais interesse e aptidão para a ginástica artística. Se não fosse essa “desistência”, o atleta não teria se tornado campeão mundial e medalhista olímpico na modalidade atual.

Assim, dizer “não” é, muitas vezes, a melhor escolha a ser feita. Nem sempre insistir é a opção mais saudável. Tudo o que precisamos é de discernimento para identificar esse tipo de situação, o que nem sempre é fácil.

5 sinais de que é hora de parar de insistir

PSC Renascimento

Entender que é hora de parar de insistir pode ser doloroso. Abrir mão de algo, seja um emprego, uma carreira ou até mesmo um relacionamento, pode ser muito complicado e nos abalar emocionalmente. Para que sua decisão possa ser tomada com consciência, confira, a seguir, os 5 sinais de que é hora de parar de insistir:

1. Você não se sente feliz

O primeiro motivo é o mais óbvio, mas, por algum motivo, as pessoas se esquecem dele.

Você está num relacionamento de mais de 20 anos, com uma vida estável. Contudo, vive em pé de guerra com o parceiro, não sente mais aquela admiração que um dia sentiu pela pessoa e sente que está junto com ela até hoje por comodidade. Vale a pena?

O mesmo pode se aplicar a uma carreira. Você pode até ter amigos na empresa, um salário estável, uma boa experiência, mas não aguenta mais executar aquele tipo de tarefa. Se você não está feliz onde está, mude. Você não assumiu um compromisso com nada que não te faça feliz.

2. Você se sente distante de seus propósitos

Uma jovem graduada em Letras, chamada Laura, formou-se na universidade com o objetivo de ajudar as pessoas de uma comunidade carente perto de sua casa a serem alfabetizadas. Eram crianças, adultos e idosos muito humildes, que jamais aprenderam a ler e escrever.

A jovem graduou-se e iniciou o seu projeto de alfabetização na comunidade. Ganhando experiência profissional, foi convidada a ser professora de ensino médio numa escola particular super tradicional, onde ganharia um salário muito acima de suas expectativas. Topando o desafio, Laura ficou apenas um ano na escola e logo retornou ao seu trabalho antigo junto à comunidade.

Nossa felicidade está muito atrelada aos propósitos de vida e valores que defendemos. No caso de Laura, um salário generoso não falou mais alto ao coração do que o sonho que nutria desde a adolescência.

Nem sempre as pessoas vão entender nossas decisões, mas só quem passará pelas consequências de nossas escolhas seremos nós mesmos. Portanto, ouça seu coração.

3. Seus sacrifícios não têm valido a pena

Em todo objetivo que nos determinamos a alcançar, sempre haverá obstáculos. Porém, quando realmente visualizamos que o alcance daquela meta representa para nós um momento de realização e felicidade, encontramos a motivação necessária para superar os obstáculos.

No entanto, em alguns momentos da vida, precisamos nos questionar se esse processo ainda está valendo a pena. Será que aquele objetivo que você determinou há 2 anos ainda faz sentido em sua vida? Será que aquele relacionamento complicado, em que você já fez inúmeras concessões e sacrifícios, ainda te oferece prazer e felicidade em retorno?

Quando a resposta é não, talvez seja a hora de partir para outro sonho.

4. Não há mais potencial de crescimento

“Neste mundo existem somente duas tragédias. Uma é não conseguir o que se deseja, e a outra é conseguir”. Nessa frase, o escritor irlandês Oscar Wilde reflete sobre a necessidade humana de se ter um objetivo a ser conquistado. Não importa o quão realizados estejamos, faz parte de nossa essência e de nossa felicidade almejar algo mais.

Por isso, há certos momentos da vida em que não encontramos mais potencial de crescimento no local em que estamos. É isso o que nos leva a deixar a casa dos pais, mudar de emprego ou de área profissional, e até mesmo morar em outra cidade ou país.

Esse tipo de “desistência” é saudável, pois revela que não estamos dispostos a permanecer na zona de conforto e estamos em busca de crescimento em um novo patamar.

5. A tendência é piorar

Outro momento em que parar de insistir pode ser a melhor decisão é um pouquinho menos agradável do que o item anterior: o bom e velho “sair antes que piore”.

Se você sente que a empresa em que trabalha vai mal ou que seu relacionamento não tem perspectivas de melhorar, por exemplo, é melhor deixar o barco. Sair “por cima”, como se diz popularmente, é uma boa ideia quando tudo indicar que a tendência é piorar.

Assim, é melhor terminar um contrato de trabalho antes que a situação financeira da empresa se complique, e é melhor terminar um relacionamento enquanto ainda há respeito entre as partes. Não espere pelo pior ou que uma situação fique crítica para decidir que é hora de pôr um fim nela.

Todo fim é um novo começo

Como citamos no início do artigo, a desistência pode sim ser a decisão correta a ser tomada, desde que ela signifique um novo começo. Desistir de um relacionamento, por exemplo, não significa desistir do amor de maneira geral. Da mesma forma, desistir de um emprego não significa abandonar uma vocação.

As decisões sobre insistir ou desistir são sempre muito individuais. Por mais que você ouça as opiniões de amigos e familiares, quem está na sua pele 24 horas por dia, lidando com as consequências de cada um de seus atos, é você mesmo. Portanto, invista em autoconhecimento e desenvolvimento pessoal para que suas decisões de fato sejam um reflexo de quem você é.

A meditação e o coaching, por exemplo, são técnicas que promovem uma maior conexão do indivíduo consigo mesmo. Quanto mais uma pessoa conhece a si mesma, mais ela saberá aquilo que lhe aproxima ou que lhe afasta de sua felicidade. Assim, ela saberá a hora de insistir e a hora de deixar ir.

Que a reflexão acima te ofereça um guia para iniciar um processo de reflexão bastante proveitoso. Que as suas escolhas realmente te façam mais feliz e realizado, mesmo que, para isso, você tenha que abrir mão de certas coisas.

E aí, você tem dificuldade em parar de insistir? Quais são as decisões que você precisa tomar para ser mais feliz em sua vida pessoal e profissional? Deixe seu comentário aqui embaixo e não se esqueça de compartilhar a reflexão acima com aqueles que você ama.