Problemas de saúde, luto pela perda de entes queridos, conflitos interpessoais, desemprego, excesso de trabalho, rotina estressante, crises financeiras, mudanças, incertezas. Todos nós estamos expostos a todos esses momentos difíceis, o que pode até mesmo desencadear quadros depressivos e/ou ansiosos.

Isso nos leva a questionar se é mesmo verdadeira a ideia de que “o que não nos mata nos fortalece”, como se diz popularmente. Será que as adversidades da vida nos tornam mais fortes ou mais frágeis? Tudo depende da forma como encaramos essas situações, o que nos leva ao conceito de crescimento pós-traumático.

Neste artigo, vamos compreender melhor o que é um trauma, o que é o crescimento pós-traumático, como ele ocorre e o que nós podemos fazer para crescer com as adversidades da vida. Preparado? Então, continue a leitura e saiba mais sobre o tema!

O que é um trauma?

Antes de falarmos em crescimento pós-traumático, precisamos compreender o que exatamente é um trauma. Sob o olhar da psicologia, que adotamos neste artigo, o conceito de trauma se refere aos eventos angustiantes que provocam danos à saúde mental. O trauma ocorre quando o nível de estresse vivenciado supera a capacidade do indivíduo de enfrentar e administrar as suas emoções ao longo dessa vivência.

Um mesmo evento pode ser traumatizante para um indivíduo, mas não para outro. Assim, duas pessoas que sofreram um acidente de carro, por exemplo, podem reagir de maneiras distintas ao acontecimento: uma delas pode continuar dirigindo normalmente, enquanto a outra pode sentir um medo profundo de dirigir ou mesmo de entrar em um carro. Isso se deve ao fato de que as experiências são vividas de forma subjetiva e de que cada indivíduo tem a sua “bagagem emocional” própria.

Portanto, todos os agentes estressores citados no início deste artigo podem ser gatilhos para traumas. Dessa forma, os cuidados com a saúde mental se fazem ainda mais necessários para que possamos lidar melhor com as dificuldades da vida sem que elas se manifestem de forma traumática.

O que é o crescimento pós-traumático?

PSC Renascimento

O crescimento pós-traumático é a capacidade que um indivíduo tem de tornar-se emocionalmente mais forte e resiliente frente aos desafios da vida, após a superação de dificuldades. Como se diz popularmente, é o “criar casca” diante dos problemas da vida. Esse processo é resultado do desenvolvimento da resiliência.

O crescimento pós-traumático ocorre quando um indivíduo vivencia um momento difícil na sua vida e é capaz de administrar as suas emoções e os seus pensamentos, superando a dificuldade e agindo para solucioná-la. Ele é definido como um conjunto de mudanças psicológicas positivas que decorrem do enfrentamento de um momento problemático. Isso não significa que o indivíduo não sofre com o problema em questão, mas que é capaz de lidar com esse sofrimento e sair da situação fortalecido.

Segundo os especialistas, há 5 categorias de mudanças psicológicas positivas que manifestam o crescimento pós-traumático:

  • Relações interpessoais: o trauma pode beneficiar o convívio com as pessoas, aumentando os laços de afeto e proximidade, bem como afastando quem nos fazia mal;
  • Novas possibilidades: passar por esses desafios pode gerar novas perspectivas sobre a vida;
  • Competências pessoais: as dificuldades podem levar uma pessoa a desenvolver novos conhecimentos e habilidades, sentindo-se mais capaz de enfrentar os desafios futuros;
  • Desenvolvimento espiritual: a vivência de um trauma pode aproximar as pessoas da espiritualidade, reorganizando a relação do indivíduo com a própria fé e podendo ser um auxílio emocional na superação dos problemas;
  • Valorização da vida: os traumas podem levar a pessoa a reavaliar as suas prioridades, dando mais importância a algumas questões, e menos a outras.

As pessoas que vivenciam o crescimento pós-traumático experimentam essas mudanças em ao menos uma das categorias acima.

Qual é a importância desse processo?

Toda pessoa passa por adversidades na vida. Mesmo aquelas que parecem ter uma vida perfeita enfrentam problemas dos quais nem fazemos ideia. As adversidades fazem parte da existência de qualquer pessoa, de modo que é preciso saber como lidar com elas.

Nos casos em que isso não ocorre, os traumas geram desdobramentos negativos, que nos enfraquecem, ao invés de nos fortalecer. Isso pode nos levar ao adoecimento, por meio do estresse, da depressão, dos transtornos de ansiedade e, de modo mais específico, do TEPT — Transtorno de Estresse Pós-Traumático. São transtornos graves que se manifestam por meio de uma série de sintomas físicos e psicológicos muito desagradáveis, demandando tratamento médico e psicológico.

Dessa forma, quem consegue crescer com os traumas, e não sucumbir com eles, evita o desenvolvimento desses transtornos, fortalecendo a sua saúde mental, a sua autoestima, a sua identidade e a sua inteligência emocional.

Quais são os fatores que facilitam esse processo?

Mas por que algumas pessoas crescem diante de traumas, enquanto outras adoecem? Por que as adversidades fortalecem alguns indivíduos, mas fragilizam outros? A resposta, como em tudo na psicologia, é multifatorial. Segundo os especialistas, o que faz a diferença é um conjunto de 3 aspectos:

  • Personalidade do indivíduo: estabilidade emocional, extroversão, otimismo, boa autoestima e abertura ao que é novo;
  • Capacidade de aceitação: forma de lidar com os problemas, aceitando as situações, analisando-as e procurando formas de solucioná-las. Consiste em focar na solução, e não no problema;
  • Rede de apoio: contar com amigos, familiares, colegas, vizinhos, profissionais relacionados ao problema em questão, profissionais de saúde mental (médicos, psicólogos), coaches, apoio religioso/espiritual etc.

Os 3 fatores acima são os itens que nos ajudam a superar as adversidades da vida, ao invés de transformá-las em traumas que limitam o nosso potencial e que nos tornam mais frágeis. Por isso, procure desenvolvê-los. Nesse sentido, participe das formações do IBC — Instituto Brasileiro de Coaching, pois elas contêm informações e ferramentas que ampliam o seu repertório mental e que fortalecem as “defesas” da sua mente para ajudá-lo a superar as dificuldades da vida.

E você, ser de luz, já vivenciou algum momento de crescimento pós-traumático? Como foi a sua experiência? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!