Quando falamos em coeficiente emocional, logo ficamos pensando em qual é o nosso próprio nível de inteligência emocional, se conseguimos controlar bem as nossas emoções ou se somos escravos delas. Esse ato de questionar-se é normal, afinal, é sempre bom saber em qual escala nós estamos e de que forma podemos evoluir e melhorar.

Neste artigo, vamos compreender melhor o conceito de QE, conhecido como quociente emocional ou coeficiente emocional. Como será que podemos elevar esse indicador e ter mais qualidade de vida? É o que você vai conferir a seguir. Continue a leitura e descubra!

Coeficiente emocional e o teste de marshmallow

Um dos estudos mais conhecidos sobre o tema do coeficiente emocional vem dos Estados Unidos, e é chamado de teste de marshmallow. Essa avaliação foi criada pelo psicólogo Walter Mischel, em 1960, e consistia em analisar como um grupo de crianças reagia quando colocado frente a frente com um delicioso marshmallow.

Nesse teste, era dito para os pequenos que, se esperassem por 4 minutos, elas ganhariam um doce a mais.  Algumas esperaram passar o período para comer os seus 2 doces, enquanto que parte do grupo o comeu antes mesmo de terminar o tempo estimulado. Mas a avaliação não acabou por ai!

Acompanhadas até a vida adulta, foi constatado que as crianças que tiveram inteligência emocional para esperar, além de terem melhores relacionamentos interpessoais e de serem mais equilibradas e leais, tornaram-se também pessoas de sucesso. Por outro lado, aquelas que agiram de maneira impulsiva demonstraram desde sempre certo desequilíbrio, dificuldades para se relacionar e não conseguiram obter o mesmo êxito.

Por mais simples que possa parecer, esse teste revelou o coeficiente emocional de cada criança, sendo que as que esperaram foram consideradas como tendo o controle de suas emoções mais bem desenvolvido, enquanto que aquelas que comeram a guloseima foram traídas pela sua impulsividade.

PSC Renascimento

E você, pensando na criança que você foi na sua infância, o que faria: comeria ou esperaria pelos 4 minutinhos para ganhar um doce a mais? Reflita!

Medindo o seu coeficiente emocional

O estudo da inteligência emocional ganhou ainda mais força quando o também psicólogo americano, Daniel Goleman, lançou um livro com o título homônimo. Na obra, ele desmistificava completamente o até então defendido QI (Quociente de Inteligência) e colocava o Quociente Emocional (QE) como sendo o principal responsável pelo sucesso de uma pessoa.

Para ele, para ser bem-sucedido em qualquer segmento, a fórmula é: 20% de QI e 80% de QE. Portanto, essa habilidade é realmente muito importante.

Para medir o seu coeficiente de inteligência emocional, existem diversos testes disponíveis na internet. Entretanto, não existe nada melhor do que o próprio autoconhecimento, elemento-chave para conhecer bem as suas emoções e saber como elas impactam a sua vida.

Para isso, é importante fazer uma autoavaliação e procurar visualizar as situações pessoais e profissionais em que; em meio a crises, pressões e problemas interpessoais; você ou conseguiu se manter calmo e são, ou então perdeu de vez o seu norte, agindo de forma impensada e inconsequente.

Essas situações podem ter ocorrido no trânsito, nas redes sociais, com os seus filhos, com o seu parceiro ou parceira, com os seus colegas de trabalho ou mesmo familiares. Todas as situações que vivemos são testes pelos quais passamos. Quando somos pessoas equilibradas e com autocontrole, conseguimos encontrar saídas mais inteligentes para elas, em vez de reagir intempestivamente.

Por outro lado, quando temos um temperamento forte e daqueles que não levam desaforo para casa, a menor dificuldade nos leva a perder as estribeiras e demonstrar a nossa falta de controle emocional, o que é bastante negativo, seja na carreira, seja na vida pessoal e social. Por isso tome cuidado, pois esse temperamento pode prejudicar muito você e acabar levando-o a ter comportamentos nocivos também.

5 sinais de que você tem um QE (quociente emocional) elevado

Pessoas emocionalmente inteligentes administram os seus sentimentos, em vez de serem dominadas por eles. Essas pessoas possuem 5 características principais. Será que você está demonstrando algum desses sinais de inteligência emocional?

1. Você identifica o que sente

Dê nome às suas emoções. Às vezes, sentimos tantas coisas ao mesmo tempo, que não identificamos de fato qual é a emoção do momento. Por isso, reflita: o que eu estou sentindo? O que essa emoção quer me dizer?

Além disso, pessoas emocionalmente inteligentes também têm uma maior percepção acerca das emoções das outras pessoas, o que desenvolve a empatia e confere mais sabedoria à condução dos relacionamentos, sejam eles pessoais, sejam profissionais.

2. Você administra o que sente

Além de identificar as suas emoções, você procura investigar o porquê de elas terem surgido? Elas fazem sentido? Elas são proporcionais aos acontecimentos?

Ser emocionalmente inteligente é ter sentimentos proporcionais às circunstâncias, compreendendo que todos nós temos momentos melhores e momentos piores, mas que boa parte dos pensamentos ruins é fruto de uma imaginação exacerbada. É também identificar que isso faz parte da vida, mas que, se sentimentos negativos têm tomado a maior parte do dia, por vários dias, é hora de procurar ajuda.

3. Você tem autorresponsabilidade

Essa é uma grande característica das pessoas com elevada inteligência emocional. Elas têm autorresponsabilidade, ou seja, assumem a responsabilidade pelos acontecimentos da sua própria vida, sem atribuí-la a outras pessoas, à sorte ou ao acaso.

Sucesso ou fracasso, erros ou acertos, todos os cenários dependem de nós mesmos. E se algo não estiver no nosso controle, tudo bem, mas a forma como reagimos sempre estará.

4. Você nunca deixa de aprender

A inteligência emocional nos confere uma capacidade muito valiosa, que é a de enxergar os aspectos positivos de cada situação, mesmo que elas sejam bem difíceis. Em cada adversidade, nós temos duas opções: reclamar do problema ou resolvê-lo e tentar aprender algo com ele.

Assim, aproveite os bons momentos e aprenda com os maus, para que eles sejam cada vez menos frequentes.

5. Você nunca deixa de agir

Por fim, um sinal de que você é emocionalmente inteligente é que você não deixa de tomar as suas decisões e de agir em busca dos seus objetivos. Os resultados só vêm da ação. Dessa forma, mesmo que você esteja em uma situação indesejada, cabe a você agir para sair dela, rumo a um ponto que lhe dê maior realização e felicidade. Isso é válido tanto para as questões pessoais quanto profissionais.

Mas atenção: nunca deixar de agir não significa sair correndo sem rumo e sem descanso. É saber para onde você quer ir, saber a hora de descansar o corpo e a mente, além de respeitar os próprios limites, mas sem desistir e sem deixar de se importar.

E aí, ser de luz, você é uma pessoa emocionalmente inteligente? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!