Em meio a um mercado cada vez mais competitivo, o setor de recursos humanos (RH) se torna ainda mais essencial para as empresas. Atualmente, ele assumiu uma posição mais estratégica, e todas as suas ações influenciam diretamente os resultados das organizações.

Por causa dessa importância, é necessário investir continuamente em melhorias nessa área para que todos os subsistemas de RH consigam funcionar plenamente e gerar ações que colaborem para o desenvolvimento organizacional. Assim, são essas subdivisões que ajudam no gerenciamento de todas as atividades pertinentes a esse importante departamento.

Neste artigo, você vai compreender melhor a importância do departamento de recursos humanos e como ele está dividido em 5 subsistemas. Continue a leitura e saiba mais!

Compreendendo o RH: a importância do departamento de recursos humanos

RH é a sigla para Recursos Humanos, que se refere a um conjunto de atividades e práticas relacionadas à gestão das pessoas em uma organização. O departamento de recursos humanos é responsável por diversas funções que envolvem o recrutamento, seleção, treinamento, desenvolvimento, remuneração, gestão do desempenho, relações trabalhistas, saúde e segurança no trabalho, entre outras.

Como o próprio nome sugere, é um departamento que cuida das pessoas que compõem a organização, de modo que estejam sempre saudáveis, motivadas e produtivas nos seus respectivos departamentos. Assim, os profissionais de RH são, geralmente, graduados em administração de empresas ou em psicologia — áreas do conhecimento essenciais para despertar em cada indivíduo o seu máximo potencial dentro das organizações.

Entenda os 5 subsistemas de Recursos Humanos

Levando em consideração a importância desse setor, segundo o autor brasileiro Idalberto Chiavenato (nascido em 1936), a administração de RH é dividida em 5 subsistemas distintos, porém interligados entre si. São eles, nesta ordem:

  1. Provisão de recursos humanos;
  2. Aplicação;
  3. Manutenção;
  4. Desenvolvimento;
  5. Monitoração de Pessoas.
PSC Renascimento

Você já conhecia esse modelo de pensamento? Agora, vamos conhecer um pouco mais de cada um dos subsistemas para entender como eles se aplicam no dia a dia de uma empresa, segundo Chiavenato.

  • Provisão de recursos humanos

Esse subsistema diz respeito ao importante processo de recrutamento, seleção e contratação, interna ou externa, dos colaboradores. Inclui pesquisas de mercado e a definição de quem vai trabalhar na empresa. Isso envolve identificar as necessidades de pessoal, recrutar candidatos adequados, realizar processos seletivos eficientes e desenvolver estratégias para manter os funcionários engajados e motivados.

Esse subsistema também inclui o desenvolvimento do chamado employer branding, ou seja, a marca da empresa enquanto empregadora. Ele é responsável por desenvolver ações que construam uma boa reputação da marca no mercado de trabalho, consolidando os seus valores e uma boa qualidade de vida para atrair talentos.

  • Aplicação de pessoas

Nesse sistema, é definido onde os profissionais contratados vão trabalhar. Para isso, são feitas análises de cargos e salários de modo que estejam adequados às funções desempenhadas. Compreende, ainda, a integração (apresentação da empresa e das funções ao colaborador) e a realização de análises de desempenho.

O departamento de RH é responsável por promover um ambiente de trabalho saudável e produtivo. Isso envolve a manutenção de relações positivas com os funcionários, lidar com questões trabalhistas, negociar acordos coletivos, regularizar as documentações, garantir o cumprimento das leis trabalhistas e resolver conflitos de forma justa e eficaz.

  • Manutenção de pessoas

Esse é um dos pontos mais importantes, pois diz respeito às ações que serão aplicadas visando à retenção e à motivação dos colaboradores. Aqui, entram fatores como: remuneração, pacotes de benefícios, salubridade do ambiente, respeito às relações de trabalho (horários e leis previstas na CLT e nos acordos sindicais), planos de carreira, e por aí vai.

Esse setor também desenvolve a qualidade de vida no trabalho, afinal de contas, é preciso sentir-se bem para querer permanecer em uma empresa. Por isso, o RH desempenha um papel importante na criação e manutenção da cultura organizacional e na comunicação interna. Isso inclui a definição dos valores, normas e comportamentos esperados, bem como a promoção de uma cultura inclusiva, diversificada e orientada para o bem-estar dos funcionários.

  • Desenvolvimento de pessoas

Esse departamento diz respeito aos planejamentos e investimentos da empresa em Treinamento & Desenvolvimento, ou seja, nos cursos, palestras, workshops e treinamentos de capacitação que são oferecidos aos seus profissionais. Ele visa a expandir as habilidades técnicas, emocionais e comportamentais do quadro de colaboradores e a investir em educação corporativa.

Isso ajuda a aumentar a eficácia no trabalho, promover o crescimento profissional e fortalecer a cultura de aprendizado na organização. Além disso, esse processo permite que a empresa acompanhe as atualizações do seu segmento de atuação, mantendo os profissionais sempre capacitados para executar as suas tarefas da melhor maneira.

  • Monitoração de pessoas

Por fim, esse subsistema consiste no banco de dados do setor de recursos humanos, onde ficam armazenadas todas as informações pertinentes relativas aos seus colaboradores (currículos, contratos de trabalho, documentos e cópias de diplomas, por exemplo). Isso ajuda a fazer a gestão do conhecimento, a direcionar melhor os treinamentos e a realocar profissionais para áreas mais condizentes com as suas habilidades, por exemplo.

Ele também estabelece processos e sistemas para gerenciar o desempenho dos funcionários. Isso inclui a definição de metas, as avaliações de desempenho, o fornecimento de feedbacks completos e regulares, a identificação de necessidades de desenvolvimento e a promoção de um ambiente de trabalho orientado para resultados.

Como você pode perceber, os 5 subsistemas de recursos humanos descritos por Idalberto Chiavenato são formas precisas e necessárias de organizar todas as funções e demandas deste importante departamento.

Como vai o RH da sua empresa?

Um departamento de RH organizado e coeso tem bem mais chances de ser efetivo e alcançar os resultados esperados. Que tal refletir se a área de recursos humanos do lugar em que você trabalha realmente está preocupada em desenvolver as pessoas tecnicamente? Mais do que isso, será que ela estimula cada um a ser a sua melhor versão todos os dias?

Infelizmente, ainda não é todo departamento de RH que entende a importância que ele tem na empresa, na parte de cuidar dos seres humanos que trabalham ali. Em muitos casos, falta investimento dos proprietários da organização, pois não veem a importância do setor. Às vezes, é porque não há dinheiro em caixa mesmo. Ainda existem os casos em que o problema é a própria área de RH. Falta sensibilidade, planejamento, estratégia e dedicação. Você já trabalhou em algum lugar assim? 

Tanto para o proprietário que não compreende quanto para os profissionais que são o problema, o coaching pode cair como uma luva. O método é uma poderosa forma de transformar pessoas de forma positiva e permanente. E o melhor de tudo: ninguém perde a essência. Assim, o procedimento não é uma “máquina” que altera personalidades.

Muito pelo contrário, o foco do coaching é justamente despertar o que há de melhor em cada pessoa para que ela seja plena todos os dias da vida, seja em âmbito profissional, seja pessoal. Para chegar a esse nível de maturidade, o método usa ferramentas efetivas, que contribuem para o seu processo de empoderamento.

Nesse sentido, o curso de Consultor em Análise Comportamental é ideal para profissionais de RH, proprietários de empresas, gestores, líderes, psicólogos, terapeutas e todo mundo que deseja crescer dentro e fora do trabalho. Empresas como Unilever, Eternit e Atento já utilizaram e aprovaram a análise comportamental aqui do IBC — Instituto Brasileiro de Coaching. Incrível, não é mesmo?

Mãos à obra!

Agora, é hora de você começar a aplicar tudo o que aprendeu aqui. Reflita se o departamento de RH do lugar em que você trabalha está realmente tratando os funcionários como seres humanos. Além disso, pense se há preocupação com a formação profissional de cada um dos colaboradores.

Depois, analise se você está se dando o devido valor. Será que não é hora de fazer um curso complementar para aprender mais sobre a sua área? Será que não é hora de mudar o rumo da sua carreira? Será que você está pensando no seu futuro profissional, equilibrando-o com a sua vida pessoal? Será que não é hora de investir na sua formação com o coaching?

Essas perguntas são necessárias para qualquer pessoa, justamente para que você fique intrigado e corra atrás das respostas dentro de si mesmo. Lembramos que todas as soluções de que você precisa já estão em você. Basta despertá-las e usá-las realmente no dia a dia. Além do mais, lembre-se de que nunca é tarde demais para aprender algo novo ou iniciar uma mudança. Aliás, a hora certa é sempre agora.

Interessante este assunto, não é mesmo? Por meio do coaching, você pode despertar a sua melhor versão profissional e pessoal, além de potencializar os recursos humanos da sua empresa, nesses 5 subsistemas, conforme propõe Chiavenato.

E você, ser de luz, como avalia o RH da sua organização? O que pode melhorar? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!