Todos nós precisamos realizar diariamente uma série de tarefas para que possamos alcançar os nossos objetivos. É assim para todo mundo, tendo em vista que o sucesso só aparece antes do trabalho no dicionário, como se diz popularmente. No entanto, convenhamos que, muitas vezes, a vontade de desistir ganha força, não é mesmo?

O coaching, a psicologia e diversas áreas do conhecimento voltado ao comportamento humano parecem ser unânimes na hora de identificar os fatores para anular esse desejo pela desistência: a motivação e a disciplina. Neste artigo, você vai compreender melhor o significado desses dois conceitos tão importantes para as conquistas individuais e empresariais. Preparado? Então, boa leitura!

O que é a motivação?

A palavra “motivação” vem do latim movere, que significa “mover”. Assim, a motivação é a ação que provoca movimento, ou seja, é aquilo que nos move em busca de algo, que é tão bom, que nos faz sair do lugar. A psicologia define a motivação como o conjunto das forças internas que levam um indivíduo a adotar um determinado comportamento.

Sendo assim, se você levanta todos os dias para ir à academia e praticar exercícios físicos para ter uma forma física determinada, é sinal de que você encontrou a sua motivação, ou seja, um motivo pelo qual esses sacrifícios valem a pena. O mesmo vale para alguém que passa 10 horas do dia estudando para passar em um vestibular ou em um concurso para obter o cargo dos sonhos.

Essas pessoas estão motivadas, isto é, conseguem visualizar um cenário futuro tão feliz e desejado que isso lhes desperta ânimo para fazer o que for preciso no presente, até alcançar esse cenário. Este é o conceito básico de motivação: o propósito que nos leva a agir, com vistas a um estado desejado. Trata-se de um conceito multifatorial e extremamente subjetivo, pois aquilo que é visto como um fator motivacional para uma pessoa pode não ser para outra.

Quais são as limitações da motivação?

É notável que a motivação é muito importante para as nossas realizações, sendo ela uma força que nos leva à ação. No entanto, há dias em que a motivação parece não aparecer. É o caso daquela segunda-feira fria e chuvosa em que a cama parece muito mais atraente do que a academia. É também o caso daquela tarde de sexta-feira em que uma ida ao cinema com os amigos parece muito mais atrativa do que a dedicação total aos estudos.

PSC Renascimento

Isso nos mostra que depender exclusivamente da motivação pode ser perigoso. Ela é infinitamente importante, pois nos dá um impulso e um senso de propósito que nos ajuda a responder à pergunta “por que eu estou fazendo isso?”. No entanto, sozinha, ela não faz milagre. Há dias em que ela simplesmente se recusará a aparecer. E aí? O que fazer? Desistir de vez dos nossos objetivos simplesmente porque as nossas motivações não foram fortes o bastante?

Isso seria uma maneira irresponsável e imatura de conduzir a vida. Não podemos jogar toda a responsabilidade pela realização dos nossos afazeres na motivação. Aliás, talvez possamos chegar à conclusão de que, na maioria dos dias, acordamos sem essa força interior. Por isso, precisamos estar “equipados” com outra ferramenta importantíssima para o dia a dia: a disciplina.

O que é a disciplina?

O conceito de disciplina, conforme consta nos dicionários, é definido como a capacidade de um indivíduo de obedecer às regras, aos regulamentos e aos seus superiores. Neste artigo, estamos tratando da nossa capacidade de sermos disciplinados em relação a nós mesmos e aos objetivos que traçamos para as diferentes áreas das nossas vidas.

Obedecer a um chefe no trabalho é até mais fácil do que esse processo, tendo em vista que ele tem poder e autoridade para dar algum tipo de punição, como uma demissão, caso não sejamos capazes de dar conta das obrigações que nos foram dadas. A autodisciplina, contudo, é um desafio mais intenso, pois é como se nós mesmos fôssemos os nossos chefes, o que exige muito cuidado para não cairmos em tentação.

Assim, quando você acordar em uma segunda-feira fria sem qualquer ânimo para ir à academia, recorra à disciplina. Faça a coisa certa, simplesmente porque é a coisa certa a se fazer. Pode ser difícil no início, mas, às vezes, precisamos despertar o “chefe” que habita o nosso interior e simplesmente calar aquelas vozes que insistem em nos incentivar à desistência. Assim, enquanto a motivação aparece apenas nos momentos de ânimo, a disciplina servirá exatamente para quando estivermos desmotivados.

Como desenvolver a disciplina?

Agora que você já conhece a importância da disciplina, sobretudo nos dias em que a motivação se recusa a aparecer, provavelmente está se perguntando: como posso ser mais disciplinado? Confira algumas dicas na sequência.

1. Defina metas realistas

Sem metas, é impossível ser disciplinado. Você precisa saber aonde quer chegar antes de iniciar as suas atividades. Contudo, é importante ser realista para não se frustrar. Por mais empenhado que você esteja para perder peso, por exemplo, você não conseguirá emagrecer 30 kg em um mês. É preciso fazer um plano — com saúde e com a supervisão de profissionais especialistas.

2. Monitore o seu progresso

Uma dica que ajuda muito a ser disciplinado é o monitoramento do progresso. Quando percebemos que estamos de fato progredindo e nos aproximando da meta, isso nos fortalece e nos motiva. Assim, se precisar ler um livro de 500 páginas, saiba que ao ler 17 páginas por dia, você conseguirá concluir a leitura ao fim de um mês. Acompanhe o seu progresso e perceba o quanto você é capaz!

3. Siga o exemplo de pessoas disciplinadas

Todo ser humano tem uma tendência de repetir os comportamentos das pessoas com as quais mais convive. Por isso, inspire-se nas pessoas que têm as características que você deseja desenvolver. Se você quer ser mais disciplinado, por exemplo, inspire-se nos indivíduos que têm essa característica. Se não conhecer alguém assim, acompanhe pelas redes sociais a rotina de atletas, empresários e outros indivíduos conhecidos por sua disciplina.

4. Elimine as distrações

As distrações são as grandes vilãs da disciplina e precisam ser eliminadas. Por isso, se você atrasa o seu trabalho por navegar pelas redes sociais, bloqueie esses sites. Se você se atrasa ou desiste de ir à academia porque aciona a função “soneca” do seu despertador, desative esse recurso. Se você está saindo da dieta porque come um chocolatinho depois do almoço, pare de comprar esse alimento. Elimine o que distrai você.

5. Escolha um dia da semana para não ser disciplinado

Já deu para perceber que ser disciplinado é um desafio, não é mesmo? Por isso, entenda também que não podemos ser extremamente rígidos e inflexíveis, pois isso pode produzir em nós o efeito inverso ao desejado, que é o da exaustão e da desistência. Para evitar que isso ocorra, escolha um momento da semana para relaxar (geralmente, as pessoas escolhem o domingo!).

Se você foi à academia, por exemplo, em todos os dias da semana, dê a si mesmo uma folga no domingo e descanse. Isso o ajudará a recuperar as energias. No entanto, é apenas um descanso, e não uma desistência, OK? Assim, se você faz dieta, por exemplo, não pense que poderá devorar tudo o que vê pela frente aos domingos. É apenas uma flexibilização.

E você, querida pessoa, compreende agora o papel da motivação e da disciplina em sua vida? Como você tem lidado com essas duas forças? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Por fim, lembre-se de ajudar o próximo e compartilhe este artigo nas suas redes sociais!