Atire a primeira pedra quem nunca criticou alguém. Talvez isso faça parte da natureza humana, até porque, com alguma frequência, desabafamos com um amigo ou familiar sobre atitudes de outro indivíduo que nos geraram algum tipo de incômodo.

O problema é que algumas pessoas não apenas desabafam, como fazem dessas críticas pelas costas um verdadeiro “estilo de vida”. Nesse caso, extrapolamos o que é ético, saudável e produtivo. Neste artigo, vamos compreender melhor como esse hábito, ou melhor, esse vício, é prejudicial à nossa vida, tanto pessoal quanto profissionalmente. Confira os principais malefícios!

Quebra de confiança

Você já ouviu falar que a mentira tem perna curta? Bem, a da fofoca também não é muito longa! Falar mal de alguém pelas costas é uma atitude arriscada, especialmente porque você pode ser descoberto. Nesse caso, a pessoa criticada dificilmente voltará a confiar em você.

Além disso, há uma célebre frase que diz que: “Quando Pedro me fala de Paulo, sei mais sobre Pedro do que sobre Paulo”. Isso quer dizer que quem fala muito da vida de terceiros começa a ser visto com pé atrás pelos outros. Se uma pessoa fala mal de outras pessoas para mim, talvez seja provável que ela também fale mal de mim para os outros. Assim cria-se uma desconfiança generalizada.

Destruição de reputação

Em consequência do item anterior, não é difícil entender que falar mal dos outros destrói reputações. Quem espalha fatos ou boatos negativos a respeito de alguém com certeza contribui para que essa pessoa seja vista com maus olhos.

PSC Renascimento

No entanto, a pessoa que faz isso também mancha a própria reputação. Estamos falando de quem julga e reclama de tudo o que os outros fazem, como se estivesse em uma posição de superioridade. Ninguém gosta de conviver com alguém assim, de modo que o próprio indivíduo constrói uma reputação negativa: não confiável, ácido, negativo, não humilde, e por aí vai.

Atmosfera tóxica

Ambientes em que a fofoca é um mal generalizado tornam-se rapidamente tóxicos. Ninguém mais confia em ninguém, todos se enxergam uns aos outros como inimigos, e há um clima geral de insegurança e desconforto. 

Isso gera consequências emocionais a todas as pessoas, pois ninguém sabe quem será a próxima “vítima”, o que causa ansiedade. Dessa forma, podemos observar uma visível perda de qualidade de vida nesse ambiente, que pode ser uma família, um grupo de amigos, um local de trabalho, e por aí vai. Nas empresas, isso pode aumentar, por exemplo, a insatisfação, as demissões e a rotatividade profissional.

Perda de oportunidades profissionais

Imagine que você tenha que promover um de dois funcionários igualmente habilidosos na função. A diferença é que um deles é mais ético e só oferece críticas de forma construtiva, enquanto o outro tem um histórico de falar mal dos outros pelas costas, sem qualquer compromisso com a ética. Não é difícil saber qual dos dois, teoricamente, obterá a promoção, não é mesmo?

A fofoca destrói a confiança e a discrição, que são características importantes para qualquer profissional que deseja ser promovido ou indicado para oportunidades de crescimento na carreira.

Danos à produtividade

Enquanto um profissional redigia um relatório importante para o trabalho e criava uma apresentação de resultados extremamente clara e precisa, outros fofocavam sobre a vida de terceiros. Falar mal dos outros, além de todos os malefícios já citados, ainda é algo que nos leva à perda de tempo e a um declínio nítido na nossa produtividade.

Ah, e se você pensa que isso prejudica só a vida profissional, saiba que você está muito enganado. Pense no tempo que as pessoas gastam falando da vida alheia, mesmo em casa ou pelo telefone. Nesse tempo, quantos livros poderiam ser lidos? Quantas tarefas domésticas já poderiam ter sido concluídas? Quantos exercícios físicos já poderiam ter sido executados? Pense no que é prioridade para você!

Perda de amizades

Na vida profissional, os conflitos podem ser mais facilmente “resolvidos”, até porque são pessoas unidas exclusivamente por um propósito profissional, e as entradas e saídas de colaboradores nas empresas fazem parte dessa área da vida. Mas e quando se trata de amizades?

Nesse caso, a coisa pode ser mais complicada. Estamos falando de pessoas que se uniram espontaneamente por gostarem uma da outra e por terem interesses em comum. Assim, falar mal de um amigo pelas costas pode ser entendido como traição, já que, se são amigos de verdade, por que não fazer uma crítica construtiva, falando de forma gentil com a pessoa? Essa falta de transparência pode acabar com amizades e, dependendo da reputação do indivíduo, tornar difícil que ele faça novos amigos.

Problemas legais

Você sabia que falar mal dos outros pode levá-lo a ter problemas até com a lei? Em alguns casos, as “críticas” podem ser enquadradas como difamação. Espalhar informações falsas sobre alguém, ou fazê-lo de forma ofensiva e agressiva, pode gerar processos judiciais.

Estamos falando dos chamados “crimes contra a honra” da pessoa, que prejudicam o bem-estar e a reputação do indivíduo. Dependendo do contexto e do teor das críticas, uma fofoca aparentemente de pouca importância pode se tornar uma batalha na justiça, categorizada por injúria, difamação ou calúnia.

Perda de tempo e de evolução

Como você pode notar, falar mal dos outros é uma prática que pode trazer sérios problemas na vida pessoal e na vida profissional. Acima de tudo, porém, fica a lição de que se trata de uma grande perda de tempo. Em que pode ser útil criticar a atitude de alguém de forma ríspida e sem que a pessoa criticada esteja presente?

Além de essa pessoa não poder se defender, o que configura uma ação antiética, esse tipo de crítica não adianta. Se houver um problema, como uma atitude de que você não gostou, o ideal é chamar a pessoa envolvida para uma conversa franca. Em particular, de forma ética e respeitosa, fica mais fácil elaborar uma crítica construtiva, que de fato contribua com a resolução de qualquer conflito que possa existir.

Falar mal dos outros sem essa preocupação de ser construtivo é um veneno silencioso que corrói relações pessoais e profissionais. Além de não ajudar em nada, ainda provoca conflitos que podem ser graves e gera perda de tempo aos envolvidos. Evite!

E você, querida pessoa, já falou mal de alguém sem ter um propósito construtivo que justificasse essa atitude? Alguém já o criticou sem a sua presença? O que você pensa a respeito? Contribua deixando o seu comentário no espaço a seguir. Além do mais, que tal levar estas informações a todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e a quem mais possa se beneficiar delas? Compartilhe este artigo nas suas redes sociais!