Muita gente acredita que trabalhar com marketing e comunicação é algo muito intuitivo: é só fazer alguns posts de redes sociais, e está pronto! De forma alguma. O marketing é uma área muito mais técnica do que se pensa. Todas as decisões estratégicas tomadas por essa área dependem de muito estudo, pesquisa e análise das informações obtidas.

É assim que se faz um plano de marketing, ou seja, um documento que determina como serão as ações que esse departamento realizará pela empresa pelos próximos meses. Neste artigo, vamos compreender o que é um plano de marketing, por que ele é importante e quais são as suas etapas. Continue a leitura e saiba tudo sobre o tema!

O que é um plano de marketing e qual é a sua importância?

O plano de marketing deve fazer parte do dia a dia de toda e qualquer organização, de pequeno, médio ou grande porte. Ele consiste em um documento em que estão detalhadas as ações de marketing a serem desenvolvidas, sempre de modo estratégico, com vistas ao alcance dos objetivos corporativos.

Campanhas podem ser institucionais (que visam ao fortalecimento da marca como um todo) ou falar sobre um produto ou serviço específico. O primeiro passo é exatamente fazer essa definição, para depois analisar o ambiente em que a empresa está inserida, o público a ser impactado e as ações a serem executadas.

Os 9 elementos fundamentas do plano de marketing

Os 9 itens a seguir são obrigatórios em um plano de marketing de sucesso, mas podem aparecer outros, conforme a empresa entenda como necessários. Confira!

1. Análise do ambiente interno e externo

Já citamos aqui no blog a importância da análise SWOT, que é uma ferramenta que permite que a empresa identifique as suas forças e fraquezas (aspectos internos, sob o seu controle), bem como as oportunidades e ameaças (aspectos externos, que não estão sob o controle da empresa, podendo prejudicá-la ou beneficiá-la).

PSC Renascimento

Essa avaliação, mais uma vez, pode ser feita tanto para a marca de forma geral como para o produto ou serviço a ser trabalhado no período. É a partir dela que se chegará a um diagnóstico, ou seja, a um problema a ser resolvido.

2. Segmentação do público-alvo

A empresa deve estabelecer qual é o público ao qual serão direcionadas as ações de marketing. Atirar para todos os lados em meios de comunicação de massa não é uma estratégia muito inteligente, a não ser que se trate de um produto de massa, de uma marca mais consolidada.

Por isso, é importante definir questões de gênero, faixa etária, faixa de renda, localização geográfica, estilo de vida, entre outros aspectos a serem considerados. A partir dessas segmentações, o ideal é chegar a uma ou duas personas — protótipos de indivíduos que representem esse público. Há empresas que constroem as personas, definindo nomes, idades, profissões, rotinas e até mesmo fotografias. Com a persona em mente, fica mais fácil pensar em estratégias adequadas a esse perfil.

3. Análise da concorrência

Para que o seu plano de marketing seja eficaz, é importante analisar as ações da concorrência nesse setor. Não se trata de copiar ninguém, mas apenas de compreender como os competidores estão agindo, de modo que a sua empresa possa se posicionar e criar ações ainda melhores. Por isso, verifique as ações de marketing, os canais de comunicação, as mensagens, os públicos, enfim, todas as decisões tomadas pelos concorrentes.

4. Os 4 Ps

Os quatro Ps de marketing são bem fáceis de memorizar, e a empresa deve defini-los com base no seu público-alvo:

  • Produto: qual é o produto ou serviço que a empresa vai oferecer, considerando as necessidades e desejos identificados junto ao público?
  • Preço: Qual será a política de preços e formas de pagamento a ser adotada, levando em consideração o perfil do público e os concorrentes?
  • Praça: Em quais locais o produto será distribuído? Onde a campanha ocorrerá? Online? Em meios físicos? Em abrangência municipal? Nacional? Como será a rede logística?
  • Promoção: Como será feita a divulgação? Qual será a mensagem? Quais serão os canais de comunicação utilizados para impactar o público definido?

5. Problema e objetivo de marketing

O problema de marketing pode ser diagnosticado a partir de pesquisas de mercado ou da própria análise do ambiente. “Produto rejeitado por um público X”, “baixa adesão às ações digitais” e “necessidade de fortalecer a marca na cidade Y” são alguns exemplos de problemas que podem ser identificados.

A partir desse problema, deve-se definir um objetivo de marketing — específico, mensurável, alcançável e relevante. Por exemplo: “aumentar o market share em 5% no país”, “aumentar a taxa de conversão do site da empresa em 10% em 3 meses”, entre outros.

6. Descrição das ações estratégicas

Depois de toda a fase de estudo e planejamento, é hora de definir o que o marketing da empresa fará para alcançar os objetivos definidos e descrever detalhadamente cada iniciativa. Entre essas ações, podemos citar:

  • Criar novos produtos/serviços;
  • Fazer adaptações em produtos/serviços já existentes;
  • Alterar a política atual de preços e formas de pagamento;
  • Propor alterações nas redes de distribuição dos produtos (varejo físico, compras pela internet, frete, market places, redes sociais etc.);
  • Definir um novo posicionamento para a marca;
  • Mudar a identidade da marca (rebranding);
  • Criar campanhas publicitárias (nos meios de comunicação tradicionais);
  • Criar campanhas de marketing digital (por meio de conteúdos, lives, publicações em redes sociais, atualizações no blog corporativo, disparo de e-mails e newsletters);
  • Investir em ações de merchandising (melhorias nos pontos de vendas);
  • Investir em ações promocionais (cupons, descontos, sorteios, brindes etc.);
  • Promover eventos da marca;
  • Patrocinar eventos já existentes;
  • Fortalecer as ações de relações públicas e assessoria de imprensa.

Nenhuma empresa consegue fazer tudo isso ao mesmo tempo. Esse é o conjunto de possibilidades que o marketing oferece, de modo que cabe a cada organização escolher as ações mais produtivas para o alcance do seu objetivo, com base em todo o contexto que já foi analisado.

7. Cronograma e responsáveis

Depois de definir tudo o que será feito no marketing da empresa, é preciso construir uma tabela com o cronograma das ações, incluindo: meio de comunicação, veículo de comunicação, tipo de ação, data de início, data de término, pessoas responsáveis por cada ação e recursos que serão utilizados (humanos, financeiros, tecnológicos, materiais etc.). É essencial que essa tabela seja acompanhada por todos os membros da equipe, de modo que todos os colaboradores estejam alinhados.

8. Recursos e orçamento

A parte de recursos deve receber uma atenção especial, pois ela vai definir quantos profissionais estarão envolvidos em cada ação, quais materiais e tecnologias serão necessários e quanto será preciso investir. Escrever um artigo no blog da empresa é algo relativamente simples e barato, já criar um filme publicitário e veiculá-lo na televisão aberta em horário nobre demanda investimentos muito maiores. Por isso é tão importante contar com o acompanhamento do departamento financeiro nessa fase.

9. Indicadores de desempenho

Curtidas, comentários, compartilhamentos, visualizações, visitas ao site, cadastros, aberturas de e-mails, assinaturas de newsletters, opiniões, vendas, participação de mercado — esses são apenas alguns dos indicadores de desempenho que uma campanha pode obter, dependendo da mídia utilizada. Monitorar todos esses itens é essencial para saber se a campanha está sendo bem recebida ou se é preciso realizar ajustes — ou mesmo uma repaginação completa.

Sem o monitoramento dos indicadores e sem as devidas correções, fica difícil alcançar aqueles objetivos estabelecidos lá no início.

Os 9 itens acima são primordiais para o sucesso das ações de uma empresa. Eles são obrigatórios em todo plano de marketing completo e bem desenvolvido. Sem esses elementos, fica difícil ser preciso na hora de alcançar os objetivos organizacionais, além de ser muito mais fácil cometer erros estratégicos e entrar em crises financeiras. Evite todos esses problemas com um bom plano de marketing.

E você, ser de luz, já elaborou um plano de marketing completo? Qual é a importância desse documento para as ações estratégicas da sua organização? Deixe o seu comentário no espaço a seguir. Por fim, lembre-se de compartilhá-lo com todos os seus amigos, colegas de trabalho, familiares e com quem mais possa se beneficiar deste conteúdo, por meio das suas redes sociais!