Se você já começou a empreender, ou se ao menos já pesquisou sobre o tema para abrir o seu próprio negócio, com certeza já percebeu que a atividade é complexa. Ser o dono de uma empresa, mesmo que de pequeno porte, demanda uma série de conhecimentos oriundos de diferentes áreas profissionais. Além disso, o processo demanda bons conhecimentos em administração de recursos humanos, de recursos financeiros e até mesmo das próprias emoções.

Empreender é um sonho de muita gente, mas não há como negar que é um grande desafio, repleto de dificuldades. Por este motivo, muitos empreendedores iniciantes têm recorrido às mentorias, ou seja, aos aconselhamentos e tutorias junto a empreendedores mais experientes.

Quer saber quais são as vantagens desse processo para quem está começando no ato de empreender? Então, continue a leitura deste artigo!

1. Aquisição de conhecimentos técnicos

Quais são as áreas do conhecimento de que um empreendedor precisa ao menos ter noções básicas? Por alto, podemos falar em: direito empresarial (para manter as suas atividades dentro da legalidade), administração de empresas, finanças, gestão de pessoas, gestão de projetos, marketing, vendas, economia, logística, além das questões específicas da área em que a empresa está inserida.

É claro que, conforme a empresa cresce, o seu proprietário deverá contratar profissionais especialistas em cada um desses assuntos. No entanto, especialmente no início dessa jornada, o empreendedor precisará caminhar sozinho, confiando em seus próprios conhecimentos no que diz respeito às temáticas citadas acima.

É aí que uma mentoria faz a diferença. Contar com um mentor experiente no ramo dos negócios permitirá que você adquira os conhecimentos mais úteis dessas áreas. Além da teoria, o mentor também poderá oferecer a você dicas mais práticas, com base na experiência pessoal que ele mesmo teve quando era um empreendedor iniciante, assim como você é hoje.

2. Construção de um modelo de negócios eficaz

PSC Renascimento

A construção de um modelo de negócios exige respostas para diversas perguntas. As principais delas são as seguintes:

  • Que tipo de produto ou serviço você oferecerá à sociedade?
  • Qual é a importância desse produto ou serviço?
  • Qual é o público-alvo do seu negócio?
  • Quais são os principais concorrentes que você deverá enfrentar?
  • Quais são as suas forças e fraquezas (ambiente interno)?
  • Quais são as possíveis oportunidades e ameaças ao seu negócio (ambiente externo)?
  • Quais canais de comunicação você utilizará para construir e manter um bom relacionamento com os seus clientes ou potenciais clientes?
  • Quais serão as suas principais fontes de receita?
  • Qual será a estrutura de custos do negócio?
  • O negócio será físico ou digital? Regional ou nacional?
  • De quais recursos (humanos, financeiros, intelectuais, materiais e tecnológicos) você precisará?
  • Como será a rede logística da sua empresa? Quais parcerias poderão ser construídas para cada uma das áreas?
  • De que maneira você deseja que a sua marca seja vista? Que valores você quer ver agregados a ela?

Para responder a todas essas perguntas, é importante contar com o auxílio de alguém que já teve de respondê-las no passado. O mentor, portanto, poderá ser uma luz para que você identifique as suas prioridades e construa um modelo de negócios que vença a concorrência e que satisfaça a um consumidor que está cada vez mais exigente.

3. Amadurecimento profissional

Muitos empreendedores acreditam que as mentorias são apenas úteis aos iniciantes. De fato, ela é primordial nessa fase, mas não apenas nela. Existem profissionais muito bem-sucedidos que até hoje continuam fazendo sessões de mentoria com outros empreendedores.

Eles fazem isso porque acreditam que nunca é tempo de cruzar os braços e dar-se por satisfeitos. Eles sempre avaliam a possibilidade de inovar, de crescer, de vencer novos desafios e de se atualizar ao que surge de novo no mundo. Novas tecnologias, novos conhecimentos e novos comportamentos humanos — esse é o dinâmico cenário ao qual o empreendedor contemporâneo precisa sempre estar atualizado.

Nesse sentido, a mentoria é uma importante troca de ideias e valores, mesmo entre os mais experientes. Testar, ousar, aprender com os próprios erros e com os erros dos outros são formas de amadurecer e de ampliar cada vez mais a sua visão de negócios.

4. Foco nas tomadas de decisão

Em todas as áreas do conhecimento que já citamos e que fazem parte da vida de uma empresa, decisões precisam ser tomadas a todo instante. O problema é que fazer escolhas significa saber dizer “sim” a algumas coisas e “não” a outras, o que pode ser muito difícil para quem está no início.

Tomar decisões exige conhecimento, capacidade de analisar e interpretar informações dentro de contextos específicos, inteligência emocional e habilidade para definir prioridades. Todas essas competências podem ser treinadas por mentores, afinal de contas, eles já estão mais do que acostumados a lidar com decisões diariamente, muitas das quais são bem difíceis.

Com os conhecimentos que um mentor poderá oferecer e tomando-o como um exemplo, você conseguirá tomar decisões mais eficazes e de modo mais estratégico, com foco em resultados para o seu negócio. Nunca será fácil, mas a habilidade o tornará mais forte e aguçará a sua mente para identificar as melhores soluções.

5. Incentivo ao networking

Outro aspecto muito vantajoso da mentoria para empreendedores é que ela facilita o networking. Essa técnica consiste em construir e cultivar relacionamentos profissionais com as pessoas, de modo que uns ajudem aos outros mutuamente.

O mentor é, muito provavelmente, um empreendedor conhecido em seu meio. Por isso, ele pode ter contatos que podem ser parcerias vantajosas para um empreendedor iniciante. Se esse for o seu caso, o seu mentor poderá “inserir” você neste meio, apresentando-o a outras pessoas que possam ajudar-lhe na edificação do seu negócio.

Dessa forma, o mentor atua também como uma ponte que une você e as suas competências a outras pessoas, de modo que parcerias positivas para os dois lados possam ser construídas. Empreender sozinho é muito difícil. Como você viu, é preciso contar com conhecimentos oriundos de diferentes áreas. Por isso, saber fazer networking é uma ajuda considerável, especialmente no início da sua trajetória.

6. Ganhos financeiros

O que você, enquanto empreendedor iniciante, considera mais barato: fazer uma mentoria para desenvolver as competências necessárias para empreender ou contratar cada profissional para prestar auxílio nos assuntos em que você tiver dúvidas?

Naturalmente, o seu desenvolvimento pessoal e profissional, obtido por meio de uma mentoria, fará com que você economize muito dinheiro, pois o seu mentor poderá tirar as suas dúvidas. Assim, você não precisaria contratar consultores em RH, finanças, assuntos jurídicos, enfim, em todos os setores de uma empresa.

Além disso, o mentor ensinará você a seguir caminhos mais rápidos e eficazes, acelerando o seu processo de tomada de decisões. Por conta desse auxílio, você conseguirá economizar recursos financeiros e humanos em sua empresa, o que é muito importante.

7. Apoio emocional

Por fim, é fato que ter um mentor é ter também alguém que possa ouvir os seus medos, as suas ansiedades, as suas inseguranças, enfim, todas as oscilações emocionais naturais do processo empreendedor.

O mentor também já passou por todas essas questões e, por conta disso, poderá oferecer uma escuta empática e conselhos práticos para os dias difíceis. A vontade de desistir, o estresse e o medo surgem em quem quer empreender. No entanto, sempre haverá uma palavra amiga a ser dita para acalmar os ânimos e renovar a esperança!

E você, pensa em ser empreendedor? Gostaria de contar com um mentor ao longo desse processo? Qual a sua opinião sobre o assunto? Deixe as suas respostas com um comentário no espaço abaixo. Além disso, não se esqueça de compartilhar este artigo com quem mais possa se interessar por este conteúdo!

Imagem: Por UfaBizPhoto