Quando falamos em empreendedorismo, logo pensamos nos tipos de gestão que os empreendedores podem utilizar para conduzir e gerenciar os seus negócios. Nesse sentido, saiba que mesmo os empresários mais inexperientes desenvolvem o seu próprio modelo, a sua forma de administrar seu empreendimento e também as suas ações e estratégias.

No início de uma organização, ainda é muito comum que o empreendedor não identifique com tanta clareza quais são as diretrizes da sua administração, ou seja, ele ainda não percebe se a sua liderança é autoritária, democrática, participativa ou centralizada, por exemplo. Desse modo, o dono da empresa acaba operacionalizando as tarefas e tomando decisões sem basear-se em tipos de gestão específicos.

Ainda assim, mesmo que de forma não oficial ou clara, sempre há modelos de liderança presentes em todo negócio. São eles que nós vamos identificar no artigo a seguir. Continue a leitura e saiba mais!

1. Gestão centralizadora ou autocrática

A gestão centralizada acontece quando o empreendedor concentra todas as decisões na sua figura e exclui a sua equipe desse processo. Também é um modelo de administração em que o líder tem grandes dificuldades em delegar as tarefas aos seus liderados e em confiar-lhes responsabilidades. Por isso, acaba interferindo sempre em todas as atividades da empresa, esbarrando no microgerenciamento.

Com isso, o empresário acaba focando demais nas demandas operacionais e administrativas e deixando de se concentrar nas estratégias de crescimento do seu negócio, o que acarreta prejuízos ao crescimento da sua empresa. Isso também tende a provocar desmotivação na equipe, que não se sente reconhecida pelo líder como plenamente capaz de executar o seu trabalho sem monitoramento.

2. Gestão democrática

Nesse tipo de gestão, como o próprio nome sugere, o empreendedor faz uma liderança democrática e mais aberta, dividindo as responsabilidades com a sua equipe e incluindo-a nos processos de construção dos resultados. Com isso, o líder tem mais tempo para focar no crescimento do seu empreendimento, planejar as ações, definir estratégias e implantar as melhorias e os projetos focados na expansão do seu negócio.

PSC Renascimento

Esse elo de confiança é importante, pois faz com que todos se sintam importantes e pertencentes na construção de resultados. Também faz com que os colaboradores fiquem mais motivados a dar o seu melhor, pois sentem que o dono da empresa confia nas suas capacidades e habilidades e reconhece isso. A última palavra continua sendo do líder, mas ele leva em consideração o que todos têm a dizer ante de fazer as suas escolhas.

3. Gestão meritocrática

Esse é um dos tipos de gestão que mais têm ganhando espaço nas empresas. Consiste em administrar o negócio por meio da meritocracia, isto é, da valorização dos profissionais, incentivando a sua produtividade, motivação e engajamento, bem como reconhecendo o comprometimento e os resultados alcançados pelos colaboradores da empresa.

Com isso, o empreendedor tem como aliados os seus funcionários, uma vez que valoriza o seu trabalho, promove o seu crescimento e reconhece a sua participação ativa nos sucessos da empresa.

Nesse modelo, o líder está continuamente avaliando o desempenho e concedendo feedbacks construtivos aos liderados, de modo que promoções, bônus e aumentos salariais são concedidos àqueles que alcançam os melhores resultados. Para isso, porém, é fundamental que os colaboradores tenham acesso às mesmas oportunidades, sem que um ou outro seja beneficiado.

4. Gestão com foco em resultados

A gestão com foco em resultados é um modelo ainda utilizado por empresas de diversos segmentos. Ela parte do princípio de que o que realmente importa na organização são os resultados que ela é capaz de alcançar. Por isso, o seu aspecto principal é a definição de objetivos para a organização como um todo, que se desdobram em metas específicas de cada setor ou departamento.

Essa gestão dá pouca ou nenhuma importância às formas e métodos para que esses objetivos sejam conquistados. Por isso, esse tipo de gestão pode ser mais útil para as empresas que precisam alcançar bons resultados de forma rápida, mas não é a melhor escolha para as organizações que desejam sistematizar as suas operações em planejamentos de longo prazo.

5. Gestão com foco em processos

Podemos entender a gestão com foco em processos quase como um oposto da gestão com foco em resultados. É claro que os objetivos continuam sendo importantes nesse método, mas ele dá mais importância aos processos do que o sistema anterior. Aqui, os gestores se preocupam em sistematizar os processos, ou seja, em definir padrões para as tarefas, de modo que haja menos erros e mais produtividade.

Essa gestão está sempre definindo regras, normas e padrões-ouro a serem seguidos. Também está sempre verificando quais são os programas, ferramentas e tecnologias mais indicados para atualizar e aperfeiçoar os meios como as atividades da empresa são feitas. Nesse caso, existe claramente um projeto de crescimento em longo prazo, pois o objetivo são resultados duradouros, e não picos de produtividade.

6. Gestão por cadeia de valor

Por fim, a gestão por cadeia de valor tem um foco mais externo do que interno. Em vez de basear as suas ações nos seus meios ou nos seus objetivos, a empresa faz pesquisas para compreender o contexto em que está inserida, focando, sobretudo, na compreensão do consumidor. Tudo é feito a partir da identificação das necessidades e desejos do cliente. É isso o que direciona todas as operações da organização.

Nesse caso, o gestor da empresa identifica o que o cliente quer e como a empresa pode satisfazê-lo de forma superior à concorrência. Assim, os estudos culminam no desenvolvimento de produtos e serviços de alta qualidade, com atendimento diferenciado e ações criativas no marketing, no comercial e na comunicação. O foco da ação de cada departamento está sempre na satisfação total do cliente, gerando valor a todas as atividades desenvolvidas na empresa.

Estes são alguns tipos de gestão que os empreendedores usam nas suas empresas e que determinam as diretrizes que orientam o gerenciamento dos seus empreendimentos.

E você, querida pessoa, consegue identificar qual delas tem mais a ver com as suas atitudes empreendedoras? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!