A oração é um meio de conversar com Deus, com o universo ou com outros guias espirituais, de acordo com a fé de cada um. Ao orar, uma pessoa pode agradecer pelas coisas boas que tem alcançado na vida, manifestar arrependimentos, pedir perdão pelos seus erros e fazer pedidos para que novas graças caiam sobre o seu caminho.

Orar é um processo muito subjetivo. Não existe um jeito certo ou errado. Há pessoas que rezam falando em voz alta, mantendo-se em silêncio, lendo textos sagrados, cantando, acendendo velas, assistindo a determinadas celebrações religiosas, e por aí vai. O importante é que a pessoa acredite no poder da sua fé para alcançar os seus objetivos.

A esse respeito, a escritora estadunidense Catherine Ponder escreveu As leis dinâmicas da oração. Na obra, ela cita o poder desse processo e os pilares que o sustentam, conforme você verá a seguir. Continue a leitura e potencialize os seus momentos de oração!

1. Oração com ação

A oração precisa de ação para se concretizar. As preces de uma pessoa certamente são ouvidas por Deus ou pelo universo, mas de nada adiantam se a própria pessoa não fizer a sua parte para concretizar aquilo que procura. Não adianta rezar pedindo mais paciência, por exemplo, se você continuar alimentando as explosões de raiva sempre que algo não sai do jeito que você esperava. A oração potencializa e ajuda a sua mudança de comportamento, mas o primeiro passo deve sempre ser dado por você.

2. Relaxamento

A correria do dia a dia pode produzir um grande cansaço físico e mental. Por isso, o ato de orar não pode ser visto como mais uma “obrigação” que encaixamos na agenda. Na verdade, esse ato precisa ser bem pensado, em um ambiente mais tranquilo, que favoreça o relaxamento e a conexão com a espiritualidade. Dessa forma, é interessante orar em um espaço mais silencioso, que favoreça a sua concentração, em um momento do dia em que você não seja interrompido, como antes de dormir ou logo ao acordar.

3. Purificação

O termo purificação refere-se ao ato de purificar-se, ou seja, de eliminar impurezas. No contexto da oração, não estamos falando de impurezas físicas, mas sim de pensamentos e atitudes impuros. Conforme citamos acima, um dos principais objetivos das preces é manifestar arrependimento, pedir perdão pelos erros cometidos, bem como perdoar a quem nos tem ofendido, como diz a oração do “Pai-Nosso”. É nisso que consiste a purificação, ou seja, em admitir os nossos erros e em adotar uma postura voltada a não mais cometê-los.

4. Proteção

PSC Renascimento

A oração também pode e deve ser um pedido de proteção — a Deus, aos santos, aos anjos, aos orixás, aos guias espirituais, enfim, àquilo que cada religião contempla e em que cada indivíduo acredita. Pedir proteção significa assumir as fragilidades da vivência humana, solicitando que alguém, em um plano superior, nos oriente e nos inspire a ter boas ações, que nos conduzam à felicidade. Assim, podemos pedir paz, amor, saúde, alimento, emprego, estudo, prosperidade, felicidade na família, amigos etc.

5. Decreto

Algumas orações funcionam como decretos, ou seja, palavras que a pessoa mentaliza ou vocaliza para si mesma, de modo a atrair para si o que elas significam. Orações memorizadas, frases, mantras ou simples palavras carregam dentro de si poderes e energias próprios, capazes de atrair aquilo que elas significam. Assim, quando uma pessoa pronuncia frases do tipo “O Senhor é meu pastor e nada me faltará”, ela está atraindo para si a prosperidade concedida pela divindade de que de fato nada faltará na sua vida.

6. Concentração

Outro pilar da oração é a concentração. Ao orar, precisamos focar a atenção na nossa prece, e em mais nada. Não conseguiremos orar enquanto estivermos preocupados com a obrigação do trabalho de amanhã, com a lista de compras do supermercado, com a televisão ligada, ou com qualquer outra distração. O poder da oração está na fé e na concentração, isto é, em compreender que, naquele momento, nada deve ser tão importante quanto a prece que está sendo feita. Concentre-se 100% na oração.

7. Meditação

Em profunda relação com o item anterior, a oração também pode ser entendida como a espiritualização da meditação. Meditar é concentrar a mente em um único foco, o que traz diversos benefícios, como bem-estar e saúde mental. No caso da oração, o foco escolhido para meditar é a espiritualidade, o que pode ser feito com o auxílio de velas, músicas suaves, mantras, e por aí vai. Meditar é colocar-se em um estado de atenção focada, ampliando o seu poder de conexão com a espiritualidade.

8. Silêncio

Conforme citamos, existem diferentes tipos de oração. Muitos deles incluem celebrações marcadas pelas leituras em voz alta e pelas músicas. Isso é ótimo, especialmente na coletividade da espiritualidade. Contudo, na sua oração individual, procure o silêncio. Afastar-se dos estímulos externos do dia a dia facilita o alcance de um estado de calma e de concentração. Isso permite que o fluxo de pensamentos fique mais organizado, favorecendo os seus pedidos e agradecimentos.

9. Percepção

Perceber significar notar as coisas, as pessoas e os fatos que fazem parte do nosso ambiente. A oração é capaz de ampliar esse poder. Assim, podemos adquirir a percepção de quanto somos abençoados: temos família, amigos, alimento, emprego, estudos, moradia, enfim, uma série de itens que podem passar batidos no dia a dia, mas que são essenciais para uma vida plena. Além disso, percebemos também a nossa própria força interna, as nossas emoções e a nossa inteligência para superar as adversidades que vivenciamos.

10. Parceiros de oração

Por fim, citamos também que a oração pode explorar a coletividade. Assim, uma prece não necessariamente precisa ser feita na solitude. Você pode orar com amigos, com familiares, com vizinhos e com a sua comunidade. Centros, igrejas, templos, entre outros locais permitem que as pessoas se reúnam para manifestar a sua espiritualidade, sobretudo quando comungam de uma mesma fé. Nesse caso, a oração pode aproximar as pessoas e fortalecer na sociedade um espírito de empatia e altruísmo.

As leis dinâmicas da oração são os pilares que favorecem esse momento tão importante para as pessoas que professam alguma fé. Não há certo ou errado, de modo que o que realmente importa é que as pessoas acreditem naquilo que faça sentido para a sua vida e que respeitem as crenças uns dos outros. Esses são os princípios que potencializam as palavras das preces, sejam elas lidas, vocalizadas ou apenas mentalizadas!

E você, ser de luz, faz da oração um hábito? Como realiza as suas preces? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!